Páginas

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

O super-administrador desta parvónia

Proença de Carvalho, ontem a uma estação de rádio que controla por ser administrador dos donos, a TSF, disse que o juiz do TIC era um "super-juiz dos tablóides" ou coisa que o valha, achincalhando pessoalmente um juiz que não lhe agrada. Uma provocação evidentemente desprezível de um indivíduo cujo percurso fala por si e cujo verniz é tão estaladiço que este tipo de declarações são a prova de que foi atingido em parte vital.

Proença de Carvalho, conforme se noticiou há pouco tem sobre si uma série de suspeitas de conflito de interesses porque "é representante do grupo francês Altice, que manifestou interesse na compra da PT, e já ter presidido à concorrente Zon (a nova NOS) não é impedimento para exercer a profissão. Mas está-lhe vedado, por exemplo, o exercício de cargos políticos e autárquicos, bem como o de assessores ou secretários de órgãos de soberania.  A excepção é o cargo de deputado, que um advogado pode exercer em simultâneo com a profissão.
Daniel Proença de Carvalho, que é sócio-presidente da Uría Menéndez - Proença de Carvalho, é também presidente da Cimpor - Cimentos de Portugal e presidente da assembleia geral de várias empresas, como a Galp Energia, SGPS, a Socitrel ou a Renova. "

Proença de Carvalho, despeitado pelas decisões  daquele juiz de instrução disfarçou muito mal a intenção de o punir severamente, se tal pudesse fazer e reprovou-lhe a vontade de estar naquele lugar quando poderia ser já desembargador, porque tal lhe dá poder. Ou seja, imputando-lhe a vontade de exercício de poder,  como juiz e como razão última para estar no lugar que está. Outra ignomínia.
Sobre este personagem sinistro da democracia portuguesa muito se poderia dizer e já disse. E uma das coisas é que se alguém tem poder económico em Portugal encontra um dia pela frente o dito cujo. 
Esse poder de facto, com relevância de milhares de milhões ( foi advogado de Ricardo Salgado e de certos interesses angolanos, controlando agora a TSF o DN e o JN) conta nada para a comparação que o indivíduo faz com o poder do juiz, cingido à lei, fiscalizado por todos, aberto e transparente quando o poder daquelas administrações todas é opaco, secreto, insindicável, e porventura pernicioso para a própria democracia porque é a fonte da corrupção de alto coturno, como se anda a ver por estes dias. Comparar estes poderes com aquele do juiz só mesmo para quem o teme...por razões inconfessáveis.

Proença de Carvalho, por causa disto,  terá os dias contados, como pivot de certos negócios? É uma questão em aberto.

Sobre o poder dos juízes fica aqui uma declaração de um juiz que não gostaria pela certa deste advogado da Soalheira . Giovanni Falcone, assassinado em 1992 pela Mafia de Caltanisseta, Sicília e cujos assassinos só recentemente foram condenados definitivamente.
 Dizia Falcone que se morre geralmente porque se está só ou porque se entrou num jogo demasiado grande.
Proença, como super-administrador desta parvónia,  anda a jogar ao gato e ao rato há muitos anos. Veremos como se sai.
Na Sicília dos anos oitenta e noventa, "a Mafia atingia os servidores do Estado que o Estado não conseguira proteger". 
Em Portugal esta mafia de certos negócios atinge os interesses do Estado porque o Estado não os quer proteger também. Até quando?
Quem paga a conta somos todos nós, em impostos, em empobrecimento e em "resgates", ao mesmo tempo que a mafia prospera e enriquece, ganhando com a crise e quem a provocou.
Até quando?



5 comentários:

Floribundus disse...

no rectângulo instalou-se uma mafia muito poderosa

mas a queda da finança vai empurra-la pela escada abaixo por falta de guita e vento forte

é deste modo que se destroem os papagaios de papel

tal como os inocentes da minha juventude

Luis disse...

O que posso adiantar é que, ao ouvir este profeta do mal ontem na TSF, estava a ouvir um autêntico escroque que sabe que o seu alvo nunca lhe poderá responder à letra e, tenho a certeza, teria muito a atirar-lhe à cara.
PC não passa de um advogado oportunista que paira onde cheira a dinheiro e que fica piurso porque o juiz CA não o receia a ele nem a outros que tais.
Força CA, a verdade fala mais alto que o dinheiro e as pessoas de bem hão-de vencer estes barões desta triste republica.

Karocha disse...

José e que tal fazer um dos seus excelentes posts sobre, Rui Pena-Arnault e associados ???

josé disse...

Agora não tenho tempo...

Karocha disse...

Pena , era muito interessante José !!!