Páginas

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Os indignados do arrastão jugular


O Sapo dá destaque a uma grande manifestação efectuada hoje em Belém. Assim

Dezenas de pessoas concentraram-se hoje frente ao Palácio de Belém, "indignados" com as declarações do Presidente da República sobre as suas pensões, deixando "uma moedinha" para "ajudar" o chefe de Estado a pagar as despesas.
A acção, explicaram os promotores – os blogues Arrastão e Jugular, além de Paulo Querido, a nível individual – pretendia ser uma ‘Flash Mob’ (mobilização espontânea): “É uma iniciativa que tem a ver com as palavras do Presidente da República acerca das suas reformas e da sua pretensa insolvência e incapacidade de se sustentar ou de pagar as suas contas”, disse Pedro Vieira, do blogue Arrastão, à Agência Lusa.

Esta gente, por qualquer coisa que faça, tem sempre o destaque, desmedido, nos media. Porquê? Exactamente por causa do esquerdismo que a sociedade mediática herdou daqueles maoistas e quejandos. São eles quem põe o discurso na "ordem do dia" mediática. Para azar dos pródigos do esquerdismo militante, os seguidores activistas são apenas os jornalistas...
Enquanto não se restabelecer o equilíbrio social, os Daniéis Oliveiras terão sempre lugar nas Sics e nos noticiários, mesmo que apenas consigam congregar meia dúzia de gatos pingados nas suas iniciativas pífias. As tais "dezenas" incluíam certamente os jornalistas e repórteres fotográficos que não perdem uma, destes oliveiras das figueiras políticas.

P.S. suspeito que o indivíduo na foto é um outsider. Um freelancer....ahahahah!



9 comentários:

jbp disse...

Foi pena terem deixado de fora o Almeida Santos. Ele há uns anos andou por aí a dizer que os deputados também ganhavam mal. Enfim, andam a discriminar a esquerdalhada.

zazie disse...

ahahha
Que palhaçada. E o palerma do querido foi lá fazer o quê?

organizar indiganções em combóio?

Wegie disse...

E o moço da bomba de gasolina já trepou para o telhado?

pandacruel disse...

Fica-se sempre com a sensação de que os problemas, depois de enunciados no dia em que saem a largo, são martelados com determinados fins que, não custa a crer, servem a mil maravilhas a distrair em face de problemas maiores.
Não há por certo uma central de contra-informação alojada nos próprios órgãos de informação mas que há interesses difusos parecem não restar dúvidas.
Uma coisa me descansa: quem vê Portugal a partir do Brasil e de uma aldeia de montanha cá dentro fica ciente da quase nulidade de todos estes factos, a vida lá dá-se sem eles. Isto já experimentei reiteradamente e estou vivo, quando calha, na cidade também. Significa que podemos passar ao lado, fugir ainda que os serões diurnos dos canais generalistas sempre nos persigam (a noite muda, é uma espécie de fuso e é o tempo do sono natural).

Manuel disse...

Até parece que há alguma intenção em lançar uma grande cortina de fumo evidenciando até à exaustão nos meios de comunicação social a gafe do Cavaco. Que procurarão esconder com tanto alarido?

A propósito de petições, aqui está uma bem mais votada, mas muito menos mediatizada:

http://peticaopublica.com/PeticaoListaSignatarios.aspx?pi=P2011N9288

AAA disse...

É por esta e por outras que deixei de ver notícias na televisão e ouvi-las na TSF e RDP.
Mas não é por isso que deixo de concordar com a censura social às afirmações de Cavaco que foram lamentáveis.

Floribundus disse...

'cridos' indignados:
'trabalhar é bom para o preto'
ordenado europeu
inveja, preguiça, ódio ...

crise:
diagnóstico- blá blá
terapêutica- blá blá

concepções de estado:
det estado
cont estado

lusitânea disse...

Ora aí está a principal razão do nosso afundanço, até como nação.Os neo esquerdistas do passado sob diversas roupagens teatrais a lavar o cérebro ao zé povinho...
E até minúsculas "organizações" mas com muitos empregados conseguem por esse meio celindrar a tradição e propagandear os "avanços" que de degrau em degrau nos afundaram por decénios...
Quando é que pagarão pelo que andaram a fazer?

lusitânea disse...

cilindrar em vez de celindrar tinha ficado melhor...