Páginas

sexta-feira, 17 de abril de 2015

E. Freitas da Costa acusou Marcello Caetano

O escritor Eduardo Freitas da Costa não gostava de Marcello Caetano. Respeitava o professor mas nada mais.

Admirava Salazar e escreveu sobre ele "Para um retrato de Salazar", em 1971. O filho escreve num blog, O Futuro Presente.

Para perceber por que razões não gostava de Marcello Caetano, o melhor é ler passagens do livro Acuso Marcelo Caetano que publicou logo em 1975, em 5 mil exemplares e que agora, alguns deles, andam pelos alfarrabistas.

O livro é um excelente argumento para os que apelidam Marcello Caetano de "fascista" porque parece querer provar isso mesmo, ao longo de várias páginas, o que não deixa de ser muito curioso, em 1975.

Por outro lado estão aqui todos os argumentos contra Marcello dos que prefeririam outras soluções que o mesmo não perfilhou.

Leia-se e tirem-se conclusões. Quem  puder e quiser.







43 comentários:

Floribundus disse...

repito
o húngaro Mgr Tihamer Toth diz em livro de editora de Braga

'2 espectadores em simultâneo na mesma janela vêm aspectos diferentes da paisagem:
um olha para o céu, outro para a lama da rua'

para mim é muito simples:
os militares abandonaram MC por desejarem o poder
só que, como em todas as revoluções, cada qual deseja o seu

lidiasantos almeida sousa disse...

A minha avó materna era prima de Marcelo Caetano, que era inquilino de meu avô Paterno. Quando criança era amiga de Ana MARIA e passeava no FORD T do avô dela Professor João de BARROS.Achava o professor Marcelo PESSOA MUITO INTELIGENTE, dentro das minhas capacidades de criança, mas bastante duro com os filhos que eram muitos. Quando ele saia de casa vestido com a farda de Legionário, tinha medo dele, mas a esposa, Senhora muito doente, chamava-me e dava-me um bolacha e dizia com uma voz muito meiga, não tenhas medo que ele é bom homem. Depois de chorar a morte de MARIANO GAGO, lembrei-me desta sofredora Senhora e vou continuar a chorar

muja disse...

Marcello, na juventude, ainda escreveu na Ordem Nova que era uma "revista anti-moderna, anti-liberal, anti-democrática, anti-burguesa e anti-bolchevista; contra-revolucionária; reaccionária; católica, apostólica e romana; monárquica; intolerante e intransigente; insolidária com escritores, jornalistas e quaisquer profissionais das letras, das artes e da imprensa".

http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/Periodicos/OrdemNova/OrdemNova.htm

Se eu pudesse, mandava publicar uma reedição, assim à charlie, só para arreliar. Ahahaha! Que maravilha de capa!

muja disse...

Hmm... o Marcello Caetano há-de ter vestido tantas vezes a farda da Legião quanto eu...

muja disse...

Chore, mas não se ponha à janela não vá passar uma equipa de escuteiros e ainda lhe dá o badagaio. E ainda por cima não recebe bolacha...

muja disse...

O filho escrevia no tal blog.

Não tenho grande apreço pelo Nuno Rogeiro que também tem lá a chamadura. Pelo menos enquanto não encontrar o barco onde o Saddam guardava as putativas armas de destruição maciça...

zazie disse...

A capa é mesmo uma maravilha e toda futurista.

Isso é que ainda tem mais piada

zazie disse...

O Nuno Rogeiro foi dos poucos que se opôs à invasão do Iraque.

Nada de generalizar tudo.

Floribundus disse...

dizia-se
'contumaz ou sem Tomás
tanto faz'

josé disse...

O E. Freitas da Costa era dos crentes fervorosos no realismo fantástico do antanho que vem dos anos 40... e das grandezas plásticas da Exposição do Mundo Português.

É a ideia fantástica e grandiosa de um Mundo Português.

Se isto não é mesmo fantástico...

zazie disse...

É fantástico, pois

";O)

muja disse...

Ó Zazie, deve estar a confundir. Porque a minha ideia é que não só não se opôs como era fervoroso adepto.

Porque essa do barco ouvi-a eu na televisão, já os gringos tinham o país de pantanas e armad "viste-las"!
Vais daí e alvitra o figurão que se "pensava" que as armas podiam estar num barco no Golfo...

