Páginas

domingo, 17 de março de 2013

O estranho caso do gestor, assessor, presidente e arrendatário

O Correio da Manhã continua a dar destaque ao caso singular do "gestor", presidente da ARS-LVT que foi presidente do INEM e depois, em 2008, assumiu funções de "assessor" do Ministério da Saúde, no tempo de Ana Jorge, do PS.
O caso não assume relevância criminal, abertamente, mas tem contornos que permitem se questione publicamente esse alto funcionário do Estado, por causa de um arrendamento de um apartamento a entidade ligada a negócios em que o mesmo foi responsável, designadamente relacionados com derivados de plasma.
Por outro lado, para alimentar a novela, o CM revela que o mesmo "gestor" viajou à fartazana entre 2008 e 2011 à América Latina, a três países, para contratar médicos que não teríamos por cá.
Provavelmente, na Europa não havia suficientes...e o caso merecia melhor esclarecimento para se perceber como é que o SNS está como está.
Assim como se torna imperioso que esclareça a quem paga a renda e quanto paga. O presidente da ARS
é um alto funcionário do Estado e aplicam-se-lhe as normas dos funcionários públicos, para efeitos penais...

4 comentários:

lusitânea disse...

por alguma razão isto foi afundado.Mas são muito humanistas com os antigos descolonizados, que agora nacionalizam às centenas de milhar.Para garantir que o défice nunca baixe...
Tipos como este deveriam ser presos e terem trabalhos forçados...

Floribundus disse...

o rectãngulo é afinal uma república socialista-offshore
onde os funcionários públicos
'são todos iguais, mas uns mais que outros'

a quem pagam a renda?

desconheço os limites onde começa a criminalidade

Luis disse...

A história deste funcionário do Estado cheira mal á distância; cheira a corruptonite aguda. Será que o ministro da saude mandará instaurar um inquérito interno?

Dario disse...

Ora aqui esta.
Mas nao e assim com tudo nem com todos,(segundo muitas cronicas deste mesmo blogue) quando a SIC foi desenterrar o BPN estava errado mexer apenas no BPN e nao incluir no pacote o BCP e a CGD, mas neste caso ja vale apena mexer.
Como sempre digo, nunca e um erro descobrir a careca a um bandido, (acreditanto na reportagem) mas e imperioso e urgente trazer a luz do dia que se passa neste exato memento com as nomecaoes que estao a ser feitas por este governo.
Entenda-se e que fique claro, este problema nao e do PS ou do PSD, quem alimenta isto esta a colaborar na continuacao de politicas de amigos, de compadres.
Este problema e, nacional, do pais e mais um problema de mentalidade do que politico, por isso combata-se com todas as forcas , se e que querem ver o pais seguir em frente , caso contrario nao saem do estrume onde estao enterrados.