Páginas

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Pinto Monteiro agarrado ao lugar

O Sol de hoje noticia que Pinto Monteiro não quer sair da PGR quando perfizer 70 anos, no próximo mês de Abril. Diz que quer permanecer até ao fim do mandato, em Outubro.
Pinto Monteiro sabe perfeitamente que não tem o apoio da ministra da Justiça e que o chefe do Governo eventualmente não tem vontade de abrir uma guerra para o substituir nestas circunstâncias. O presidente da República, esse, é o responsável único por esta situação porque faz o que sempre tem feito: prefere não fazer.
O PGR Pinto Monteiro há muito que deveria ter abandonado o cargo que ocupa. O Sindicato do MºPº já o disse há muito e apresentando razões e motivos.
Pinto Monteiro não quer fazer a vontade à maioria que está a governar porque provavelmente sente ter um papel a cumprir até Outubro.
Como o cargo é eminentemente político, o que parece é. E se tal seria uma razão de peso suficiente para já ter saído do cargo que ocupa é também razão suficiente para sair em Abril, ao perfazer o limite de idade, tal como saiu o antigo presidente do tribunal de Contas, Alfredo José de Sousa.
Há um par de anos, Guilherme da Fonseca, antigo magistrado do MºPº e juiz do tribunal Constitucional ( de esquerda) disse publicamente que se bem o conhecia, Pinto Monteiro não sairia voluntariamente do lugar. Quer vencer a dele, como diz o povo...

4 comentários:

Luis disse...

O PGR não tem vergonha na cara (saiu há demasiado tempo da Beira) e o PR vergonha na cara não tem. Por causa destes (mas não só) temos a justiça desgraçada que todos conhecem. Vergonha temos todos nós por ter esta gente como responsávis deste desgraçado país

Carlos disse...

O problema, não é deixar o lugar. A questão é que o personagem, se julga ser a razão do lugar.

victor rosa de freitas disse...

Quando é que o Pinto Monteiro é acusado e julgado por prevaricação, saia ou não saia do tacho? - essa é que é a questão!

Ruvasa disse...

Até que enfim alguém toca no real problema!