Páginas

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Andaram a brincar com o fogo porque...não sabiam que queimava!

PortoCanal:

Os deputados do Grupo Parlamentar do CDS que estiveram reunidos esta manhã já estão a preparar “o dia de amanhã, em que é preciso discurso e estratégia para atenuar os efeitos da crise governativa”, adiantou um deputado centrista ao Porto Canal.

A reunião, descrita como “pacífica” por vários deputados, terminou e agora a ordem é para olhar para a frente. Pelos vários contactos feitos pelo Porto Canal com deputados centristas, fica a ideia de que numa primeira análise, logo na terça-feira, muitos deputados pensaram que haveria eleições, mas ninguém tinha verdadeira noção do que aí vinha. Mas chegados a esta reunião, ficou claro que a opção é seguir em frente.

Um deputado, contactado pelo Porto Canal, comparou mesmo a situação que vivemos com o clíma da 2ª Guerra Mundial, “todos odiavam o Japão, mas depois da bomba atómica o mundo ficou solidário com os japoneses. Ninguém sabia realmente os efeitos e foram terríveis. Os mercados e a Europa deram um sinal claro e ninguém tinha até ontem a verdadeira noção de que a democracia nos países sob resgate está limitada”. O deputado, considera que “nem Paulo Portas tinha ideia das reacções que surgiriam e que inviabilizam um cenário de eleições. Não podemos fazer eleições e ninguém tinha percebido isso”.referiu

Um outro parlamentar centrista adiantava ontem ao Porto Canal que estavam todos espantados e que alguém “devia dar umas palmadas correctivas aos responsáveis por este momento, como eu fazia com os meus filhos”.


Como dantes se dizia: isto só visto!

12 comentários:

JC disse...

Os deputados do CDS parecem terem agora percebido as consequências terríveis de umas eleições.

Mas os do PS, mais o Sampaio, o Mário Soares, e uma série de comentadores da nossa praça - entre os quais Henrique Monteiro, o que me surpreende - parece que nem assim perceberam!

Os do PCP e do BE perceberam bem mas querem lá saber.
Como se dizia na anedota: "inté gostam!"

Só visto, mesmo.

Zé Luís disse...

O CDS, como o BE, persiste em demonstrar não ter razão para existir. Selectivamente, como tem sucedido com o BE, acabará por perder expressão.

O que o PP descobre é que o Paulo Portas está em vias de sair outra vez por fracasso eleitoral. Daí o recuo. E a encenação.

O que salava o CDS e o BE é... o statu quo da AR, com os 230 deputados. Permite a quota de até 5 partidos. Sempre foi assim. Nem mais, nem menos. Reduzam a metade o Parlamento e os pequenos partidos desaparecerão de cena. Por isso ninguém quer mexer naquilo. Nem os grandes, nem os pequenos, estes por solidariedade de outros menores, como o PCP.

Está cristalizado, como imagem do País, do Estado, da FP.

É assim porque tem de ser.

Vivendi disse...

Nenhum partido merece existir em Portugal.

lusitânea disse...

Parece que aquilo é um pequeno rebanho de ovelhinhas e só o carneiro decide...

Zephyrus disse...

Que diria o Professor Salazar disto? A resposta está nos seus textos.

foca disse...

Como bem explicou o Santana Lopes na SIC, esse Portas tem de vez em quando uns dias difíceis, assim uma espécie de ciclo feminino.

josé disse...

Ou seja, inconstante. Inconfiável. Falso.

Não serve para a política mas há por aí muito boa gente a jurar que sim.

Floribundus disse...

que leva ao colo crianças sem fralda
acaba sempre sujo

desta feita foi a economia e as finanças do rectângulo

entreguem esta porcaria a quem seguramente sabe lidar com ela

hajapachorra disse...

As pessoas do género do portas não podem ter poder, as pessoas com a inteligência e a autoridade do passos também não. Nãos os queria nem para presidir a uma associação de bombeiros.

Maria disse...

P.Portas é demasiado ambicioso, tem demasiada sede de poder, é demasiado vaidoso e presunçoso (e mentiroso?) para ser levado a sério, sobretudo paa ser um político credível. (E depois houve algumas decisões/aquisições políticas da sua lavra muito controversas e comprometedoras para ele, para o país e não menos lesivas para os portugueses, mas como se vai vendo ele continua a ser protegidíssimo pelo sistema, tanto neste como noutros campos...). Talvez ele não devesse ter deixado o jornalismo, já que a sua consabida inteligência somada à sua reconhecida matreirice, estaríam como peixe na água para um certo jornalismo humorístico-jocoso.

Quanto às 'crises' que estão a acontecer entre os partidos do governo, nada de espantar. O pessoal político entende-se perfeitamente, os arrufos e pretensas zangas entre os presidentes dos ditos, assim como os insultos e agressividade oral parte-a-parte entre partidos do governo e os da oposição - partidos, note-se, mas só os que são 'constitucionalmente autorizados' a fazer parte de um regime que se diz 'democrático' e nem mais um... - são só para dar ao povinho crente e bom a 'ilusão" de que vivemos em democracia de facto, o que é òbviamente uma rotunda mentira.

Não esquecer que Portas foi mais um dos convidados para a reunião recente do Clube dos 300 (agora parece estarem reduzidos a cento e tal - uns já morreram, outros estão velhos demais para ter voto na matéria), aguardemos mais novidades políticas, quer dizer, incidentes gravíssimos no p.f. (próximo futuro) tanto em Portugal como no resto da Europa e ainda no Norte d'África, sem esquecer o Médio Oriente e com carácter d'urgência a América do Sul, mais pròpriamente no Brasil - pra já - depois, consoante as prioridades em agenda, outros países seguir-se-ão.
Afinal Portas não fez mais do que a sua obrigação. Foi exactamente para receber ordens e cumpri-las que ele foi à reunião secreta. Or else...

naoseiquenome usar disse...

Bemmmmm.... fico perplexa quanto ao valor que é dado às notícias da imprensa escrita (antes e hoje), valorando-a, antes, como fontes históricas e, hoje, como propaganda.
Quanto à alienação política, esta gente d'hoje comprometeu definitivamente qualquer aptência, participação e... credibilidade. Parece-me que ninguém quer ouvir falar em políticos tão cedo!!!!!!

Kaiser Soze disse...

Parece-me que o CDS terá entendido que ia levar uma pancada semelhante e pelos mesmos motivos que o BE levou quando se recusou, por ser macho, a reunir com a Troika.

Não sei se esta manobra dilatória vai funcionar mas se iam para eleições agora...