Páginas

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

A faca de dois legumes do DN


Esta notícia do DN de hoje revela por sinais de escrita o que vai na alma do seu actual director, André Macedo, e que nesta imagem se encontra semioticamente resumido, com o verdadeiro director, Proença de Carvalho, semi-escondido e com rabo de fora, encostado ao painel:


  O director do jornal achou por bem colocar na primeira página uma circunstância equívoca, incorrendo no mesmo tipo de jornalismo que o director Camões imputa à "Coisa": a manipulação de informação com um objectivo inconfessado mas explicitamente entendido. 

A notícia nem sequer se revela factualmente verdadeira, porque o juiz em causa, no sítio em questão ( Facebook) se limitou a exprimir uma opinião, por transcrição de uma comunicação pública do presidente da associação sindical dos juízes. E o assunto concreto que moticou esse presidente da associação de juízes a manifestar-se ( tardiamente, é bom que se diga...e numa entrevista ao Diário Económico) foi o desrespeito manifesto para com o poder judicial, pelos mesmos do costume, ou seja o PS enfeudado a esse tipo de manifestações que perduram de há dez anos a esta parte. O Diário de Notícias, sobre isto que é demasiado grave para uma democracia, nada escreveu, nada comentou, nada deu a conhecer sequer.

Agora aparece com a faca a cortar o legume que lhe interessa, podendo mostrar que há o outro legume que lhe serve de caução. Se é notícia que o juiz que vai apreciar o recurso sobre a prisão preventiva apoia o juiz de instrução no processo? É, claro que é, porém nem é assim tão relevante na medida em que acredito que uma esmagadora maioria de magistrados portugueses apoia a decisão tomada, pelo que se conhece publicamente. Porém, nem isso é necessariamente verdade e é inventado literalmente pelo DN nem o objectivo é apenas a notícia pura em si.
O que o director do DN pretende, sob os auspícios do indivíduo encostado ao painel, é apenas deslegitimar uma qualquer decisão que seja contrária aos desejos de ambos que se sabe de ginjeira quais são ( também tenho direito a especular sobre semioses): libertar o recluso 44 da ordália em que se encontra, deixá-lo andar à solta porque foi ele no fim de contas quem melhor lhes protegeu os interesses pessoais e patrimoniais ao longo dos últimos anos.
E daí a pressão oculta numa notícia como esta.

Quanto ao juiz em questão, com a idade e experiência que tem, não creio que isto vá influenciar seja o que for. Porém, há uma coisa que já aprendeu- e bem: não se deve expôr publicamente, com nome próprio em "redes sociais".
Tem agora a prova disto que digo e escrevo há muito tempo: qualquer magistrado que possa vir a ser chamado a desempenhar papel de relevo em processos assim mediáticos, tem que se preservar destas coisas concretas e no caso, dos andrés macedos e proenças que andam sempre na sombra a defender o que lhes interessa. A Justiça não é uma delas, a não ser que com elas coincida.
O que o magistrado deve fazer, se quiser emitir opiniões livres, é não revelar o nome. E se isso for relevante, então não deve escrever. Mesmo no facebook.
E para completar esta ética muito simples mas de recta intenção deve seguir o ditado de Bob Dylan numa cantiga: se quiseres andar "fora da lei", deves ser honesto.

13 comentários:

Terry Malloy disse...

É evidentemente um erro para "qualquer magistrado que possa vir a ser chamado a desempenhar papel de relevo em processos assim mediáticos" expor-se nas redes sociais. Certas funções impõem recato, e todas as funções impõem CAUTELA.

Mas quanto a elogios à decisão do JIC de mandar o recluso 44 para Évora, não encontro nenhuns na notícia:

"Não há manipulação na entrega de processos ao juiz Carlos Alexandre"

"É o Estado de Direito a funcionar"

etc.

É evidentemente um bom sinal esta manchete do DN. O sorteio correu mal...

