Páginas

sexta-feira, 18 de julho de 2014

O senhor, Machete, diz que lhe queriam tirar o escalpe político...

 Da revista Tabu do Sol de hoje:




Este senhor, Machete, é um digno representante de três bancarrotas que nos aconteceram. Por aqui, neste blog, tenho tentado mostrar que a sua contribuição para tal façanha, digna dos anais europeus, não foi de somenos.
Acresce naturalmente que este senhor, Machete,  não se dá por achado nessa epopeia. Julga-se antes um bravo contribuinte para o bem comum colectivo deste país rectangular e até que o país lhe deve muito. Este senhor, Machete,  foi colega de curso de Isabel do Carmo e a mesma continua a ser muito sua amiga. Este senhor, Machete, foi o mesmo que em 1975 estava preparado para tudo, mesmo para o socialismo comunista que pressentiu aproximar-se...como o mostra esta edição do Expresso de 8 de Fevereiro de 1975, em pleno PREC.


Dez anos depois, juntamente com Mário Soares, foi um dos que assinou o tratado de adesão de Portugal à CEE, no ambiente renascentista dos Jerónimos...


Como já escrevi, este senhor, Machete,  foi professor ( até no ISCTE), deputado, dirigente partidário, ministro e administrador de empresas públicas, como é de bom tom em indivíduos deste género. Ah! E é advogado também. Onde? Na PLMJ, onde havia de ser?
 Foi responsável pelo Conselho Geral da SLN que mandava  no BPN e certamente nada do que aconteceu com este banco lhe poderia ter escapado,mas parece que escapou tudo, tudinho...e nunca conseguiu esclarecer isto que parece tão simples de entender. Machete passou pelo BPN como quem passa entre os pingos da chuva, sem se molhar. Grande impermeável devia ter...
Machete foi presidente de uma fundação Luso-Americana e quando a deixou, indicou como sucessora, uma certa Maria de Lurdes Rodrigues, companheira de um certo Pena, do ISCTE.
Machete foi depois indicado para a CGD, para uma espécie de cargo remunerado na mesa da Assembleia Geral a que só certas figuras de estadão tem acesso.Como por exemplo, Manuel Lopes Porto, outro notável do PSD de Coimbra que ensina Direito.
Não obstante tudo isto, o pequeno génio da nossa política da Sombra ainda foi recentemente designado para outro cargo: árbitro em conflito entre o Estado e a PT.

Portanto, hoje na revista do Sol vitimiza-se mais uma vez: quiserem tirar-lhe o escalpe político.  Já o tinha feito em Outubro de 2013...

Enfim, enquanto estes personagens continuarem a mandar no país, directa ou indirectamente, teremos sempre o espectro de nova bancarrota em perspectiva. Já lá vão três...

 Como apontamento lateral, uma vez que apelida de ignorantes aqueles que disseram a seu respeito que se imiscuiu em poderes que não são os que lhe competem, Machete faz como os chicos-espertos costumam fazer. Uma vez que alguém terá falado impropriamente em "poder judicial" para mostrar a a gravidade das suas afirmações que lhe poderiam ter tirado o escalpe político, ( sibi imputet, in totum), diz agora que tal revela ignorância porque o MºPº "não pertence ao poder judicial".
Mas pertence o JIC que intervêm nos inquéritos do MºPº e por outro lado o MºPº é autónomo do poder executivo, pelo que a chico-espertice é mesmo isso.

Porque é que só os Granadeiros voltam à sua condição modesta, de antanho, sem o poder delegado pelos poderes fácticos e estes Machetes são sempre inoxidáveis e peduráveis? Que mistério é este?

11 comentários:

mujahedin مجاهدين disse...

Mistérios de abril...

Morcega disse...

Nunca nada mudará, neste país. Faltam as armas ou quem tenha coragem de as usar.

Vivendi disse...

