Páginas

quinta-feira, 19 de junho de 2014

o TC aclarou que não aclarou

Expresso:

O Tribunal Constitucional refere que não pode ser retirada qualquer ilação do indeferimento do pedido de aclaração apresentado pela Assembleia da República, a propósito do acórdão que chumbou três normas do Orçamento do Estado.

Isto está a tornar-se patético. O Tribunal Constitucional recusou aclarar o acórdão de que se fala. Diz que nada há para aclarar e explica que não aclarou porque era claro o que acabou por aclarar.
Agora, perante as consequências da aclaração vêm dizer que não aclarou o que aclarou...

O Governo já declarou que percebeu a aclaração e vai proceder em conformidade. Como o Tribunal nada aclarou não se entende porque vem agora aclarar.

11 comentários:

zazie disse...

eheheheh

Parece rábula de nonsense à Monty Python

AAA disse...

O TC meteu-se numa camisa de sete varas. Começa a vir ao de cima a incompetência dos seus doutos pareceres. Com tanta obsessão por serem programáticos, caíram na sua própria teia.

Daria vontade de rir não fosse estar em causa um país.

Floribundus disse...

Aristóteles menciona os meios e objectos da tragédia que têm como causa final a catarse ou purga

este tribunal político parece encontrar-se em saldo com descontos de 70%

'à cabeça ... da manada(...)
as pilecas eram raios' que os partam

o melhor 'estripetise' da mã-gistratura

parece uma 'casa de tias' tipo 'Micas da Boa'



foca disse...

Esse é um lado da história
O outro está o Governo que considera ingestão do TC nas suas competências mas pede aclaração sobre pormenores.

Entre uns e outros que venha o diabo e escolha

Floribundus disse...

24.iv
economia sã e em crescendo
incapacidade de fazer transição politica pacífica

25.iv
atabalhoadamente entra em cena a tragicomédia
'sai tu e entro Eu'

26.iv
a legião estrangeiro invade o rectângulo e 'mata tudo o que mexe'

conclusão:
o MONSTRO social-fascista devorou a economia e continua a banquetear-se.

deixou os contribuintes endividados, mortes de fome e a fazer campismo ao relento

Vivendi disse...

No dia da queda deste regime... o TC será um dos lugares a ser cercado.

Basta de fado nacional do tudo isto é triste, tudo isto é socialismo...

Vivendi disse...

Já muitas vezes referi e isto nem socialistas, nem neotontos querem perceber.

Portugal antes do 25 de abril estava na lista dos 20º países mais prósperos do mundo.

Hoje está em 34º e com a década perdida que temos pela frente poderá baixar para 50º.

Se os portugueses não quiserem entender esta negação de regime estarão sujeitos à perdição.

Os maiores pensadores nacionais não acreditavam na inteligência dos portugueses... E tinham toda a razão. Ou o poder é devolvido às elites sérias ou Portugal está condenado a ser um não país.

foca disse...

Patetice

O TC usando o critério da igualdade considera que não é constitucional reduzir o salário a quem recebe 1499€ mas já é para quem recebe 1501€

O TC define 30 de maio de 2014 a data a partir da qual é constitucional o corte acima de 1500, quando em 2013 tinha dito que as medidas eram até ao fim do programa, em 2012 tinha dito que não aceitava mais cortes e que era apenas até ao final do programa.

Por fim bastante patetico é o TC dizer que as medidas já estão para lá do razoavel e que apenas toleram esse ano, e no seguinte o Governo e a AR aprovarem um OE em que as sobem quase 50%.

Outra patetice é a ideia que anda a ser passada à exaustão que a despesa pública são os salários dos FP. Basta olhar para os anexos do OE para ver que os juros equivalem aos salários de todos os 600000. Esses juros são de empréstimos feitos para construir estradas, hospitais, escolas, barragens e meter no bolso de muita gente, em especial os que enriqueceram de forma duvidosa, no Estado e fora.

Já agora a patetice final é a noticia de ontem que diz que vão cortar nos suplementos mas deixando de fora policias e magistrados, que são precisamente os que já engordam o porco à bruta com estes adicionais

Floribundus disse...

'se queres ver um soberbo,
dá um pau a um pobre' diabo

Anibal Duarte Corrécio disse...

Onde se prova que independencia, transparencia, bom senso e sentido da realidadee não existem no Tribunal Constitucional.

O que são?

Salvo honrosa execepção e uma ou outra manietação, um punhado de cidadãos que estão atrelados ou fazem o jogo à esquerda e ao Partido Socialista.

Amélia Saavedra disse...

Deixo aqui uma pequena sugestão para leitura... Creio que poderá ser uma ajuda para muitas das dúvidas que têm aqui sido colocadas:
"Eu vi a queda do império - Factos e personagens verídicos"
Fernando Amaro Monteiro