Páginas

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

As amplas ideias do PCP: social-fascismo

Leia-se este pequeno texto tirado ao Avante  do PCP:

"Em texto divulgado anteontem, que abaixo reproduzimos na íntegra, o PCP condena o golpe de Estado na Ucrânia e solidariza-se com os trabalhadores, o povo, o Partido Comunista da Ucrânia e os seus militantes.
«Perante a recente e dramática evolução da situação na Ucrânia, o PCP expressa a sua condenação pelo autêntico golpe de Estado levado a cabo pelos sectores mais reaccionários da oligarquia ucraniana com o apoio do imperialismo, após meses de desestabilização e de escalada de violência, desencadeadas com o anúncio da suspensão da assinatura do acordo de associação com a União Europeia, em Novembro passado.

«Os acontecimentos evidenciam a instrumentalização por parte das potências imperialistas da NATO – concertadas com as classes dominantes na Ucrânia – do profundo descontentamento acumulado entre os trabalhadores e amplas camadas da população, resultante do desastre social e económico da restauração do capitalismo na Ucrânia nas últimas duas décadas."

Agora lei-se este pequeno artigo e vejam-se as fotos tiradas da Visão de hoje:



O PCP nunca muda. Jamais mudou, desde 1974. Continua um partido fossilizado em ideias criminosas segundo padrões ocidentais e democráticos e que eles mesmo diziam combater no tempo do Estado Novo. São contra a Liberdade, em nome de uma opressão a que chamam precisamente isso, com um "s" a mais: Liberdades. E um adjectivo: Amplas.
O PCP é um partido que se poderia dizer fascista, segundo a sus própria terminologia. Sendo comunista, será social-fascista, como lhe chamava a extrema-esquerda do MRPP, in illo tempore

20 comentários:

Floribundus disse...

'o sol brilhará para todos os nós' górdios

diz-se que
tropas assaltaram a Crimeia
Putin concentrou militares na fronteira

o pc é como cão que ladra mas não morde porque a reacção partiu-lhe os dentes

S.T. disse...



«A voz do dono.»

Anibal Duarte Corrécio disse...

Ainda bem que assim é, ao menos não enganam.

Não mudou, não muda, nem mudará.

É um elemento corrosivo e enferrujador.

No entanto o caso dos estaleiros em Viana do Castelo constituiu uma derrota pesada.

A maior dos últimos anos.


Pedro Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BELIAL disse...

É carnaval, ninguém leva a mal
Mascaradas retro, venezianas, com um switch florentino..

mujahedin مجاهدين disse...

O discurso do PCP, por uma vez, adequa-se à realidade. Porque realmente não há muitas mais maneiras de descrever o que se passa na Ucrânia.

Até um relógio parado está certo duas vezes ao dia...

zazie disse...

É impressionante como não só pensam, como falam da mesma maneira.

lusitânea disse...

A ditadura do proletariado no seu melhor

mujahedin مجاهدين disse...

Não obstante à conclusão do postal, esse exemplo da Visão não mais faz que dar-lhes razão José.

É impressionante como os media alinham todos pela mesma bitola em certas coisas...

E logo aqui, neste paraíso de esquerda, é espantoso como a esquerdista Visão não tem uma palavra para o aberto ultra-nacionalismo dito neo-nazi e anti-semitismo de grande parte da chamada oposição "democrática"...
Gritam-se coisas como "Fora os russos e os judeus, a Ucrânia para os ucranianos"...
A teleSUR venezuelana só fala em "fascistas" e "neo-nazis". Andam lá a tentar preparar-lhes uma parecida...

Mas em Inglaterra, cai o Carmo e a Trindade porque um jogador faz uma "quenelle", da qual ninguém ouvira falar e mas que, de repente, toda a gente sabe que é "uma saudação nazi invertida"...

O mundo está cheio de quimeras... muito pouco faz já sentido e pode ser tomado à primeira vista...
Resta saber se as quimeras existem mesmo ou se não será defeito de vista...

josé disse...

O texto da Visão interessa pouco. O melhor são as imagens.


Será que os comunistas não sabem ver?

foca disse...

Os comunistas são levados de bebés para as manifestações e encontros Avante.
Por muito que lhes digam, só uma pequena parte conseguirá ver "fora da caixa".
A lavagem cerebral funciona, e eles sabem disso.

Cada crise como a atual é uma espécie de renovação de votos de fidelidade

foca disse...

José
Isso foi ontem.
Hoje a comunidade comunista já endureceu um pouco a linguagem. O novo poder da Ucrânia está a ser tratado como nazi, para consolidar a opinião das massas, e justificar as aventuras das forças armadas russas.

JC disse...

