Páginas

sexta-feira, 25 de abril de 2014

O Jornal de Notícias em 26 de Abril de 1974

A informação mais completa sobre o golpe de Estado chegou ao Norte no dia seguinte, depois das primeiras edições, logo no dia, distribuidas durante a tarde do dia 25 de Abril e esgotadas imediatamente.
O Jornal de Notícias de 26 de Abril de 1974 já relatava o que se passara no país, particularmente em Lisboa e Porto, com o  movimento das Forças Armadas a comunicar através de "considerandos".  Em quatro horas, desde as 4h e 20 da madrugada até às 8h e 45m, sairam quatro comunicados das Forças Armadas lidos no Rádio Clube Português. Por isso, durante as aulas da manhã, nas escolas secundárias e liceus já se sabia o que estava a acontecer.

No JN de 26 de Abril aparecia já a foto de Spínola e a menção à Junta de Salvação Nacional que no dia anterior, à noite, aparecera na tv, numa apresentação muito curta e com o tempo de um pequeno comunicado lido por Spínola e presenciado pelos restantes, mudos e quietos, sentados numa mesa esquisita e improvisada.

A edição consagrava sete páginas ao acontecimento, com esta primeira página:

 Este jornal, nesta edição,  foi o que me informou acerca dos acontecimentos. Porém, para além dessas informações lidas com avidez, o que realmente me prendia a atenção, nessa altura, era a penúltima página que trazia as os quadradinhos em banda desenhada das séries como "O agente secreto X-9" que seguia religiosamente desde o início da historieta desenhada então por Al Williamson.

 As tiras que apareciam diariamente no Jornal de Notícias ( excepto ao fim de semana ou ao Domingo, apenas) eram "sindicadas" da King Features Syndicate americana e estas provinham do ano anterior, de 1973 e tinham a sequência que é mostrada na edição IDW, no 3º volume de X-9 Secret Agent Corrigan, de 2011.



O meu 25 de Abril passou por aqui.

2 comentários:

JC disse...

Curioso constatar que a linguagem, nesse dia 26/04, ainda era a do "antigamente".

Verifica-se isso no próprio comunicado do MFA, que alude às "terras do Ultramar" - com letra grande - à "politica ultramarina", aos "portugueses de todas as raças e credos", "liberdade cívica dos cidadãos"....

Unknown disse...

O editorial do Jornal de Angola de hoje, na sua dimensão alucinada, 'e outra bofetada nalguns abrileiros com certa piada...
Miguel D