Páginas

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Se isto acontecer, os culpados, desta vez, são conhecidos.

 R.R.:


Está a ser violenta a reacção dos mercados à crise política decorrente do pedido de demissão do ministro Paulo Portas. A Bolsa nacional abriu a descer mais de 6% e os juros da dívida portuguesa disparou para mais 8% no prazo a dez anos.

É uma “reacção extremamente negativa, de ‘crash’, apenas equiparada à queda de 1999, com a crise na América Latina”, afirma à Renascença o especialista Pedro Lino, da corretora Dif-brokers.

15 comentários:

Floribundus disse...

de acordo com a mentalidade portuguesa vigente
é absolutamente inalienável o direito à imbecilidade

dizem que o partido do taxi se transformou em unipessoal

siga o enterro!

era uma vez um país disse...

o desconversanço é muito lindo mas o facto é que os culpados somos todos nós, a sociedade como um todo, por acção e omissão. isto era absolutamente inevitável, desde o início. O Portas, que é o que é, tomou, sem tirar nem por, uma das decisões mais certas da vida dele (independentemente da discussão se o fez pelos motivos certos ou errados, e independentemente do que se ache ou deixe de achar sobre o senhor, e o seu percurso) ao deixar de colaborar, tarde e a más horas, com aquilo que objectivamente nunca deixou de ser uma farsa (e bastava ler com atenção a 'carta' do Gaspar para o perceber). Enfrentar a realidade, por muito má que seja, tal como ela realmente é, e não como convinha que ela fosse, nunca foi em tempo algum má política. Vamos ver é se vai ser desta... ou se vamos continuar com circo por mais uns tempos.

Vivendi disse...

Tudo tranquilo José... O marido da nova ministra das finanças já arranjou um tacho na... EDP.

hajapachorra disse...

A sociedade, nós todos o tanas. Eu não tenho culpa nenhuma desta merda. Pelo contrário, há 10 anos que a minha chafarica sofre cortes, profundos, para ter tudo direitinho e ainda levamos com estes incompetentes em cima. Os culpados estão muito bem identificados: os interesses que sequestraram os partidos e o país: mota-engil, sln, bpp, bpn, bcp, bes, bes e bes, aventais, aventais e aventais. Os palhaços que estão nos partidos estão lá porque não têm onde cair mortos e por isso dispõem-se a tudo para servir os senhores salgados, proenças, motas, etc. O grande culpado nestes últimos acontecimentos é só um: o supernabo, o azelho, o grandecíssimo totó do passos coelho. Para mim é um mistério como é que um gajo que nunca fez mais nada na puta da vida senão política é politicamente tão morcão. Um desastre ambulante.

era uma vez um país disse...

haja pachorra de facto. O Passos, como antes o Guterres, o Sócrates, o Durão e o Lopes, só para citar os mais recentes chegaram ao poleiro como ? PELO VOTO. e toda a gente achou 'normal'. se era 'normal' então, o que se está a passar agora também, por transitividade, tem que ser visto como normal... cada um tem aquilo que merece.

Pedro Lopes disse...

Ai os mercados!!!!
Xiu!!!! Senão eles ficam assustados.

A escumalha capitalista em pouco difere da escumalha marxista.
Ou a escumalha é a mesma. Usa apenas duas faces para iludir a massa acéfala.

Pagar impostos para estes irem parar ao bolso dos grandes banqueiros!!! não, obrigado.
E eles agradecem chamando-nos malandros e pouco produtivos.

A escumalha da Banca(os tais mercados) um dia vai chegar o dia deles. E não vai ser nada bonito de se ver.

atrida disse...

Edificante:
http://sol.sapo.pt/inicio/Politica/Interior.aspx?content_id=78993

hajapachorra disse...

Pelo voto?! Tem a certeza? Eu não tenho. Não nasci ontem. Eu não escolhi passos nenhum. Puseram-mo à frente para poder correr com o sócrates; eu não escolhi sócrates nenhum puseram-no diante para corrermos com o santana e assim.

S.T. disse...


Antigamente , nas notas de banco , advertiam-se os falsários : « a contrafacção é punida com prisão» . O único problema deste país é a impunidade , a Justiça fez-se refém desta gente por omissão .

josé disse...

"O único problema deste país é a impunidade , a Justiça fez-se refém desta gente por omissão."

"Eles" fizeram as leis para passarem entre os pingos da chuva. Só não passam quando a chuva é muito miudinha e é de molha parvos...

josé disse...

O caso Isaltino é o exemplo concreto.

S.T. disse...



Até quando, José ? Até quando ?

josé disse...

Até ao momento em que sejam presos meia dúzia "deles", desses mesmos que se escapam sempre na impunidade e até aparecem na televisão convidados da Ana Lourenço ...

era uma vez um país disse...

sim, sim, e no campo pequeno (como se coubessem lá todos). o problema acaba quando a impunidade (social) acabar. Acaba, acaba. [o problema é intrinsecamente moral e social, não é judicial - nunca em lado menhum se reformou uma sociedade (víctima de anomia colectiva) por decreto ou por via judicial ...]

Kaiser Soze disse...

Para ser honesto, ando à toa com isto.
Não consigo entender, exactamente, o que se passou.

Das notícias que um gajo lê até o imopssível parece estar a passar-se: o CDS está em pé de guerra contra o líder (apesar de ontem ter ouvido um dos Deputados, cujo nome não me lembro) a dizer que Portas é o melhor Presidente do CDS de sempre...o que, bem vistas as coisas, corrobora a minha impressão de guerra civil.