Olhe foi com esse assunto que eu percebi mesmo que a dira direita era uma fraude.

muja disse...

Aliás, basta ver o que ele ainda hoje diz, sobre a Síria, Ucrânia, Rússia, etc.

Eu não sei, porque desde essa altura que não vejo nada do que ele diz; porque estas coisas não vêm de engano, ninguém se engana a apoiar bombardeamentos em nome de merdas sem jeito nenhum e hipocrisias.

Por isso, aposto que ele foi, e ainda há-de ser, a favor do bombardeamento da Síria. E que acha que a NATO não fez merda que chegue na Ucrânia e tem que mandar para lá mais armas, guito e soldados para combater a "invasão" russa.

E, naturalmente, há-de ser indefectível zelota do sacro-santo israel.

Olhe, faz-me lembrar o que a gente anda a discutir aqui no Dragoscópio. Havia o general coca-cola, estes são os soldadinhos coca-cola...

zazie disse...

Creio que publiquei um post com um texto dele no Cocanha. Dizia precisamente o contrário.

Vou procurar

zazie disse...

Não encontro mas não apoiou.

Quem apoiou foi aquele palerma que agora é PS.

Não me recordo do nome mas no Pastilhas até se brincava com isso.

Um tipo literalmente mongo e cheio de tachos

(Nunca percebi muito bem a embirração que existe em relação ao Rogeiro)

zazie disse...

O Luís Delgado

ehehehe

Um pascácio que faz favor.

Agora está todo de esquerda.

zazie disse...

Deve ser por causa das bolachas que ficam assim.

ehehehe

zazie disse...

Ah e também não é sionista.

V.s embirram gratuitamente com o Rogeiro que é mais atinado do que parece.

zazie disse...

o JMF57 e a Hiena de Matos, sim. Esses é que são comunas às avessas. Ainda vivem a combater os duplos do passado.

dragão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dragão disse...

Aqui gostam do Rogeiro porque ele é afilhado do Marcello.

E o Rogeiro afinou agulhas com a Esther. O tal vira-casaaquismo endémico.

Ao menos o José permanece fiel ao seu fuhrerzinho, entrincheirado no bunker de algodão doce.

:O))

PS: vocês não conhecem o Nuninho... Um cromo com pernas.

zazie disse...

V.s,?

Eu disse que não embirrava.

zazie disse...

Ah, e limitei-me a corrigir a afirmação do Muja ao dizer que ele apoiou a invasão do Iraque.

Não me lembro disso. Não me lembro do Rogeiro ter andado por aí a fazer as figurinhas tristes de um Delgado ou JMF57

zazie disse...

Se o vira-casaquismo é por se ter recusado a falar na conferência do Irão...

Vivendi disse...

Um autêntico cromo.

Quando não gosta do que escrevem (bom contraditório) no facebook dele o soldadinho da Coca-Cola excluí.

E quem julga que andar ao soldo do imperialismo da Coca-cola diz respeito apenas a uma questão de capital anda muito enganado...

http://media.rtp.pt/buzz/publicidade/novo-anuncio-da-coca-cola-promove-familias-fora-do-comum_1273

zazie disse...

Ok. Esqueçam.

muja disse...

Zazie, eu fico na minha. Posso estar completamente equivocado, mas tenho para mim que ele apoiou mesmo.

Essas criaturas que fala nem lhes conhecia opinião na altura. Também não me interessavam como não interessam hoje. Mas lembro-me de outros: esse Luís Delgado, o Pacheco, um tal Vasco Rato que nunca mais vi...

muja disse...

Eu embirro por causa disso. Disso e da causa, que é a pro-gringalhice ferrenha.

É estranho como este pessoal converge para a neo-conice; uns vindos do mrpp outros do diabo...

muja disse...

Que os ex-mrpp se tornem neo-conas, nao me surpreende, sabendo eu hoje o que sei. Já os outros não sei, há-de ser por complexo ou medo que os confundam com comunas se não derem o amen aos gringos... o que diria muito sobre a diferença entre uns e outros. Ou então são as estheres...

Apache disse...

Realismo fantástico à parte, ou não… excepto num ou outro ponto de somenos importância, não divirjo significativamente de Freitas da Costa.

Apache disse...

