Páginas

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Mário Soares, criminoso comum


Mário Soares acabou há minutos de incitar o povo português à violência contra o Governo e o presidente da República. Fê-lo implicitamente, citando a hipótese abstracta e enroupando o desejo numa hipotética atitude de violência decorrente da não demissão do Governo legítimo que está e do presidente da República legitimo que está.

Esta atitude configura um crime público que o Ministério Público tem o dever de averiguar, instaurando um inquérito. Portugal é um estado de direito em que todos os cidadãos são iguais perante a lei.
O inquérito deverá fazer-se para averiguar se Mário Soares não padece de anomalia psíquica.

Porém, suponho que mais uma vez a condescendência habitual com este personagem e com a generalidade das pessoas de esquerda em Portugal, dará nos comentários desculpabilizadores e arredondados na relativização do comportamento, objectivamente criminoso. É o que vai acontecer. O contrário seria escandaloso e não estou a ver ninguém no MºPº português com coragem para fazer o que devia ser feito, o que aliás nos dá igualmente uma imagem do país que somos, em que um indivíduo deste jaez se dá ao luxo de incitar publicamente a uma violência latente que o mesmo deseja ver concretizar-se apenas com objectivos políticos de conquista de poder para a sua tribo.

O crime é este:

 Artigo 326.º
Incitamento à guerra civil ou à alteração violenta do Estado de direito

1 - Quem publicamente incitar habitantes do território português ou forças militares, militarizadas ou de segurança ao serviço de Portugal à guerra civil ou à prática da conduta referida no artigo anterior é punido com pena de prisão de 1 a 8 anos.
2 - Se o facto descrito no número anterior for acompanhado de distribuição de armas, o agente é punido com pena de prisão de 5 a 15 anos. 


  
ADITAMENTO em tempo:

O Expresso de hoje, Sábado, prefere este, mais suave:

 Artigo 330.º
Incitamento à desobediência colectiva

1 - Quem, com intenção de destruir, alterar ou subverter pela violência o Estado de direito constitucionalmente estabelecido, incitar, em reunião pública ou por qualquer meio de comunicação com o público, à desobediência colectiva de leis de ordem pública, é punido com pena de prisão até 2 anos ou com pena de multa até 240 dias.
2 - Na mesma pena incorre quem, com a intenção referida no número anterior, publicamente ou por qualquer meio de comunicação com o público:
a) Divulgar notícias falsas ou tendenciosas susceptíveis de provocar alarme ou inquietação na população;
b) Provocar ou tentar provocar, pelos meios referidos na alínea anterior, divisões no seio das Forças Armadas, entre estas e as forças militarizadas ou de segurança, ou entre qualquer destas e os órgãos de soberania; ou
c) Incitar à luta política pela violência.

32 comentários:

zazie disse...

Não se percebe este bandalho.

A sério. Nem o Seguro quer isto.

E nem o PS devia querer. Rais parta o fóssil.

JC disse...

Já nem sei o que sinto ao ouvir este velho "chéché".
Vergonha, talvez.

Vergonha e nojo, principalmente, por ver os merdia todos a prestarem-lhe vassalagem, como se ninguém reparassse na figura ridicula que este palhaço faz.

Internem o homem, por favor.

hajapachorra disse...

Nem o 'rei' morre nem a gente almoça. O nosso rei, repetiu babado o barão foi fado, esse grande amigo do dr. Cunhal.

Floribundus disse...

'por muito menos já outros foram empurrados da janela'

'José, Amigo! o Povo está contigo!'

proponho para título do seu livro
'Avis rara sobrevoando a lixeira'

o toshiba funcionou

Fernando Tavares disse...

Como diz muito bem José este tipo é criminoso e não só ele Vasco Lourenço afirmou que se o governo não sair a bem sai à paulada...Inacreditável num país que se diz democrático.
Proponho que passem os olhos por este artigo assinado por mim:
http://portugalglorioso.blogspot.pt/2013/11/mario-soares-elogiou-hoje-o-sentido-de.html

Carlos disse...

"Portugal é um estado de direito em que todos os cidadãos são iguais perante a lei."

José,está a falar de que país?

Quanto à iniciativa de Mário Soares, entendo-a como uma das formas mais duras de fazer política.
Gostei da intervenção de Carlos do Carmo, que, não poupou o próprio Mário Soares, e responsabilizou toda a esquerda (estúpida)pela governação que temos.

Carlos disse...



"1 - Quem publicamente incitar habitantes..."

José,

E, quem avisar das consequências que podem resultar da governação existente, serão condecorados no próximo 10 de Junho? e, entre alertar e incitar não há diferença?

Nota: isto, sou só eu a pensar!

Fernando Tavares disse...

Sr.Carlos das 10:44
Será que considera AVISAR um indivíduo que diz:

Vasco Lourenço Governantes "ou saem a tempo ou vão ser corridos à paulada"

Será um aviso ou uma "proposta" à violência contra um governo legítimo? Não será mais uma espécie de golpe de estado?
Seria interessante reflectir sobre a governação de José Sócrates e que responsáveis do PSD e do CDS tivessem dito metade do que o inimputável Mário Soares tem dito!
Caia o Carmo e a Trindade

JC disse...