Se aparecesse alguém com pelo menos metade do calibre moral de Salazar o que faria a esta mongozada toda?

E quem estaria preparado para apoiar o afastamento dos vermes da vida pública?

Só nos resta estudar a história da I república e da II república para enterrar este regime e refundar de novo a nação.

mujahedin مجاهدين disse...

Não fazia nada porque não haveria quem o pusesse em condições de fazer...

lusitânea disse...

O Machete farta-se de salvar planeta com base num gordo orçamento arrastado aí ao indigenato.É que a sua ideia de socialismo internacionalista não mudou...mesmo depois das entregas de tudo o que tinha preto e não era nosso...

Apache disse...

Conversas sobre escalpes atraem índios.

Ainda não percebi porque é que o totó do Passos Coelho deixou (aquando da remodelação governamental) que a maçonaria trocasse o “inofensivo” (e anedótico) Relvas por estes dois energúmenos, Rui Machete e Jorge Moreira da Silva.

hajapachorra disse...

Colega de curso de Isabel do Carmo? Ele fez direito ela medicina, foram colegas onde? na tropa? Na tropa não há colegas, só camaradas. Ela era camarada, ele era colega? Bem, na tropa colegas são as putas.

Maria disse...

Esta personagem de fábula pertence àquele tenebroso grupo e que não é tão restrito assim, que faz parte do gangue que tomou d'assalto o nosso País com o fim único de o desfazer em pedaços, não sem antes locupletar-se com os milhões de milhões pertença absoluta do País e do seu Povo, mas igualmnte ir sacando a riqueza que os portugueses produzem no seu dia a dia. E é bom pensar que já andamos isto há quarenta anos.

Este bando de ladrões de casaca, além dos crimes imperdoáveis que lhe estão na origem, mais todos aqueles que fazem parte deste gangue maçónico e são em maior número do que se imagina, já que pràticamente todos os políticos e inúmeras personalidades não políticas porém directa ou indirectamente ligadas ao poder - e note-se que isto já vem acontecendo desde o 25/4 - estão possuídos por defeitos de carácter repugnantes e insanáveis. A grande maioria fez e/ou faz parte da rede de pedofilia de Estado montada e pronta a actuar com toda a liberdade do mundo, tendo òbviamente a imprescindível benção e orientação política da rede/casa-mãe mundial, pouco tempo depois dos arautos da democracia a terem cá introduzido sem jamais terem consultado o Povo.

Na realidade os dois principais motivos (refiro-me aos principais, porque há muitos outros tão ou mais importantes e que não podem ser descurados) para que este género de regime seja insistentemente alardeado pelos seus mentores como o mais fabuloso e desejado pelos povos que vivem sob regimes outros, que não este. Um, é o saque desavergonhado e impune aos bens e riquezas fabulosas dos países em que se instalam e o outro, é introduzir d'imediato nas recém-democracias toda a casta de redes das mais violentas e criminosas que possam existir nos cinco Continentes, com prioridade absoluta para a de tráfico de armas, de droga, de prostituição, de tráfico de mulheres e crianças, tráfico de orgãos humanos e a que está subjacente a estas todas, a de pedofilia que abrange quase toda classe políica e muitas personalidades conhecidas e desconhecidas, da sociedade civil.

As pessoas que aparecem na foto, aquando da assinatura para a adesão à CEE, algumas delas (senão todas) foram identificadas pelos jovens da Casa Pia, na altura crianças, como seus abusadores sexuais durante vários anos. Portanto estamos perante parte do gangue aí representado, sendo o Machete e o Gama dois dos principais. Resta saber quão implicados estiveram/estão os outros (os da foto e os na ampla assistência) já que todos os presentes sabiam dos vícios de todos os outros, por pertencerem todos à mesma seita ou mais concretamente por isso, eles não teriam feito parte de todos os governos até aos dias de hoje, ainda por cima sobraçando pastas da máxima importância governativa e de enorme responsabilidade política...