Muja, em relação ao Nuno Rogeiro, de quem habitualmente discordo, a Zazie tem razão, manifestou-se, ainda que timidamente, contra a guerra no Iraque. Os outros que cita (Pacheco Pereira, Luís Delgado, Vasco Rato) eram a favor.

zazie disse...

Pois foi.

Mas como o boato foi posto a correr pela escardalhada não há nada a fazer.

muja disse...

Olhe, eu não alinho por boatos.

Como são dois contra um, cedo o benefício da dúvida para que não digam que difamo o homem.

Mas do episódio do barco lembro-me eu que o vi. O palerma dizia, ou levava a sério que se dissesse, que as armas podiam estar num barco, porque em terra ninguém dava com elas.

Qualquer pessoa minimamente inteligente, quanto mais um "especialista" em cenas geoestratégicas, percebeu ainda antes da invasão que aquilo era desculpa esfarrapada e não havia nem nunca houve armas nenhumas.

Por isso, e pela coca-colice ferrenha, fiquei com a ideia de que era a favor.

Mas vou ver se o vejo, para saber o que anda a dizer agora...

zazie disse...

Já disse que passava.

Não faço questão em nada.

Apenas dei a informação que ele não apoiou a invasão do Iraque.

Estão a fazer uma tempestade num copo de água.

Maria disse...

O N. Rogeiro não pode fugir às suas origens étnico-rácico-religiosas, tal como outros mais. Estão-lhe escarrapachadas na feições e até no aspecto físico. Sempre apreciei lê-lo e ouvi-lo, primeiro quando iniciou os artigos n'O Diabo e por vezes ainda agora gosto de o ouvir na televisão. Contudo não apreciei nada o facto de quando ele se deslocou ao Irão para discursar na Conferência promovida pelo Presidente, à última da hora tenha desistido de o fazer. Porquê? Por medo ou receio de quê ou de quem? A tal cobardia genética que não raro caracteriza este género de pessoas. Sempre que detectam algum perigo no ar (normalmente imaginário, mas pressentem-no como real) fogem de o enfrentar, preferindo não assumir as responsabildades inerentes para não sofrer eventuais represálias, políticas ou outas. Voltando à Conferência no Irão, para quê que ele se deslocou até lá se não tencionava tomar a palavra?

As pessoas que possuem estas características psicológicas e fisionòmicamente evidentes - e que me desculpem os que se possam sentir atingidos e se recusam reconhecer os seus defeitos, porém, se forem honestos consigo próprios, terão de convir tratar-se de um facto comprovável e real, além de ser é a mais pura das verdades - são pessoas ultra-desconfiadas, sobranceiras e prepotentes, intolerantes e sobretudo muito vaidosas da sua importância e especialmente da sua pretensa inteligência acima dos demais, o que, diga-se em abono da verdade, se verifica efectivamente na maioia dos casos, o que lhes falta é humildade para se relacionar com o próximo que eles consideram invariàvelmente seu inferior. São pessoas que de uma forma geral adoram dinheiro, muito dinheiro, considerando-o como a coisa mais importante da vida e a ganância pela sua obtenção, querem sempre mais e mais, perduará enquanto vivam (felizmente há excepções a esta regra como em tudo e eu sou testemunha de que n'alguns casos, poucos embora, assim é de facto). O maior problema que caracteriza estas pessoas é serem muito pouco confiáveis, sendo capazes de trair o seu melhor amigo ou mesmo um familiar ou ente querido, se desse acto a todos os títulos reprovável conseguirem extrair brutos lucros, sejam eles de natureza pessoal e/ou profissional.

Há por aí na política (e como é natural também fora dela) bastante gente deste jaez. Por mim, nada contra. O pior e muito grave para os países e povos, é quando estas personagens assumem cargos políticos, sobretudo se de importância vital para as populações, que lhes permitam tomar decisões que possam vir a afectar dramàticamente esses mesmos povos e dividir, destruíndo irreversìvelmente, as sociedades organizadas e felizes.

São pessoas, estas, que estando mal consigo próprias (é da sua natureza que espiritualmente assim se sintam de modo permanente e enquanto vivam) têm uma tendência inata para fazer mal, ainda que não raras vezes inconscientemente, aos que os rodeiam, sejam eles colegas de trabalho, amigos e inclusivamente entes queridos. Se se trata de políticos a exercer cargos de responsabilidade a nível de Estado, então pior um pouco.
E óbvio que o 'mal'(à falta e melhor designação) que deles emana e os consome dia após dia, ir-se-á reflectir forçosamente nas decisões políticas tomadas ou a tomar e estas perigosamente na vida dos governados.