Já andava com saudades do Carlos...

Deve-se estar a fazer ao piso para receber uma comendazinha no 10/6, quando os traidores da Pátria voltarem ao poleiro.

Carlos disse...



"Será um aviso ou uma "proposta" à violência contra um governo legítimo?"
Sr. Fernando Tavares, e a governação é legítima? ou seja, está de acordo com as propostas sufragadas?
Quanto aos anteriores protagonistas, já exprimi as minhas opiniões.

JC

"Olhe que não, olhe que não!" Gosto muito do tema do Rui Veloso sobre o tema.

Cumprimentos a ambos.

Carlos disse...

Ops!

...sobre a data.

Joaquim Carlos disse...

Não é impressão minha, Mário Soares deseja mesmo que Cavaco morra e torce por que Passos seja assassinado, num linchamento, e por isso anuncia a violência em praça pública, violência consentânea com os seus desejos, capaz de executar aquilo que confabula, ignorando que é na Venezuela que o caos e a fome grassam, sob um líder incompetente e louco, Maduro, e é às portas de Paris, precisamente contra um governo socialista, que a indignação de agricultores privilegiados explode e já causou um morto. Nunca se assistiu a tal monstruosidade na nossa Democracia. A instigação do Mal, a Porcandade da Desgraça anunciada e desejada ardentemente, o caso de ódio pessoal transformado em dramatização pública.

Chamem Eanes. O que pensará ele desta espécie de ante-25 de Novembro?! Em que Democracia acredita realmente o Dr. Soares? Naquela que ele possa controlar, não é?! Naquela que se ajoelhe perante si, claro.

Amanhã, estou certo, o Dr. Soares estará emboscado nas imediações de S. Bento, sob as folhagens, à espera de uma oportunidade.

josé disse...

Aí está a contemporização, a desculpabilização...o costume, sempre.

Floriano Mongo disse...

Mário Soares é daquele tipo de político que se serve da democracia para emporcalhá-la.

Soares é um amoral. Para ele vale tudo desde que isso resulte em algum benefício para si ou para os seus. Assim, dependendo das circunstâncias, o crime até pode ser uma coisa aceitável.


A democracia não é só um regime de alternância e de maioria. Também é um regime de valores. Como se vê Soares não é do tipo que lida com valores.

Quem considera a apologia do crime liberdade de expressão ainda acabará a confundir liberdade de expressão com um crime.

S.T. disse...


De criminoso comum tem ele muito pouco . O Pinócrates também promete , é deixá-lo espigar...

foca disse...

S.T.
Porque será que o Pinócrates não apareceu?
Ainda por cima o rapaz agora é quase Doutor em tortura em democracia ou tortura democrática ou ainda em democracia tortuosa (não sei bem que o meu francês é fraco).
.
E a entrada trinfante do Costa depois do velho se ter calado, terá alguma leitura?
.
O abraço do Arnaldo Matos é a vingança do Marcello Caetano, vista lá de cima.

Lixa disse...


Tem que perguntar ao Carlinhos , que ele percebe desses assuntos - afinal de contas é o tasqueiro lá na concelhia do Rio Tinto ( só não foi ao beberete da aula magna , porque estava a servir num casamento ) .

( Agora mais a sério : estou em crer que a próxima promoção pessoal , digo , entrevista , que o canal público lhe faz com o patrocínio de nós todos , há-de responder à suas dúvida. )

Zé Luís disse...

Não há é jornalistas, e reportagens, em vez de emitirem em directo um "putsch" hertziano e pífio, a lembrar, como o José faz, o que foi MS como PM em tempos de intervenção externa.

Outro galo cantaria, mas quem tem cu tem medo.

S.T. disse...


lol

:)

S.T. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Floriano Mongo disse...

Sem qualquer pudor, Mário Soares expõe ao país a sua miséria intelectual e moral. Ao apelar para a violência, cabe perguntar-lhe: deveria a sociedade aceitar o crime como forma de expressão política?

Essa é a lógica que justifica o terrorismo: recorre-se à violência porque, de algum modo, os potenciais alvos da barbárie seriam os verdadeiros responsáveis pelos males que passam a afligi-los.

É preciso que Soares não se esqueça, se houver violência, ele torna-se, co-responsável moral pelo que daí possa advir.

Mário Soares, o “new kid black blok” revela que ainda não aprendeu as fronteiras entre o legal e o ilegal, entre o violento e o pacífico, entre o certo e o errado.

Envelhecer, envelhecemos todos. Alguns, bem; outros, muito mal. Alguns põem a serviço das novas gerações e das que virão a única vantagem inequívoca que traz a idade: a experiência.

A velhice deste senhor é um naufrágio. E é um naufrágio não porque ele tenha 88 anos. Está no pleno gozo de suas faculdades mentais.
Mas porque é intelectualmente doloso, ideologicamente vigarista e agora activamente criminoso.

