Páginas

domingo, 24 de novembro de 2013

$13 billion, o preço do abuso dos JPMorgan. E por cá, é de graça?

Frontline:

JPMorgan Chase has agreed to a landmark $13 billion civil penalty to resolve an array of state and federal investigations into the sale of risky mortgage products in the run-up to the financial crisis.

The agreement, announced Tuesday, represents the largest penalty ever levied against any company, and follows years of criticism that the U.S. has not been aggressive enough in its response to the crisis. Authorities have come under fire for being too lenient in recent Wall Street settlements, but in its agreement with JPMorgan, the government has won a penalty worth more than half of the firm’s 2012 income.

“Without a doubt, the conduct uncovered in this investigation helped sow the seeds of the mortgage meltdown,” Attorney General Eric Holder said in a statement. “JPMorgan was not the only financial institution during this period to knowingly bundle toxic loans and sell them to unsuspecting investors, but that is no excuse for the firm’s behavior.”

Below is a breakdown of how the agreement compares to other major settlements reached in the five years since the meltdown.
 
Por cá, os eventuais responsáveis pelos desmandos e "roubalheira" sob a forma de "swaps", ppp´s e  empréstinos à tripa forra para se pagarem depois, andam aí. Alguns andam às turras dentro da família. Outros, andam muito caladinhos. Outros ainda, foram para os governos.

2 comentários:

Maria disse...

"É a dos democratas que só permitem o seu discurso como válido. E para afastar o outro, chamam-lhe nomes feios e inventaram de raiz, uma nova linguagem. Aos jovens não fará mal algum conhecerem a antiga e comparar com a actual".

Parabéns José por tão reveladores quão preciosos documentos, que serão testemunhos incontestáveis da verdade histórica a que recorrerão os vindouros (como já o está a fazer esta geração) e não da mentira despudorada com que desde há quarenta anos a esquerda apátrida nos tem andado a impingir à força.

Não só não fará mal aos jovens de hoje conhecerem uma nova linguagem - afinal muitos deles irão ser os políticos d'amanhã que, em comunhão com milhões de outros portugueses, nos irão devolver a soberania, a independência, a dignidade e a honra perdidas - como, importantíssimo, conhecerem a VERDADE sobre o que efectivamente foi o regime anterior. Verdade que nos tem sido criminosamente escondida pela esquerda traidora e mentirosa com o único propósito (hoje sabe-se isto à saciedade) de atingir os fins obscuros que desde sempre os norteou, tanto enquanto na oposição ao Estado Novo como já e desde a primeira hora em que pisaram solo português, nesta situação trágica e miserável a que a malvadez sádica que os habita conduziu o país.

Honra seja feita aos jovens patriotas do presente, que lutam, certamente a exemplo dos seus próximos e trilhando os passos dos nossos heróicos ancestrais, por conservar os altos valores pátrios herdados dos nossos Maiores, transmitindo-os intactos às futuras gerações.

Maria disse...

Peço desculpa, por distracção enviei este comentário para a caixa errada. Como se depreende, ele refere-se ao texto posterior do José.