Páginas

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Morreu Pedro Osório


Uma das memórias vivas da nossa música popular dos últimos quarenta anos, morreu. Pedro Osório era músico, "orquestrador", no início dos anos setenta, depois de ter feito parte do Quinteto Académico ( imagem acima da capa do Século Ilustrado de 8.4.1967).

Quando comprei a revista Mundo da Canção ( publicada no Porto) no mês de Maio de 1970, o tema principal ( e motivo da compra) era o VII Festival da Canção, e quem o ganhou nesse ano foi a cantiga Onde vais rio que eu canto, cantada por Sérgio Borges, também recentemente falecido.
Nessa altura já Pedro Osório aparecia como orquestrador da canção Corre Nina, de Paulo de Carvalho, tida então como favorita.


Nos anos seguintes Pedro Osório continuou a ser presença marcante na música popular portuguesa, com muitos créditos reconhecidos em discos variados. No Lp de Sérgio Godinho À Queima Roupa, em pleno PREC de 74-75, Pedro Osório aparece creditado com agradecimentos "pela orelha atenta e colaboração na supervisão".
Porém, a obra que para mim melhor o recorda é este disco de José Almada, uma pérola esquecida da nossa música popular, publicado em 1970. Os arranjos e orquestrações são da autoria de Pedro Osório e segundo o autor dessa obra-prima da mpp, José Almada, o disco foi gravado apenas com voz e guitarra simples e os arranjos acrescentados depois por Pedro Osório. Brilhantes e de uma eficácia inebriante. Uma obra-prima esquecida, porque nem sequer foi passada a cd.

1 comentário:

Floribundus disse...

sempre apreciei o seu trabalho.
que descanse em paz