Páginas

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Abuso de informação privilegiada no caso BES? Provavelmente prescreve...

O cronista João Miguel Tavares escreveu uma crónica, ontem no Público, sobre o caso BES, onde a dado momento diz assim:
 
 O que o seu  currículo [de Morais Pires, braço direito de Ricardo Salgado]não diz, mas o Ministério Público poderá confirmar, é que Morais Pires é arguido num processo de insider trading a propósito da compra de acções da EDP em Janeiro de 2008.

Crime de "insider trading" de 2008, relativo a acções da EDP no tempo de José Sócrates e Mexia e Cª? O mais certo é estar prescrito, caso esteja a ser investigado.
Vejamos.
Este crime, aqui explicadinho, tem uma moldura penal que no máximo não passa dos três anos de prisão. A prescrição deste tipo ocorre em cinco anos, já passados. No máximo, e caso esteja a ser investigado, com suspensões e interrupções acrescem aos cinco, mais dois e meio e já está. No papo e limpinho, limpinho.

2 comentários:

Floribundus disse...

a eliminação do lixo humano poderia ser feita por intermédio da eutanásia em casos terminais.

Rosa Lourenço disse...

Isto não é um país : é uma choldra!!!