Páginas

quinta-feira, 30 de julho de 2015

O pântano nacional

Este pequeno apontamento de Eduardo Dâmaso na revista Sábado de hoje dá-nos uma imagem muito aproximada da realidade politico-social que viceja nas altas esferas do poder. O fenómeno tem alguns anos mas na última dúzia refinou-se de tal maneira que se torna imperioso exterminá-lo sob pena de sermos nós, os cidadãos comuns, a pagar as favas, em democracia.

Por outro lado, há os que vêem este fenómeno claramente visto e há os que o vendo enterram metaforicamente a cabeça na areia, como é o caso da generalidade dos jornalistas.

Saiam desse armário! Lutem pelos direitos a uma informação livre e pela dignificação da profissão. Denunciem os proenças e figueiredos e balsemões! Não vêem o que vos fazem? Querem continuar nessa escravatura real?


4 comentários:

zazie disse...

Certeiro

Floribundus disse...

Estado sentido
« mais um dia no calabouço inane do socialismo
a europa paga, o tuga gasta e reina o autismo
sucedem-se as selfies vãs por elogios baratos
os jornalistas cumprem o seu dever de mainatos »

mainato
empregado doméstico encarregado de lavar a roupa suja do patrão

Bic Laranja disse...

Sector? Electrónica?
Admira-me este Dâmaso andar ali a renegar o caco gráfico. Será descuido ou manha do Correio contra os outros donos desta m...?!...
Cumpts.

zazie disse...

Também reparei.

Ele misturou as duas coisas, creio eu.

Mas faz muito bem. Eu também me recuso e, felizmente no meu local de trabalho o director também recusa e ninguém escreve à acordo nem no que é para vir cá para fora.