Páginas

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

O PREC de Mário Soares, o desmemoriado transformado em agitador social

Os três canais televisivos, a esta hora (21:25) estão em transmissão directa da Aula Magna, a mostrar um discurso de Mário Soares à boa maneira do PREC de 1975, no "Encontro das Esquerdas".
"O presidente e o governo devem demitir-se!" acaba de dizer Mário Soares.
E no discurso entaramelado (não conseguiu dizer de uma vez só CDS-PP) apela implicitamente a violência, dizendo que "é melhor que saiam agora, enquanto é tempo, pelo seu próprio pé" e outros mimos que são simplesmente um apelo criminoso e punido no Código Penal. O incitamento à violência, deste modo, é a prova que Soares perdeu a memória, o pudor e a qualidade que alguns lhe davam: a moderação.

Soares, desde que teve aquela encefalite endoidou. Está irreconhecível e nem se lembra do que passou em 1985...

Vamos lá lembrar, outra vez para que este "Encontro das Esquerdas" tenha mais encanto:



A prestação de um fadista, Carlos do Carmo, presente na mesa, é arrasador para Soares: lembra o Soares primeiro-ministro que não deixou saudades e conta a anedota real de nos conselhos de ministros adormecer quando os seus ministros começavam a discutir " as verbas" do Orçamento. Exemplar. Soares ao ouvir isto, ri-se. É que isto é de rir, de facto...
Porém, não se deve ter rido quando o fadista evocou a figura de Ramalho Eanos como pessoa de prestígio e valor. Ramalho Eanes não há muito tempo, lembrou o livro de Rui Mateus como o exemplo dos factos que Soares não quer lembrar...
O Pacheco, o Pereira está lá, na mesa de honra todo contente. Está aqui está no Bloco Livre a rememorar os tempos da OCMLP...
O Freitas, do Amaral, também convidado e arrolado,  desistiu à última. Restou-lhe um pingo de pudor. Ainda bem. Conta-se com o mesmo para a presidência da República...

À margem do encontro, mas televisionado em simultâneo, a manifestação das forças de segurança junto da A.R. mostrou os polícias a galgarem as escadas do edifício da A.R. numa atitude inédita e que os colegas que estavam lá para tal impedir, nada fizeram. E fizeram bem.
Quem ficou mal foram aqueles que galgaram as escadas. No futuro, ficam sem autoridade para impedir seja quem for de o fazer...o que é triste e desnecessário.

Em tempo: A SICN da inefável sonsa Lourenço tornou o acontecimento em happening. Ao ouvir Pacheco Pereira, o repórter Manuel Mestre comenta para o espectador ouvir: "demolidor". De facto. Do jornalismo isento e imparcial. A SIC é de quem?

E acabei de ver um abraço sentido e demorado a Mário Soares, de um antigo "líder da classe operária"  de seu nome Arnaldo Matos.
Que surreal!

12 comentários:

Zé Luís disse...

Tristezas não pagam dívidas? Até isto acumulamos, carago!

NFC disse...

Dou muito. Sempre vos doeu.

NFC disse...

Dou muito. Sempre vos doeu.

hajapachorra disse...

Honra seja feita a Francisco Assis que na tvi 24 criticou a pessegada da aula magna e, mais, disse que nunca poria lá os pés. É das poucas coisas que se aproveita no ps e no psd.

hajapachorra disse...

De facto ver ali juntos o grande educador da classe operária, o garcia pereira, o camarada pacheco, o soco do vitor ramalho, o bss e o sacristão do campo grande é quase como ir ver uma exposição da paula rego.

Maria disse...

Vi bocados do discurso desbocado de Soares e de C. do Carmo. Um perfeito horror. Soares, que só anda a dizer mal do governo e do presidente - quando o seu partido não está a governar e um dos seus a presidir à República, como é evidente - e a apelar ao seu patriotismo(!!!) e em querer salvar o país com 900 anos, que cairá na desgraça se o presidente e o governo não se demitirem(!!!), anda a incitar à violência não sei há quanto tempo e continua a fazê-lo mês sim, mês não, impunemente. Hoje então (des)afinou que se fartou pelo mesmo diapasão. Este homem, que foi quem mais mal fez a Portugal desde que o nosso país existe, com a sobranceria e hipocrisia que lhe são intrínsecas, tem a supina lata de dizer o que de mais criminoso lhe vem à cabeça sem que nada lhe aconteça. Claro que o faz porque está protegido pela seita maçónica mundial, a mesma que o colocou no poder. Se fosse um político de direita ou um ex-governante do CDS, de um do PNR ou de um outro qualquer partido ou movimento de direita, pertencente ou não ao sistema, a dizer metade das baboseiras perigosas que ele disse, ia preso d'imediato e seria enxovalhado até ao fim dos seus dias. Criaturas sem vergonha como esta deviam enfrentar alguém que lhes limpasse o sebo. E não ao Passos Coelho e ao seu governo que não foram quem destruiu o país nem mandou matar milhões de portugueses inocentes.

