Páginas

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Muita fruta para Machete

Público:  



Quando em Julho foi para o Governo ocupar a pasta de ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete teve de deixar as funções que desempenhava, há vários anos, em 30 organismos, onde se destacavam três grupos bancários, mas também outras sociedades, fundações, comissões, para além do escritório de advocacia PLMJ, onde era consultor, conforme comunicou a semana passada ao Tribunal Constitucional (TC). Em 2008, por exemplo, Machete sentou-se em órgãos sociais não-executivos da CGD, do BCP e do BPI, cargos que acumulava com a presidência do Conselho Superior da SLN (apenas consultivo), a holding que controlava o BPN, e a vice-presidência do conselho consultivo do BPP.
Na declaração de rendimentos entregue ao TC, a 18 de Setembro, o advogado e ex-presidente da Fundação Luso-Americana indicou que, a 23 de Julho deste ano (quando entrou para o Governo), deixara de estar ligado a 17 sociedades onde exercia cargos sociais não-executivos. Também abandonava, por exemplo, três fundações, Millennium/BCP, Mário Soares e Oliveira Martins, assim como a actividade de docente em duas faculdades, Universidade Católica Portuguesa e Lusófona, e as comissões de revisão do Procedimento Administrativo e da Luta Contra a Sida e o Banco Alimentar Contra a Fome. Nalgumas destas instituições, esteve a colaborar sem intuitos lucrativos e na sua qualidade de cidadão. Na informação enviada ao TC, o ministro não faz menção à ligação à FLAD, que liderou entre 1988 e 2010, por já lá não estar quando foi para o Governo.
Rui Machete reportou também que até Julho esteve ligado, sem funções executivas, mas em lugares de relevância em termos da governação, a várias empresas como a EDP Renováveis (presidente da mesa da assembleia geral), a Lusenerg (presidente do CA) e uma sua subsidiária, a Generg (presidente da mesa da assembleia geral e presidente da comissão de fixação de remunerações). O governante esteve ligado ainda ao Taguspark, onde presidiu ao conselho fiscal, e para onde entrou em 1992, e à Saer (Sociedade de Avaliação de Empresas e Risco).
A sua actividade profissional na década passada ficou marcada pela presença em várias instituições da esfera financeira, como a Companhia Portuguesa de Rating, a Sociedade Gestora de Fundos de Pensões ou as seguradoras do grupo BCP (Seguros e Pensões Gere, Ocidental Vida e Não-Vida, BCP Fortis, Médis, BCP AGEAS Seguros). No caso da banca, Rui Machete exerceu cargos sociais na CGD (público), no BCP e no BPI. Num determinado período, o social-democrata acumulou mesmo funções em cinco bancos. Entre Abril de 2005 e Julho deste ano, presidiu à mesa da assembleia geral do BPI, em 2008, esteve à frente do conselho fiscal do BCPI e foi administrador do romeno Banca Millennium (grupo BCP). Nesse ano, na CGD Machete detinha a vice-presidência da assembleia geral. Mas no início de 2009 [dados que não constam do reporte ao TC por já lá não exercer funções] o ministro ocupava cargos em mais dois grupos bancários, a SLN (BPN) e o BPP, ambos alvo de intervenções estatais, após se terem detectado graves ilicitudes.
 

 De todas estas corporações, avulta uma pequena firma de exportação de... frutas - isto se a lista abaixo indicada for verdadeira, porque pode ser apócrifa e a carecer de confirmação.
A Portfruit-Sociedade Portuguesa de exportação de frutas, Lda, seria uma sociedade por quotas cujo sócio-gerente era...Rui Machete. Na Rede não há qualquer referência à sociedade pelo que sendo verídica a informação só pode tratar-se de uma micro-empresa exportadora. A curiosidade, porém, mantém-se. Não haverá ninguém que a posssa satisfazer, nos jornais, de preferência?

8 comentários:

foca disse...

Fico sempre espantado com a quantidade de cargos que alguns génios conseguem acumular.
O outro conde que namora uma espanhola rica parece que tinha uns 70 em simultâneo.
Quantas horas terá o dia destes indivíduos?

Kaiser Soze disse...

Muitos destes cargos de consultadoria e coisas que tais resumem-se, em grosso, a almoços, jantares e telefonemas.

Em certos lugares chamam-se lobbies em outros tráfico de influências.
Não roubam muito tempo...

zazie disse...

Estranho. tem o memso nome de uma grega

zazie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
silviasantos2323 disse...

A SIC, Ricardo Costa e Isabel Alçada vão ás escolas falar sobre a censura do Estado Novo, no ambito de um novo projecto coordenado, entre outros, pela mulher de Balsemão.

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2013/09/27/sic-esperanca-e-rede-de-bibliotecas-escolares-lancam-concurso-sobre-liberdade-de-expressao

http://sic.sapo.pt/online/sites+sic/sic+esperanca/projectos/Cidadania/lers.htm

Pinto Balsemão penso que não acumulará dezenas de cargos, como Machete e outros.

josé disse...

O Ricardo Costa é um imbe...perdão, perco-me com este palerma.

P. disse...

Portfruit
Procurei aqui: http://publicacoes.mj.pt/
e deu isto: "Não foram encontradas publicações para o critério de pesquisa especificado".
Curiosamente, depois desta busca, perdi o acesso ao serviço.

josé disse...

Por quero acredita que se a informação for verdadeira se tratará de uma pequena empresa familiar com nome pomposo. Apenas. Mas...