Há políticos e personalidades com cargos importantes na nossa sociedade, que influem decisivamente e de um modo negativo na vida dos portugueses. Evidentemente que dentre estas existem as que não os afectando de um modo directo não deixam de o fazer por interpostas pessoas, como, por exemplo, por alguns advogados muito conhecidos que prestam serviços jurídicos (ricamente remunerados) a determinados políticos - e não tão poucos assim - da nossa praça.
(cont.)





Maria disse...

(conclusão)

Vejamos algumas das personalidades que, por acção ou omissão, se podem incluir perfeitamente (e também negativamnte) no quadro seguinte:

- Mª. João Avilez (sim, coloquei um só L, tal como se grafa o nome da vilória raiana de Espanha donde provém o seu apelido e só por snobismo exacerbado ela lhe coloca dois L's), falsa como Judas, traiu o seu melhor amigo e confidente, Sá Carneiro (depois disso escreveu uns livrecos para se redimir da traição, mas de nada valeram), para cair nas graças e usufruir do regime maçónico vigente e subir na vida profissional, tendo a partir daí o tacho para sempre assegurado;

- Helena Roseta, outra que tal. Está-lhe estampada na cara (e no apelido, não o que usa, embora também, mas no seu própio - Salema) a massa de que é feita. Falsa até dizer basta. Chorou durante dias lágrimas de crocodilo após o seu grande amigo e igualmente confidente, Sá Carneiro, ter sido assassinado pela mafia democrática do regime, contudo o desgosto passou-lhe num ápice e depressa saltou para um partido oposto ao seu cua ideologia ela fingia cìnicamente repudiar e não obstante
é nele que permaneceu até hoje e onde se tem governado e bem. É claro que o dinheiro e o estatuto social que deles advém é que a única coisa que interessa. Integridade e rectidão moral? O que é isto?;

- Proença de Carvalho, mais um que operou o nariz para disfarçar os genes, mas as origens rácicas e o percurso profissional sinuoso - e que rendoso ele tem sido! - estão todos lá, revelam-se tanto na fisionomia como na habilidade para fazer dinheiro, e revelam à saciedade massa de que é feito;

- O J. Miguel Júdice, idem aspas, é em tudo igual ao antecedente, o mesmo nariz operado para atenuar as origens que não o desmentem, a mesma ganância por dinheiro, a mesma sinuosidade profissional, a mesma falsidade política, a mesma traição ao seu partido d'origem, PPD, trocando-o por outro maçónico, seita esta a que provàvelmente pertence ou não teria tido tanto sucesso profissional desde que a ele aderiu, seita e partido que lhe oferecem toda a segurança profissional futura;

- José e Ricardo Sá Fernandes são mais dois produto da mesma safra e com todos os defeitos inerentes aos dos citados acima. E esta lista alongar-se-ia assustadoramente.

Foi com gente deste baixo calibre que, uns com responsabilidades acrescidas na governação, outros a dirigir instituições públicas e privadas mas muitas àquela umbilicalmente interligadas, que Portugal se afundou definitivamente, desaparecendo como Nação Orgulhosa e Independente. O seu Povo porém continua a resistir e não desaparecerá.

(Graças a Deus que temos profissionais destes com mais qualidades do que defeitos. O que só por si já os coloca a anos-luz dos seus congéneres, para bem deles e principalmente nosso).

O J. Sampaio é outro cujos defeitos intrínsecos à raça são por demais cohecidos, não tivesse ele, como bom maçon e ex-mrpp, atraiçoado a Pátria e já em funções governativas, também feito o mesmo aos portugueses e por diversas vezes. Este é mais um fingido que mesmo que quizesse não podia fugir às origens rácicas. Se dúvidas houvesse bastaria atentar no seu percurso político.

Há muitos mais troca-tintas e falsos democratas (advogados e políticos, mas não só), hoje porém fico-me aqui.

lidiasantos almeida sousa disse...