Quanto ao cínico e oportunista C.do Carmo, que mamou na teta da outra 'senhora' anos e anos e viveu uma vidinha regalada de menino rico e anafado, repetiu vezes sem conta "eu que vivi e sei o que foi o faxismo", mais disse ter o 25/4 sido o dia mais feliz da sua vida. E disse ainda que viu a "pobreza e o obscurantismo que se vivia no faxismo", não podendo "esquecer a democracia que nos trouxe finalmente a liberdade"...(onde, está claro, se vive imensamente bem, sem violência, sem crimes, sem droga, sem corrupção, sem pedofilia, sem redes de tráfico de toda a ordem e feitio e sobretudo sem pobreza alguma e sem filas de milhares de pessoas de todas as idades e em todas as cidades do país à espera de uma sopa e de um naco de pão para matar a fome, sem um único desempregado, ah, já esquecia outras benesses que a democracia nos trouxe, sem milhares de vagabundos, sem milhares de pedintes a mendigar por tudo quanto é sítio, sem alcoólicos a tombar pelas ruas, sem milhares de drogados, uns a cair de podres outros a morrer em cada esquina.

De facto se tanta hipocrisia, mentira e maldade, matassem, estes democratas abjectos já estavam mortos há décadas. E era uma benção que tal tivesse acontecido. Quanta tragédia e sofrimento indescritível teriam sido evitados.
(cont.)

Maria disse...

(conclusão)

Se todos os dias do ano há crimes pavorosos que matam sem dó nem piedade gente boa e do mais inocente, a maioria jovens (como os que hoje estão a ser debatidos nas televisões, de um assassinato de uma senhora nova e de um jovem, os dois no mesmo dia e com pouca diferença de horas, cometidos pelo mesmo delinquente tresloucado e que só agora passados cinco anos se sabe quem os cometeu porque o próprio resolveu há dias entregar-se à polícia) que não fizeram mal a ninguém e muito menos a Portugal, porque que é que os 'democratas' que nos destroçaram a vida e o país a soldo do mundialismo, não são abatidos como cães raivosos pelos crimes gravíssimos cometidos?

Nota: O Soares, que enfiou o Cavaco no governo após a AD ter sido afastada do poder e Sá Carneiro assassinado e ambos fora do caminho como havia sido maquiavèlicamente programado, era todo delicodoce com ele, o novo ministro das finanças. Depois e enquanto aquele foi primeiro ministro continuaram os salamaleques e só dizia bem ou estava simplemente calado. Mais tarde e já Cavaco presidente, Soares manteve-se calado no primero mandato daquele e parte deste segundo. E só há pouco tempo lhe deu para começar a dizer o pior que é possível dele e do governo, com ameaças de revoltas e golpes de Estado por parte dos portugueses... caso eles não se demitam!

Que manobras diabólicas se escondem por detrás de tanto palavreado oco, cínico e falho de sentido, mas muito perigoso e principalmente, a pretexto de tanta ameaça nem sequer velada, o que estará a maçonaria a preparar secretamente desculpando-se com a revolta (pré-cozinhada e múltiplas vezes testada para obter sucesso, como é a norma) dos portugueses?

zazie disse...

Os fósseis numa de nostalgia revolucionária.

Que figurinhas.

murphy V. disse...

O espírito de Salazar esteve na Aula Magna.

Como classificar alguém que, tendo 15% dos votos, fala "em nome dos portugueses" e exige que quem foi eleito com mais de 50%, se demita?!


Como classificar a extrema-esquerda portuguesa que, representando cerca de 5% do voto popular, fala "em nome dos portugueses" e exige que os partidos que alcançaram maioria nas urnas, se demitam?!


São estes srs que se reuniram na Aula Magna que, entre apelos à violência umas larachas sobre patriotismo, vêm dar lições sobre democracia e alertar os portugueses que caminhamos para uma ditadura?!

Salazar, é que achava que o povo português não tinha o discernimento suficiente para saber o que era melhor para si – ele, e os “patriotas” que o rodeavam, ACREDITAVAM genuinamente que salvaguardavam melhor os interesses dos portugueses que os próprios - esta ideia foi o alicerce do Estado Novo!

Em vez de reconhecer e corrigir os problemas que nos trouxeram até esta crise, é mais provável que Portugal - pela cegueira ideológica de meia-dúzia de iluminados e de uma “pseudo-elite” da capital – caminhe para um buraco, para uma tragédia grega.


Isto sim, faz-me pensar se não será melhor emigrar…

http://jornalismoassim.blogspot.pt/2013/11/o-espirito-de-salazar-esteva-na-aula.html

a disse...

Alto. Os polícias que permitiram que os colegas «galgassem» a escadaria da AR, que legitimidade passam a ter para impedir que outros cidadãos o façam?

Parece que não é só «a esquerda» que só vê o que quer.

a disse...

Não deixa de ser engraçado ver salazaristas, de repente, muito preocupados com o que é democrático ou não.

Hahaha...

Aladdin Sane disse...

Famiglia.