Floribundus disse...

boxexas no DN

“Nunca tantos portugueses se manifestaram a favor de Sócrates, estando ao mesmo tempo indignados pelo que lhe aconteceu. (…) . Como se tem visto em inúmeras visitas que, de Norte a Sul, lhe têm feito, com enorme carinho. Valha-nos isso. E o juiz Carlos Alexandre que se cuide…”,

há quem por menos tenha sido empalado

de facto 'Podemos'
não se enganem na 1ª letra

zazie disse...

A sopeirice do facebook

josé disse...

"Mas quanto a elogios à decisão do JIC de mandar o recluso 44 para Évora, não encontro nenhuns na notícia"

Pois não, mas a capa tem a notícia assim...

foca disse...

Alguém sabe se a Merckel vai visitar o amigo Socas?
O Tony Blair, Hollande e a generalidade da Internacional Xuxa?

O homem não tem um único amigo fora do PS e do futebol (ai os estádios que tantos milhões custaram e custam a uns para gozo de outros!)?

Lamas disse...

Tudo concertado. A independente (diz ela) SIC transmite hoje em horário nobre uma entrevista (?) ao 44.
Ontem só para comentar o anuncio da entrevista o Sousa Tavares fartou-se de cagar postas de pescada.
O Soares ameaça no DN o juiz Alexandre (isto não é crime?).
Ou seja tudo a seguir um guião do Proença. Se fosse aos Oscares ganhava para o melhor argumento de ficção.

zazie disse...

O título está delicioso

":O)))))))

Anjo disse...

"E o juiz Carlos Alexandre que se cuide…"

Que presunção a deste palhaço da República! Que gente odiosa se assenhorou deste país!

Oxalá o sorteio não lhes tenha corrido de feição!

Pi-Erre disse...

Muitas pessoas só leemm os títulos dos jornais que são expostos nas bancas, nos quiosques, nos telejornais matinais, etc.

josé disse...

Daí a faca de dois legumes porque é disso que se trata: de uma manhosice do actual director do DN. A mensagem implícita no título é equívoca, de propósito.

Vitor disse...

Diz Mário Soares no DN: "E o juiz Carlos Alexandre que se cuide…"

Vergonhoso, sr. ex-PR. Você é uma vergonha para este país delapidado pela corrupção.
Diz Vexa que o juiz que se cuide?! Que se cuide porquê? Capangas seus vão atentar contra a integridade dele?
Tenha vergonha! A sua idade pode explicar tanta baboseira mas não as justifica.
Como pode ameaçar, num país que é um Estado de Direito e que Vexa parece ter esquecido, um juiz que cumpre lealmente as suas funções e nunca foi subserviente ao poder político ou ao económico, poderes que frequentemente se cruzam como teia responsável pelo estado de coisas a que o país chegou?
É que, sr. ex-PR desbocado, Vexa está noutro mundo. Pensar que o povo português está com quem o esbulhou, enganou e usou a “res publica” em proveito próprio é iludir-se.
Haverá sempre quem está com estes, mas os tribunais servem para punir tais condutas.
Agora, tenha a certeza, serão muitos mais os que estão com um juiz honesto e que para cumprir lealmente as suas funções tem de ouvir sem reagir toda a borrada que sai de gargantas que mais parecem esgotos.
Juízes assim terão sempre quem os defenda e não permita que energúmenos e capangas possam atentar contra si.
Eu estarei na primeira linha de defesa de tais juízes contra cobardes e traidores, que sempre os houve. Vendidos a coroas estrangeiras houve alguns, por vezes, e sempre se deram mal com a plebe.

jkt disse...

Por acaso reparei na noticia mesmo à bocado numa montra dum quiosque e fiquei a pensar...

Floribundus disse...

ao boxexas e ao 44 aplica-se a frase de Charlie

'tout est pardonné'

são intocáveis

até no par de botas