José:

Outro exemplo do partido fossilizado, agora a propósito da Coreia do Norte.

http://sol.sapo.pt/inicio/Politica/Interior.aspx?content_id=100412

mujahedin مجاهدين disse...

O novo poder da Ucrânia está a ser tratado como nazi, para consolidar a opinião das massas, e justificar as aventuras das forças armadas russas.

Foca, abra a pestana...

A Rússia já não é comunista. Bem pelo contrário.

A opinião das massas está mais que consolidada: em nome da democracia - dá para tudo - os EUA, mai-los sabujos da UE, andavam a pagar $2000 ao dia por manifestante lá na praça não-sei-quantos, andaram lá os Otpor (agora CANVAS, criados na Sérvia para deitar abaixo Milosevic, e que posteriormente actuaram na Geórgia, Ucrânia, Tunísia, Egipto, Irão e, hoje, novamente na Ucrânia e na Venezuela) a ensinar como é que fazem a subversão não-violenta, e israelitas ex-IDF a enquadrar a violenta.

O pseudo-bobo europeu (já quase só bohème, que bourgeois já há poucos) gosta muito de ver as revoluções de corzinhas pela democracia. Na realidade porém, não se trata senão de mergulhar países no caos para fins geo-estratégicos e/ou ideológicos: imperialismo, em suma.

Ser a favor desta abominação é ser a favor do internacionalismo, do poder sem cara e transnacional. É ser a favor da mesmíssima coisa que se censurava aos comunas.
Só porque os comunas dizem uma coisa, não significa que esteja errada ou que seja mentira. Pensar que sim é pensar como eles.

E agora diga-me: quem é mais aventureiro? A Rússia que age - moderadamente diga-se, muito moderadamente - dentro do que sempre foi a sua esfera natural de interesses geo-estratégicos e onde se encontram largas maiorias de russos, ou a NATO (i.é. os EUA) que pretendem instalar os seus sistemas de armas na soleira da porta da segunda maior potência mundial? Mai-los internacionalistas de serviço - e.g. Soros e cia. - que patrocinam tudo o que é lobby fracturante e não gramam nada o Putin da lei anti-propaganda homo e a influência da Igreja Ortodoxa?





foca disse...

Mujahedin

Que a Rússia já não é comunista poucos duvidamos, aliás nunca o deverá ter sido da forma que o PCP defendia.
O que é estranho é que "o amanhã que canta" nunca se viu em lado nenhum, mas por cá o nosso PC continue a defender a doutrina lenilista (e às vezes estalinista), entre apoios a Maduro e àquele cromo da Coreia do Norte.
.
Mas o que eu referia era outra coisa, que vem dos tempos da clandestinidade, que é a criação de chavões que depois são repetidos à exaustão por todo o aparelho, desde o comité central até aos controleiros (hoje em dia na pele de delegados sindicais).
É o pacto de agressão, e nos próximos dias serão os nazis da Ucrânia.

Maria disse...

Mujahedin, o que está em jogo na Ucrânia é tal e qual como o descreveu no seu comentário imediatamente acima.

Mas será que o povo ucraniano ainda não se apercebeu de quem está por detrás dos conflitos entre apoiantes do governo e revoltosos? Dos graves disúrbios e até dos mortos atingidos por snippers disfarçados de militares afectos ao (ainda, na altura) governo?

E será que com tantíssima informação de todo o género e feitio e inúmeros livros sobre os cataclismos artificiais que têm vindo a acontecer nos últimos anos por tudo quanto é país não 'democrático' (Tunísia, Egipto, Líbia, Síria, etc.) onde se descreve à minúcia qual a organização que está na origem de todos estes crimes gravíssimos contra países e povos pacíficos? Quais os métodos diabólicos usados e qual o objectivo satânico a alcançar com tais actos?

E será que uma larga percentagem (40%) do povo ucraniano que quer juntar-se à força à U.E., afastando-se da influência da Rússia - enquanto que arestante quer permanecer nesta - que acusa os governantes do roubo de toneladas d'ouro em reserva, de assalto aos cofres do Estado, de corrupção em altíssimo grau, de enriquecimento fraudulento do presidente deposto, estará consciente de que isto acontece exactamente do mesmo modo nos países da União Europeia pelos digníssimos governantes e políticos em geral, que a compõem? E que foi precisamente com este fim que ela foi criada e sendo sucessivamente alargada? E que, porque se trata de uma União supostamente criada para favorecer/desenvolver os países aderentes, toda a mega corrupção e assalto indiscriminado aos cofres do Estado e às respectivas toneladas de ouro e divisas; ao desvio desavergonhado dos fundos públicos; ao roubo descarado (e criminoso, uma vez que estes são por lei intocáves) das poupanças dos contribuintes para pagamento das despesas efectuadas por políticos corruptos e mentirosos, de um Estado mal e porcamente governado; tráfico d'influências punido por lei, sendo toda a criminalidade descrita sinónimo de estarmos perante um regime podre mas louvaminhado e elevado aos píncaros por políticos permissivos e colaborantes nesse mesmo regime que por sua vez estão lá justamente com o fim de a incentivar e proteger já que são eles, como é fàcilmente deducente, os seus primeiros beneficiários.