Soares já me irritou com as suas tolices. Desta vez, sinto é pena. Ter de apelar à violência para ser notícia é a prova inequívoca do seu naufrágio.

Green Lantern disse...

Aqueles anormais na Aula Magna apenas representam 5% do eleitorado, no entanto pretendem que um governo eleito com mais de 50% seja demitido. Mas que bela lição de democracia é melhor irem-se embora senão, ao melhor estilo da revolução vermelha.

Há um país que trabalha e produz e há outro que anda à cata da mama do estado. O triste são alegados agentes da autoridade aos quais foi conferido um distintivo e arma para velarem pelo estado de direito comportarem-se como vulgares anarcas e toda a gente achar normal. Um agente de uma força policial não é um funcionário público que anda a limpar a rua ou a fazer registos é mais do que isso tem um dever perante o estado de direito. Se não tem capacidade para cumprir esse dever não pode ser um agente de autoridade.

Só se indignam por terem uns cortes e como tal tem de fazer gratificados para ganhar mais, bem vindos ao mundo real onde os funcionários do privado, ou os trabalhadores independentes pagam impostos e não bufam.

Gostava de os ver no privado sem depender da teta estatal a sério que gostava.

Quanto aos congressos da esquerdam esqueçam aquilo, só os merdia lhes dão importância que não têm. O mundo real onde se trabalha e que têm levado este país para a frente há muito que ignora estas quimeras que nunca tiveram de apresentar serviço para serem pagos, limitam-se a extender a mão ao estado.

Um abraço

Carlos disse...

Outra vez!...

A Dr. Lixa quer conversa, ou sugere mesmo, que lhe passe a lixa pelo corpo? hummm...deve ser interessante!
Isto, pelo mau desempenho do Senhor Tótó, certamente.

Zé Luís disse...

Quanto à incitação à violência, do Chulares, alguma vez lhe sucederá como ao Jesus que tantas fez: castigo que, ao menos, o leve a calar-se, para em da saúde pública.

Vejam só o sossego por o grunho do Benfica ter de ficar calado um mês... enquanto o líder da "instituição" aparece como devedor ao BPN (17ME) e o Estado a arcar com a "responsabilidade".

Chamam a isto "o regime".

lusitânea disse...

Tenho que telefonar para o 112 para me entregar.Ando a defender que o regime deve ir abaixo por nitidamente não governar os PORTUGUESES nem cuidar do INTERESSE NACIONAL...

lusitânea disse...

Os futuros golpistas podem ter uma certeza:serão aplaudidos por multidões como sempre tem acontecido!

lusitânea disse...

Quanto ao Vasco das pauladas quem é que ele arranja para dar as cacetadas?A brigada do reumático?

S.T. disse...


Ui , ficou lixado !
:)

Faço eco das palavras do comentador «haja pachorra» ( ri-me muito ) : « ver ali juntos o grande educador da classe operária, o garcia pereira, o camarada pacheco, o soco do vitor ramalho, o boss e o sacristão do campo grande é quase como ir ver uma exposição da paula rego. »

Lol

Lura do Grilo disse...

Gerontocracia do golpe de estado de abril e de quem se enriqueceu com o golpe de estado

Maria disse...

Quando vejo este sem vergonha, Ferro Rodrigues, seja em directo nas televisões ou em fotos nos jornais, sinto uma agonia e uma repugnância tais que sinceramente nem palavras tenho para as adjectivar com o rigor merecido.
E nesta foto, ainda por cima, como o faz por todo o lado em que se encontra com os comparsas iguais a ele próprio nos depravados comportamentos cívicos e morais (vide os abracinhos apertados e festinhas calorosas no pescoço do seu queridinho Paulo Pedroso, visto à exaustão nas televisões), a abraçar o Soares, outro que é fresco, seu protector incondicional... Verdadeiramente inacreditável!
Sendo este sabidão um conhecedor profundo da vida dupla que aquele verme levava, nada fêz para o afastar da vida política e muito particularmente travar-lhe os vícios execrandos praticados na vida privada, relegando-o, tal como a muitos outros camaradas iguais nas práticas criminosas, para as alfurjas do respectivo partido donde nunca deveria ter saído.

O mesmo me acontece quando vejo a filha deste cara-de-bull-dog na televisão e isto só de passagem porque mudo logo de canal. Não suporto ver a rapariga, que naturalmente não tem culpa nenhuma do pai que lhe caiu em sorte (ou azar), mas ela é a cara chapada do progenitor embora fisionòmicamente seja bastante melhorzinha para bem dela. Facto que, não lhe retirando as parecenças, traz-nos automàticamente à memória os crimes nefandos por que o pai foi acusado pelos jovens da Casa Pia.

Como diziam os antigos, os filhos pagam sempre pelos erros pelos pais.

Maria disse...

"... pelos erros dos pais".
Maria

Carlos disse...

José,

Passou ao lado? tendências!...