Páginas

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Julgamentos por fazer, há muitos...

 Económico:

O ex-ministro das Finanças recordou hoje que o antigo primeiro-ministro empurrou Portugal para uma situação difícil e que deveria ser julgado por isso.

Em entrevista à 'Antena1', Eduardo Catroga defendeu que o antigo chefe do governo "devia estar definitivamente enterrado e até devia estar a ser julgado pelos erros de gestão".
"Estamos perante uma tentativa de lavagem política de José Sócrates que levou o País à falência", reforçou o responsável escolhido pelo PSD para negociar o programa de resgate financeiro da troika no início do Governo de Pedro Passos Coelho.
Catroga comentou também uma notícia avançada hoje pela imprensa, segundo a qual Sócrates teria convidado Passos Coelho para vice-primeiro-ministro no seu segundo Governo, dizendo que "um bloco central com José Sócrates nunca seria viável" porque ele "não tem vocação para coligações".

Julgado pelos "erros de gestão"?  Isso seria viável num país em que a Esquerda fosse aprendendo com os "erros de gestão" . Por aqui, não só não reconhecem qualquer "erro de gestão", como continuam a acreditar que a receita deles era a melhor.
Portugal enfrentou três bancarrotas por causa de quem e de que erros? Não perguntem à Esquerda: a culpa é da "direita" e agora, do "neoliberalismo". Aliás, para o pateta que anda a acolitar o dito, sem tento na língua que podia e devia ter a culpa é deste governo. O mesmo pensa a imensa luminária que dá pelo nome de Estrela, no firmamento socialista. É ver pelo recorte abaixo...
Em 2003-2004, altura do processo Casa Pia em que o PS esteve quase para se desfazer em pó de perlimpimpim por causa de uns putos, o mesmo pateta esteve calado que nem um rato. Só muitos meses depois disse qualquer coisa, melhor balbuciou algo sobre a investigação. Ainda assim, nunca ninguém lhe perguntou nada sobre o assunto, mormente o seu pretenso amigo Carlucci.
Ainda vão a tempo...
Sobre o Lula brasileiro, conviria lembrar o "mensalão". Ainda não acabou. Agora é a Odebrecht, como haverá por aí mais coisas. Lula é fixe, como o outro era. Os socialistas, aliás, são sempre todos fixes e por isso os media nacionais, todos fixes também, deixam-nos em paz e sossego. Actualmente há apenas o Correio da Manhã para lhes estragar a "festa", mas lá virá o tempo doutra investida, para aplainar dificuldades. Já esteve mais longe e o Estado de Direito, como se sabe desde Pinto Monteiro e Noronha Nascimento, aguenta bem estas coisas.

11 comentários:

Floribundus disse...

alguém se referiu recentemente
'ao panteão das inutilidades políticas que têm governado os países'

a rede só apanha peixe pequeno

mujahedin مجاهدين disse...

Não compreendo, porque é que o bandido Soares chama 'de Coimbra' ao bandido Sousa?

josé disse...

Porque está "lelé da cuca", como dizia o outro figurão que sobrevoa sempre o regime...

JC disse...

A única relação que o bandido Sousa tem a Coimbra, que saiba, é ter frequentado nesta cidade o ensino politécnico, onde concluiu o curso de engenheiro técnico - único que realmente terá tirado "à séria".

Floriano Mongo disse...

José, a esquerda não aprendeu nem nunca vai aprender nunca, porque isso contrariaria o seu código genético.
Lenine tinha uma máxima “Acuse-os do que você faz, insulte-os do que você é”. Esta herança perdura até hoje e explica muito do comportamento desta gente.

Lenine expõe o seguinte princípio, com o seu cinismo habitual:
“É errado escrever sobre os companheiros de Partido numa linguagem que sistematicamente dissemine entre as massas trabalhadoras o ódio, a aversão e o desprezo àqueles que sustentam opiniões divergentes. Mas pode-se e deve-se escrever nesse tom sobre organizações dissidentes...”
Neste caso, prossegue Lenine, deve-se falar numa linguagem “calculada para despertar contra o oponente os piores pensamentos, as piores suspeitas; não para corrigir-lhe os erros, mas para destruí-lo, para varrer a sua organização da face da Terra”.

Ou seja: o direito a uma discussão honesta é privilégio dos fiéis da seita. Contra os inimigos, vale tudo: não somente o militante despejará sobre eles todo o arsenal de falácias que no debate interno seriam cuidadosamente evitadas, mas ainda recorrerá à calúnia, à difamação, à intimidação, ao boicote e à chantagem, com a consciência de quem estivesse a ser até justo e generoso demais para com adversários que, em melhores circunstâncias, ele teria a obrigação de destruir.

O princípio leninista da dupla moral não vigora apenas em Cuba ou na Coreia do Norte, mas foi sendo repetido, sob diferentes formas, pelas esquerdas em Portugal e em todo mundo, tornando-se uma prática habitual.

zazie disse...

Muito bem lembrado, Floriano Mongo

Kaiser Soze disse...

A Edite Estrela, como uma outra que agora o nome não me ocorre mas parece uma pequena boneca sexagenária, tem o condão de ser mais susceptível a uma brisa do que um cata vento e, agora, o vento socialista vai na direcção contrária à do Seguro.

O Lula tem de diferente de Sócrates um deficit de dedos e ter, de facto, trabalhado num momento longínquo da sua vida.

Quanto à candidatura do Sócrates a PR não me parece que aconteça. O que ele quer é retomar, meio na sombra, o poder dentro do PS.
O facto do passado dele estar a ser branqueado, ou melhor, o sucesso no branqueamento do seu passado deve-se a coisas como o Guião da Reforma do Estado.

Kaiser Soze disse...

(Maria de Belém, lembrei-me! A boneca em causa chama-se Maria de Belém.)

Unknown disse...

Também conhecida, "in illo tempore", por Barbie dos 300.
Ainda não tinham aparecido as lojas chinesas...

zazie disse...

ahahahahah A Barbie dos 300

Kaiser Soze disse...

"botei fé", agora, que vem nesta página uma notícia da visita de Ana Gomes ao Irão.

Sempre que leio "Ana Gomes" lembro-me que se os indonésios não tivessem atacado Timor evitar-se-iam duas desgraças: não teriam morrido timorenses no massacre e ainda hoje não saberíamos quem é Ana Gomes.