Páginas

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Proença de Carvalho: mais um ( en) cargo.

Expresso online:

António Mosquito vai ficar com 27,5% do capital da Controlinveste, uma participação igual à de Joaquim Oliveira, até agora presidente do grupo. Esta distribuição de capital consta do memorando hoje assinado por ambos com os principais credores da Controlinveste - BCP e BES - e que também inclui a participação de Luís Montez na futura estrutura accionista, com 15%.

Os principais credores, BCP e BES, converteram dívida em capital, ficando cada um deles com 15%, apurou o Expresso. Segundo fontes contactadas, os bancos não vão indicar qualquer administrador, cabendo a cada um dos restantes três accionistas a nomeação de dois administradores cada um.

Os novos investidores convidaram o advogado Daniel Proença de Carvalho para ser o novo presidente não-executivo do conselho de administração da Controlinveste. A restante administração será "oportunamente comunicada", diz a Controlinveste em comunicado. 

Num comunicado interno, a administração da Controlinveste confirma o acordo para a operação e garante que a mesma "permite assegurar novas condições de capitalização do grupo" e "um novo plano de negócios devidamente sustentado a longo prazo".

O grupo Controlinveste é proprietário de títulos como o "Diário de Notícias", "Jornal de Notícias", "O Jogo" e "Dinheiro Vivo", além da rádio TSF.
A efectivação do acordo fica agora apenas sujeita ao processo de análise que entretanto será feito às contas da empresa e à "realização de todas as operações jurídicas inerentes".

Nisto tudo há duas ou três questões que gostaria de ver respondidas:

1. Proença de Carvalho, advogado de José Sócrates depois de ter sido advogado de outros famosos,  é o elo de ligação entre esta gente, porquê?
2. Proença de Carvalho o que vai fazer com o "amigo Joaquim"? 
3. Proença de Carvalho escreve segundo o novo "acordo" ou à antiga?

Por último: este Portugal, bastardo,  vai durar até quando?

4 comentários:

Karocha disse...

Já tenho o comunicado no meu mural, José.
Também lá está o gengo do Sr. PR.

Zé Luís disse...

Rever o Daniel à frente de um OCS, lembrando a projecção da então televisão católica, agora com um rufia angolano a meio patrão, deve ser lindo.

Os já deficitários JN, DN, O Jogo e a execrável TSF devem pular do abismo ou deixar-se empurrar para a inexistência.

E qual dos patrões vai liderar qual dos títulos?

A pergunta do milhão de dólares.

lusitânea disse...

Portugal bastardo?Nem isso:sobado de Lisboa!

Unknown disse...

Regime corrupto, de corruptos, para corruptos...