Páginas

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

A insustentável leveza do peso de J.M. Anes

O mação bom, Anes, que se auto-suspendeu para vilipendiar o afilhado Carvalho, o mação mau, diz ao Público de hoje que "Na Maçonaria os irmãos têm obrigação de entreajuda. E o dever de agir em nome de valores superiores, seja através do aperfeiçoamento pessoal, seja na criação de obras sociais. Daí até às ambições de conquista de poder político e económico, só dá o passo quem quer."

Diz ainda que a loja Mozart49, do mação mau e seu afilhado, "deixou de prestar contas ao padrinho e dedicou-se a ressuscitar uma loja maçónica em tempos fundada por jornalistas, mas que se encontrava adormecida."

Este mação bom, Anes, é ridículo. E não faço mais comentários sobre ridicularias.

2 comentários:

Carlos disse...

Fechem a Mozart e passem todos para a Loja da Coelha. Esta, é que continua a dar!

ZéBonéOaparvalhado disse...

Este Anes mostra o seu caracter - neste aspecto, a rapaziada da Opus é outra gente - lembrar-me, que um Treinador de Futebol, no dia da sua folga, fazia serviço na igreja.

Há muitos Opus Santo Antoninhos, Valha-me Deus.São mais que as mães