Páginas

domingo, 8 de janeiro de 2012

A justiça de ricos e pobres

Vale a pena ler esta pequena "carta à directora" do Público de hoje (clicar para ler) , da autoria de Santana-Maia Leonardo. Em tom irónico retrata com uma exactidão factual o que se passa na Justiça, actualmente. Nem sequer é caricatural porque a aproximação à realidade é manifestamente exacta.

4 comentários:

zazie disse...

ehehe

É assim em tudo- o mundo está às avessas.

Está feito para lobbies e minorias. Tudo com classificação burocrática e de papel passado.

Mas a ministra vai fazer asneira? não estou a par.

Tinha ideia que era alguém com mérito, no meio de tanta indigência.

Cassiano disse...

Assim continua a ser Portugal. Um país de juízes confessadamente incompetentes. Exemplos?



O processo dos CTT que envolve o ex-presidente Carlos Horta e Costa – um juiz de Lisboa declarou-se incompetente para o julgar e remeteu-o para Coimbra onde uma juíza se declarou igualmente incompetente!



O processo TagusPark, nascido de uma certidão extraída do Face Oculta – um juiz da 8ª Vara Criminal de Lisboa declarou-se incompetente e vai mandar o processo para Aveiro onde, é suposto, se revele publicamente a auto-incompetência de qualquer outro “meritíssimo”, passe a ironia que o adjectivo explicita.



Ainda em Lisboa, dois juízes de diferentes varas declararam-se incompetentes para apreciar o processo contra três administradores da empresa gestora dos bairros sociais, a Gebalis!



O julgamento do processo-crime do BCP foi adiado sine die, provavelmente à espera de um juiz que, finalmente, se possa considerar competente. Que fazem nos tribunais juízes que confessam a sua própria incompetência?


Afinal de contas, uma parte dos nossos “meritíssimos” apenas se revela em toda a sua competência nos julgamentos de “pilha-galinhas” ou quando apanha um desgraçado que, famélico, tropece num pacote de bolachas que lhe cai inadvertidamente no bolso num supermercado qualquer! Pena pesada no lombo do “criminoso”, exemplo que fica como uma espécie de compensação para a incompetência declarada em julgamentos de processos de crime económico! E não há remédio senão suportar este “pivete”, este “arroto” permanente de uma justiça ao nível desta “piolheira” lusíada.

ZéBonéOaparvalhado disse...

Boa malha, José.

Já viu, o que era prender criminalmente o "jet set" dos negócios?

Ainda acaba por ser preso, um juiz/a, que meta se naquelas caldeiradas.

Já reparou, no caso Isaltino, a Juiza, deu-lhe um fanico.

Quantos fanicos teve o José? pagaram-lhe para isso?

Um grupo de pessoas, indenficáveis, com morada incerta, que aproveitam a democracia politica, economica e social para fazer uso das suas habilidades.

esqueceu-se do caso BPN, BPP? foram resolvidos com o dinheiro dos contribuintes?

bruno disse...

Maldita a ditadura em que vivemos…..toda a violência em contra é completamente licita e necessária. Mais do que nunca necessitamos um MESTRE DE AVIS para eliminar os condes Andeiros traidores. Neste momento sinto vergonha de ser português… gente sem dignidade, uns capados metais…porcos miseráveis.