Páginas

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

O recluso 44 tem mais um problema: o seu advogado.

 Observador:

 O advogado de José Sócrates, João Araújo, foi esta sexta-feira à TVI dizer que acredita “absolutamente” que o antigo primeiro-ministro não praticou nenhum dos crimes por que está indiciado. “Sou obrigado a acreditar. A lei manda-me acreditar, mas não é essa a questão”, disse, sublinhando: “Eu não só acredito, como declaro, afirmo”. João Araújo acrescentou ainda que está convicto de que Sócrates não irá a julgamento”.

Quando confrontado por Judite de Sousa sobre os sinais de que José Sócrates tinha um estilo de vida elevado, João Araújo, no estilo desconcertante a que já habituou os jornalistas, evitou dar uma resposta. “Eu gostava de levar esse estilo de vida que me diz que ele levava”, disse, dirigindo-se para a entrevistadora e apresentadora do jornal da TVI.

Perante a insistência de Judite de Sousa, que lhe perguntou se não lia jornais, João Araújo disse que não o fazia desde que Sócrates tinha sido preso. Por isso mesmo, diz, não sabe se o seu cliente levava ou não um estilo de vida acima das suas possibilidades. “Não sei se ele vivia numa casa de 5 mil euros [por mês]”. Até porque, garante, não fez tais perguntas ao antigo primeiro-ministro. “Eu vou perguntar isso a uma pessoa? Perguntar o quê? ‘Vivia bem? Vivia mal?'”

João Araújo respondeu positivamente quando Judite de Sousa lhe perguntou se estávamos perante um caso de politização. “Com certeza que estamos”, disse. “É um ex primeiro-ministro que durante todo o tempo do seu Governo foi alvo de imputações desonrosas. É preso preventivamente. Isto não é político?”, disse o advogado, que considera que na avaliação de deter Sócrates, o juiz Carlos Alexandre teve em conta o facto de este ter sido primeiro-ministro. Judite de Sousa perguntou depois: “Ele está preso por ser José Sócrates?” e João Araújo limitou-se a dizer: “Sim, senhora”.

Sobre as condições da prisão de Évora, em que Sócrates se encontra em prisão preventiva, João Araújo voltou a recorrer à fórmula utilizada durante a entrevista, dizendo não fazer ideia de como é a vida do antigo primeiro-ministro e acrescentando, em tom jocoso, que Sócrates está “afrontosamente bronzeado”. Tão bronzeado que, diz João Araújo, “parece que está nas Caraíbas”.

12 comentários:

S.T. disse...

Surreal , se calhar aquilo pega-se por contacto ...

foca disse...

Não consigo perceber o fascínio da comunicação social com este advogado.
Fazem-lhe uma pergunta e ele responde outra coisa.
Para mim é um idiota, armado em chico esperto.

Luis disse...

Quer-me parecer que o tempo deste defensor está a chegar ao fim. Não deve tardar que saltem para o palco os verdadeiros actores deste espectáculo. O profeta Proença de Carvalho deve estar desejoso de aparecer, mas deve ter receio de ter um papel mais activo do que o que gostaria. É que, como diz um velho ditado, "não há quem mexa no mel que não lamba os dedos".

S.T. disse...

( uma vez lá em Coimbra , quiseram levar me a uma reunião da concelhia do PSD , que ficava mesmo à frente da igreja de sao José , ao fundo da av dos combatentes . Disse-lhes para irem à frente que eu ia lá ter e fiquei a beber umas jolas no L. D. A minha irmã e o meu cunhado meteram-se nas concelhias do PS e desde então que andam atrofiados . Há ali qualquer coisa ruim que se pega no convivio ... A mim as jolas nunca me fizeram mal . )

Anjo1 disse...

Tenho para mim que a defesa de JS está a ser conduzida nos bastidores pelo Proença, pelo menos nos aspectos "técnicos" cruciais. O Araújo é para lançar areia para os olhos, para dar forma à encenação do "não contratou nenhum gabinete daqueles que defendem poderosos e cobram milhões". Oxalá tudo esteja, também, "tecnicamente" perfeito, para enfrentar o embate da máfia. Parece Tolkien...

josé disse...

Huumm...não me parece. A única coisa que podem esperar é que o recurso seja distribuído na Relação a uma secção que possa ser "amiga", embore julgue tal efeito muito improvável.

Em primeiro lugar, o MºPº tem trinta dias para responder. E por isso só lá para Janeiro do ano que vem tal acontecerá.

Depois é que subirá à Relação e é imprevisível a data de distribuição.

Quanto ao argumentário do recurso é sempre o mesmo...bla bla bla. O perigo de perturbação de inquérito com o arguido cá fora, ainda por cima com promessas de transformar o caso em político é tão evidente que qualquer jurista o reconhece.

Em suma: a prisão preventiva vai durar.

Ou muito me engano.

rui verde disse...

Também me parece.
As prisões preventivas em termos normais só se começam a desvanecer a partir dos 6 meses.
Há obviamente sempre a possibilidade de pelo sorteio o recurso ir parar a uma secção mais adequada aos interesses do preso...no passado houve uma imensa conivência do meio com ele e a lei é suficientemente elástica para permitir uma mudança...

BELIAL disse...

O patusco mandatário representa todo o pitoresco do mandante.

Tanta inocência santa...

foca disse...

Hoje um pouco mais incisivo
Como não sou jurista posso dar-me a luxos destes, mas para mim um gajo que defendeu escumalha das FP25 não merece o ar que respira.
Se é muito esperto, como o era o Hitler, estou-me a borrifar para isso.

josé disse...

Este tipo de advogados partilha uma característica com os terroristas: os fins justificam os meios empregues.
Se morrem inocentes, como pode morrer a verdade, isso não interessa desde que se consiga safar o cliente.

josé disse...

Isso chama-se amoralidade.

S.T. disse...

Caracteristica das espécie : responde sempre com os olhos no chão .