Páginas

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Uma indignação postiça mas justa

Este texto é de Henrique Monteiro, do Expresso. O que espanta é apenas esta putativa indignação, agora, com esta indecência que tem barbas de todos os governos anteriores. Para além do "não falta a falta de vergonha", Henrique Monteiro é jornalista do Expresso há tanto tempo quanto isso...

Jorge Barreto Xavier, secretário de Estado da Cultura, departamento que não tem dinheiro para - como se costuma dizer - mandar cantar um cego e vai cortar 15 milhões de euros em despesas com pessoal, recrutou um 'boy' (do PSD) para o seu gabinete a quem vai pagar como adjunto. Ou seja, mais de três mil euros, mais do que ganha um director de serviços, ou, como escreve no Expresso João Garcia, "mais que juiz, que coronel, o dobro de professor'. Fernanda Cachão ironiza que "afinal há dinheiro" desde que seja "money for the boys".
Mas o melhor, o melhor mesmo, é o currículo do adjunto. Tem 24 anos, três workshops no centro de formação de Jornalistas Cenjor, fez o estágio na Rádio Renascença, onde trabalhou oito meses e foi durante cinco meses consultor de comunicação do...PSD! Uau!! Que rica experiência...
Acresce que Barreto Xavier, antes desta contratação já tinha três adjuntos, sete técnicos especialistas, duas secretárias pessoais, chefe de gabinete, dez técnicos administrativos, três técnicos auxiliares e três motoristas.
Falta dinheiro (salvo para os boys) mas há excesso de descaramento.
Digamos que se há algo que não falta, é a falta de vergonha.

1 comentário:

Floribundus disse...

no blog 'Cidadão por Abrantes' pode encontrar um artigo com 2 link para o Arcebispo D. Eurico

a partidocracia só acaba com 'al paredon'

como dizia Brito Camacho 'mudam as mosca ....'