Quanto à integridade pessoal, honestidade política e formação cívica e moral superiores, todas estas qualidades ficam de fora, estão há muito ultrapassadas e já não se compadecem com a ultra-modernidade das sociedades progressistas.
(cont.)

Maria disse...


Uma das personagens da foto e um dos principais culpados pela gangrena propositadamente inoculada no tecido frágil da Nação contra a qual esta penosamente se debate, Mário Soares (who else?), a primeira vez que foi ao Brasil, já e então como ministro do primeiro governo constitucional recentemente empossado, a primeira coisa que decidiu fazer (segundo as notícias da época reportaram e salientaram, não sem algum espanto pelo inusitado do acontecimento sobretudo porque praticado por um membro de um governo em funções) foi ir assistir a um espectáculo de travetís... A notícia veio nos jornais na altura, salientando-se o insólito e não menos estranho "desejo incontrolável" de sua exª. o ministro, mal chegado ao Brasil, mas fez-se espaçadamente no tempo e só meia dúzia de vezes se tanto. Afinal tratava-se do auto-intitulado 'pai da democracia' e convinha haver respetinho e manter as distâncias e principalmente não fazer muitas ondas... De repente na imprensa falada e escrita fez-se um silêncio tumular em relação ao "tema" escaldante de um ministro do Portugal 'democrático' recentemente empossado no cargo ter decidido como tarefa prioritária, mal posto o pé em terra firme, ir assitir a um espectáculo de travestís, como se de um segredo de Estado se tratasse... Para jornalistas, colegas políticos e demais personalidades que pudessem dar com a língua nos dentes, as ordens que "vinham de cima" para silenciar esta ocorrência eram para ser rigorosamente cumpridas caso contrário haveria consequências graves para os prevaricadores. E todos aqueles acataram as ordens e calaram. Até quando?...

Porque eles, os donos de Portugal, todos maçons e tal como no Reino Unido e não só muitos deles pedófilos, tinham/têm o controlo absoluto dos destinos do País e do Povo, pelo que com redes criminosas (introduzidas no terreno e secretamente legalizadas logo em 1975) ou sem elas, o destino do nosso adorado Portugal ficou traçado a partir do dia tremendamente azarado em que foi franqueada a entrada a estes seres demoníacos e debochados. Afinal todos psicopatas, os mesmos que desde há quarenta anos temos vindo a ter a desdita de difìcilmente suportar como governantes.

josé disse...

Se calhar foram colegas antes do curso superior...

Vivendi disse...

mujahedin مجاهدين disse...
Não fazia nada porque não haveria quem o pusesse em condições de fazer...

Pois... Apesar de estarmos numa sociedade onde as pessoas já se encontram mais descrentes ainda estamos longe do caminho para conseguir solucionar os problemas.

O que sabemos...

Que as supostas "elites" estão em processo de auto-destruição pelo próprio sistema que criaram e muitos deles também estão numa idade avançada onde lhes resta um confronto com a morte cada vez mais próximo.

Os mais jovens, coitados, saem mais burros do que entram na universidade sendo a única escapatória fugir do país ou deixarem-se alienarem-se aos espectáculos de divertimento para irem-se sentindo divertidos e não se preocuparem em reflectir a fundo com os problemas do país.

Os intelectuais... hahaha! Numa conversa recente em uma roda de amigos desafiei-os a lançar nomes de pessoas que não tivessem a estrutura mental e moral formatada no tempo do Estado Novo. Nada de nada.

E por fim temos os vendidos... Aqueles ligados as corporações (ensino / militares/ justiça/ saúde/ empresas estatais/ grandes empresas) onde o regime Abrileiro os comprou bem comprados e onde andaram anos e anos caladinhos e que agora alguns tentam abrir a boca nem um peido valem.

A desinformação essa continua como sempre, resta-nos uns poucos blogues a expor a realidade como ela realmente é.