Páginas

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

O Entrudo e a Quaresma na Paródia de 1900

Em 17 de Janeiro de 1900 surgiu à venda em Portugal uma publicação humorística chamada Paródia. Publicava-se às quartas-feiras e as caricaturas eram de Raphael Bordallo Pinheiro.

Este foi o primeiro número:


Que se explicava assim aos leitores. O papel está corroído pela traça do tempo mas dá para ler:


No fim do Entrudo vem a Quarta-Feira de cinzas que é hoje. E a Paródia escrevia assim, a propósito do dia, então 28 de Fevereiro de 1900:

Para quem julga que a liberdade em Portugal começou há 40 anos, torna-se interessante ler o que se publicava há cento e quinze...por exemplo sobre os impostos.


4 comentários:

BELIAL disse...

"O que foi, será;
o que aconteceu, acontecerá:
nada há de novo debaixo do sol.
10 Mesmo que se afirme:
"Olha: isto é novo",
eis que já aconteceu em outros tempos,
muito antes de nós.
11 Não ficou memória dos antepassados,
nem dos vindouros ficará lembrança
para os que vierem depois."

Vivendi disse...

se quiser juntar mais 2 belas sátiras...

http://viriatosdaeconomia.blogspot.pt/2015/01/je-suis-bordalo.html

Floribundus disse...

visitei há (à se fosse prof da nojeira) poucos meses o Museu remodelado

Rafael era duma potência maçónica

a outra pertencia antónio maria (despezista conhecido pela alcunha de fontes pereira de melo) muito gozado no
períodico com o seu nome

além da 'porca da politica'

tem interesse a AR, então 'solar dos barrigas'

os jornais da monarquia do séc xix fortam quase todos muito diferente dos actuais devido à censura social-fascista

sampaio da revolução teve 'o espectro'
jornal clandestino

as crónicas da pagina 3 do 'periodico dos pobres' era uma delícia

o hino 'Maria da Fonte' é profundamente anti-cabralista
'espada à cintura para matar os Cabrais'

vivemos atolados em merda da fossa dos ratos

fernando moura disse...

Não sei quem edita este fantástico espaço, mas tenho inveja...da sua invejavel colecção de jornais e revistas.
É uma autêntica bibliteca nacional!!!
Fernando Moura