O povo ucraniano tem a certeza de que será benéfico para si e principalmente para o seu país, fazer parte da U.E.? Porque é que este povo crente e bom não resolve os seus problemas internos e externos de um modo independente e seguro, contribuíndo para a prosperidade e desenvolvimento do seu querido país, não se aliando à União Europeia, sabendo d'antemão (têm bastas provas, tendo em conta a corrupção monstra e a criminalidade generalizada, ambas consentidas e apoiadas pelos governantes dos regimes democráticos, que abrangem não só os políticos em exercício como se estendem a toda a sociedade com o beneplácito daqules) que se o fizer mais cedo ou mais tarde irá arrepender-se amargamente e chorar lágrimas de sangue? Sim, isso acontecerá de certeza mas então será tarde demais.

foca disse...

Maria
Está a defender a ditadura, é isso?
Cataclismos artificiais!! Viveu porventura nesses locais que refere?

Maria disse...

Não, foca, não vivi nesses locais nem foi necessário. Nem sou apologista de ditaduras, longe disso. Vivi, sim, noutros países supostamente democráticos, entre eles os Estados Unidos e o Reino Unido, que não paradoxalmente é de onde partem ordens maçónico-sionistas que afectam dramàticamente todos os países democráticos e não democráticos do mundo. E, sim, podem ser classificadas sem receio d'errar, de "cataclismos"=revoluções repentinas acontecidas sem mais nem porquê; as guerras despoletadas da noite para o dia; os confrontos graves entre povos irmãos, que se matam uns aos outros sem motivo algum, confrontos esses que rebentam da noite pró dia sem que os respectivos povos se dêem conta do que está a passar; as guerras sujas provocadas entre países vizinhos e até, no interior de cada um destes, conflitos sangrentos que se desenvolvem e progridem numa questão de horas sem razão de ser e que levam, acicatados por agentes infiltrados, a um ódio exacerbado anteriormente inexistente entre irmãos de raça e mesmo entre etnias diferenciadas, populações estas vivendo em paz e harmonia durante décadas para não dizer séculos, subitamente conducente a guerras fratricidas originando milhares de mortos e não raro milhões.

E sabe de quem recebo grande parte das denúncias absolutamente fidedignas sobre o mundialismo e o verdadeiro Mal nele personificado, que volta e meia aqui deixo em letra de forma? Pois admire-se (ou não), obtenho-as através de casais norte-americanos amigos de família, americanos genuínos, patriotas e independentes de partidos ou seitas que, à sua maneira e coadjuvados por grupos de outros americanos igualmente independentes e patriotas, lutam contra o poder sionista que está a destruir o seu país e, segundo palavras avisadas de David Duke, também a Europa, tentando desmascarar o verdadeiro caos que grassa pelo mundo graças à manipulação política consecutiva e permanente, levada a efeito pelas seitas maçónicas de cada Estado, comandadas à distância pela seita-mãe maçónico-sionista com residência fixa nos E.U.A. desde quase o seu nascimento, país onde montou o seu quartel general a partir do qual governa ou melhor, destrói o mundo a seu bel-prazer. Na verdade trata-se de uma seita mundial a que o insuspeito David Duke (cuja leitura das corajosas e gravíssimas denúncias sobre o que move o satânico sionismo maçónico, é vivamente aconselhada, através dos seus inúmeros livros e artigos publicados ao longo de muitos anos, a todos aqueles que ainda duvidam do verdadeiro Mal que assola a humanidade) classifica e bem de "um governo mundial que actua como um autêntico partido sem jamais ter sido eleito".

Nota breve: Numa entrevista de rua, creio que em N.Y., feita por uma televisão a um cidadão norte-americano, há cerca talvez de um ano, em resposta à pergunta sobre o que achava da política e do governo do seu país, respondeu sem hesitar "isto não é uma democracia..., nós vivemos sob uma ditadura comunista..., a bem ou a mal isto tem que acabar".

Wegie disse...

Isto está a descambar do anti-comunismo para o anti-sionismo...vamos lá ver como é que termina...

zazie disse...

"Isto" o quê?

O que é que o autor do blogue tem a ver com os delírios que se passam nas caixinhas?