Páginas

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Os donos das lojas

Em 2009 era assim:

Mota-Engil, Soares da Costa e Edifer admitem pedir indemnização ao Estado devido ao veto do Tribunal de Contas às concessões rodoviárias.

O impasse do concurso para as novas concessões rodoviárias provocado pelo chumbo do Tribunal de Contas está a ameaçar as construtoras portuguesas. A situação é de tal ordem que estas ameaçam mesmo poder vir a recorrer para tribunal exigindo as devidas indemnizações.

O mote foi dado por António Mota, presidente da Mota-Engil, líder do sector de construção em Portugal, que em declarações na Sic Notícias deixou o aviso de que um pedido de indemnização ao Estado está a ser ponderado devido ao veto do Tribunal de Contas à concessão do Douro Interior.

Como é sabido, durante o Verão de 2009 aconteceu o fenómeno da tomada de poder de alguns media, como revelam as escutas do Face Oculta e um primeiro-ministro Inenarrável ganhou as eleições outra vez, numa vitória tangencial que considerou então "extraordinária"!

Depois disso foram "renegociadas" as PPP, tendo nesse assunto assumido um papel relevante um tal Paulo Campos.

Ficaram assim, os "indignados" de 2009. E mais ninguém lhes ouviu qualquer lamúria pública.

As pessoas têm que saber disto e pedir responsabilidades políticas, civis e criminais a quem as têm.

5 comentários:

Floribundus disse...

por ser do tempo do governo ps,
nacionalizem-se as 4 empresas portuguesas

Karocha disse...

José
As pessoas só querem saber de futebol!

Wegie disse...

Estas é que são verdadeiras lojas!! O resto, a Universalis, a Mozart e mais não sei quê são folclore.

josé disse...

De acordo. Mas os sabujos que os servem comem nos anexos, como é normal.

É nessas lojecas que se tramam as coisas.

hajapachorra disse...

Por uma vez sem exemplo deixo aqui uma ligação para um texto que todos devem ler e reflectir:
http://malomil.blogspot.com/2012/01/apesar-de-se-ter-convertido-num-simbolo.html