Páginas

sábado, 22 de novembro de 2014

O Expresso perdeu as toupeiras...

Tenho pena do Expresso e de quem o dirige, ali ao lado na imagem. Perderam as toupeiras que tinham nas "secretas". No tempo de Silva Carvalho sabiam tudo o que se passara e publicavam. Agora é o que se vê: uma não notícia a fazer manchete de primeira página e quanto ao mais importante- saber se o SIS tinha ou não conhecimento de investigações criminais em curso no IRN- não sabem nada, coitados.
E parece que nem querem saber...portanto a noticiazinha é a chapa habitual das agências: dar conta dos factos que outros já contaram e que já se sabiam, com uma redacção muito certinha e com os pontos e vírgulas no sítio. O director da folha continua o mesmo de sempre...e  por caridade não ponho o epíteto.


7 comentários:

lusitânea disse...

Tenho andado à espera(sentado) de que o menino torne a falar do seu excelentíssimo "primo" que em tempos disse ser o melhor dos melhores e que afundou a PT...mas que saiu dela cheio de massa...

Zé Luís disse...

Isto equivale ao Marcello ser detido no Carmo...

josé disse...

Nem tanto. Este inenarrável tinha este destino escrito nas estrelas. Era apenas uma questão de tempo e só me admira como lhe deram tamanha cobertura os outros inenarráveis como Pinto Monteiro.

Inacreditável.

Zé Luís disse...

O million dólar secret.

BELIAL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BELIAL disse...

Sempre dlria que este lema é: obstar antes que comece - tradução livre.

Obstar ao principio da "coisa".

Os cromos da instituição, levam-me a pensar: que é o principio do fim da boyzada "fixe"... :-)

Luis disse...

Afinal, nas secretas nada se passa. Está tudo bem.
Todas as historietas à volta da actuação destes serviços são inventona e intentona. Horácios, Julios, Casimiros e Anteros são uns inocentinhos e ingénuos que estão a ser constantemente enganados.
Ainda os hei-de ver a todos nuns altares no forte de S. Carlos e no forte do Alto do Duque. Outro altar ficará bem na PCM junto aos de tantos PM que por lá têm passado.