Maria concordo com quase tudo o que escreve, menos onde diz que o Jorge Sampaio foi do MRPP.
Quanto ao Rogeiro, mudou muito quando cortou as melenas e fez um corte à MACHO Pintou o cabelo de loiro. Não sei se foi por isso que o BALSAS e sus muchachos nunca mais lhe pediram comentários, pois é raro ele aparecer na SICN onde era visita assídua. Enfim, os Padrinhos poderosos, quando mudam de ideias. não há nada a fazer. E ele quando bate, bate forre. Deve ser amanhã o julgamento do Afilhado, que ele mandou o Crespo dizer a toda a hora e momento: Mas quem é a ONGOING? DE ONDE VEM O DINHEIRO DA ONGOING, Quando o Padrinho já não precisava do CRESPO,. pois o afilhado Nuno estava KO, O Crespo levou um pontapé no cu e deve andar a velejar por águas revoltas. Obrigada Maria aumentei os meus conhecimentos.

Apache disse...

“O palerma dizia, ou levava a sério que se dissesse, que as armas podiam estar num barco, porque em terra ninguém dava com elas.” [Muja]
Acho que a maior parte destes “palermas” não sabe que as armas químicas, caso existissem, estariam fora do prazo de validade.

O Rogeiro diz algumas coisas acertadas, mas também diz muitos disparates.

Apache disse...

“concordo com quase tudo o que escreve, menos onde diz que o Jorge Sampaio foi do MRPP” [Lídia]

Não sei se foi, “oficialmente”, do MRPP, mas ideologicamente não terá andado longe. Concorreu às eleições em 1969, nas listas da CDE e em 74 esteve no MES.

Maria disse...

Obrigada Lídia, pelas suas palavras.

Quanto ao dr. Sampaio, muito me informa. Olhe que sempre pensei ter ele pertencido ao mrpp, pois creio ter lido isso há muito anos em diferentes orgãos d'informação e por várias vezes. Estarei a fazer confusão, pela certa.

Quanto ao Rogeiro, mas ele alguma vez pintou o cabelo de loiro?!? Que estranho, esta não é uma atitude que se pudesse esperar dele... A verdade, verdadinha, é que nunca o vi de loiro nos diversos programas televisivos nos quais tem vindo a participar ao longo dos anos, mas e daí...

lidiasantos almeida sousa disse...

Jorge Sampaio nunca teve ideias semelhantes aos criminosos e ladrões do MRPP. Ele descendente de um mãe DE CREDO judaico, foi educado duma maneira contra a violência e é excelente pessoa. Antes do 25 de Abril pertencia ao CDE como muitos de nós pertencerem. Eu por acaso não porque não vivia em Portugal. Achei muita graça à sua referencia aos narizes do Proença de Carvalho e outra pessoas. O que quer dizer com isso que o Proença é judeu? Mas judeu não é uma raça é uma religião e as pessoas são iguais a milhões de outras pois há judeus, brancos, pretos, árabes etc. com narizes arrebitados. aduncos, achacados. veja o caso do Dr. Ruah que eté há pouco tempo era o chefe da comunidade Judaica, tem o nariz pequeno por acaso é um grande médido e bos pessoa.

lidiasantos almeida sousa disse...

Maria, lindo nome. Nuno Rogeiro tinha um programa na SIC N com o cunhado do VALE AZEVEDO, que apreciava, pois além de política. mostravam livro e musicas inéditas. Um belo dia. o Nuno apareceu de cabelo cortadas e pintado de loiro. Foi uma decepção para mim pois a imagem de marca dele eram a melenas compridas À francesa, grisalhas quase brancas. Ficou ridículo e passados uns meses, o cabelo cresceu um bocadinho e a cor voltou ao natural. UM DIA FELIZ

lidiasantos almeida sousa disse...

Maria, não sei se viu a ANA MARIA CAETANO, hoje na RTPN. Está linda e feliz pois casou há um tempo com o Beirão da Veiga. Falou da mãe e da sua terrível doença o que me fez chorar muito pois era uma Senhora admirável. Teve sorte em ter uma filha excepcional que deixou tudo na vida para a acompanhar até à morte. Agora merece ser feliz.

Para o Senhor que duvidava que o Professor Marcelo Caetano saia de casa fardado pode crer que era verdade. A nossa casa era no Campo de Santana, Ele seguia pelo passeis até ao Instituto câmara pestana, DESCIA A calçada DE Santana até ao PALÁCIO DA restauração onde dava aulas aos legionários e Mocidade Portugues. Não tem nada de mal, Porque o HOMEM SAMBEM é as suas CIRCUNSTANCIAS.