Páginas

sábado, 1 de setembro de 2012

Ricardo Salgado ao Público

O banqueiro Salgado Espírito Santo concede uma entrevista "de fundo" ao Público de hoje e diz algumas coisas interessantes. Repesco duas delas.

A primeira sobre a RTP: " Há um aspecto que ninguém fala e que tem a ver com os prejuízos gerados pelas empresas que deduzem ao PIB. Quais são as empresas que dão mais prejuízo? São as do Estado: no sector dos transportes, nos estaleiros navais, a RTP. E para que esse efeito prejudicial não se dê é preciso privatizar e privatizar rapidamente, pois é a forma de ir buscar capitais estrangeiros."

A segunda é sobre os tais capitais. Ricardo Espírito Santo, como nem é de admirar, considera-se um benemérito da pátria. Desde sempre, pode supor-se.  Sobre o assunto do Capital diz assim:

" Não tenho qualquer preocupação com o Estado. O pior erro que aconteceu ao país foram as nacionalizações. A história está feita e já ninguém tem dúvidas sobre isso. Nessa altura saímos e recomeçámos lá fora a nossa vida a duras penas. Ao fim de 17 anos regressamos a Portugal e trouxemos do exterior [nos últimos vinte anos] para o  nosso país oito mil milhões de euros. Oito mil milhões! Choca-me ver, de vez em quando, artigos em algumas revistas a associarem-nos a exportações de capital."

Rikki: Don´t loose that number! Oito mil milhões não anda muito longe do buraco do BPN...e aposto que algum dele, Vª Senhoria Banqueira sabe onde estará. Tal como sabe onde estão alguns dos milhões de milhões das PPP.
Rikki: não faça de nós um amontoado de parvos. Tenha pudor e se Justiça ainda houver neste país, um dia chegará.
Tem Vªa Senhoria inteira razão quanto à RTP e quejandas como tem relativamente ao "pior erro que aconteceu ao país". Mas Vª Senhoria prestou vassalagem a um salafrário do tipo Sócrates e sabia muito bem com quem se estava a meter.
Vª Senhoria é o melhor exemplo, ao contrário do que sucedia com os seus antepassados, de que o dito cripto-marxista sobre a pátria do dinheiro ainda tem pleno cabimento de verba.
Repescando um artigo da autoria daqueles que cometeram o "pior erro que aconteceu ao país", replica-se que nem o dinheiro tem pátria, nem sequer os offshores têm hino. E é para lá que vão os milhões de milhões.
Tenha por isso, Vª Senhoria. vergonha. Porque dinheiro já tem demais.

8 comentários:

zazie disse...

ehehehe

Que post delicioso

josé disse...

Faltava-lhe a última frase. Em tempo.

zazie disse...

ahahahahahaha

Lindo!

Floribundus disse...

há sempre uma relação vergonha-dinheiro
'a vergonha tende para zero, sempre que o dinheiro tende para infinito'.
8 mil milhões são trocos para quem viveu encostado ao estado.

Karocha disse...

Brilhante José!

Floribundus disse...

este seu post suscitou-me algumas considerações sobre dois assuntos que sempre me preocuparam, talvez por deformação profissional: o conhecimento de tudo e a dúvida sistemática.
recomendo a leitura do Nobel da Fisica Richard Feynman em 'o significado de tudo' da Gradiva
«nestes dias de especialização muito poucas pessoas têm conhecimento suficiente para não fazerem figura de parvas»
há muito que não me espanto de comentários lidos noutros blogues ou de ouvir os snacletos da AR

Vivendi disse...

Este andou mesmo com o focinho todo enterrado na gamela Socratina.

antonio cerveira pinto disse...

Certeiro ;)