Páginas

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Tem a palavra a ilustre casa de Pessoa...

Observador:

O escritor português António Lobo Antunes, que acaba de ver publicado no Brasil o livro “Não É Meia-Noite Quem Quer”, deu esta quinta-feira uma entrevista à versão brasileira do El País, onde fala de vários temas, entre os quais a sua visão crítica de Fernando Pessoa, a sua carreira, as marcas que a guerra lhe deixou.
Sobre Pessoa, o “eterno candidato” ao Prémio Nobel afirma não ser fã do escritor, falando sobre ele da seguinte forma:
O livro do não sei o quê [Livro do Desassossego] aborrece-me até a morte. A poesia do heterónimo Álvaro de Campos é uma cópia de Walt Whitman; a de Ricardo Reis, de Virgilio. Pergunto-me se um homem que nunca fodeu pode ser um bom escritor“.
 O Pe António Vieira que foi noviço jesuíta logo após a adolescência, também estará neste rol de malditos da virgindade?

67 comentários:

zazie disse...

ehehe

foca disse...

Faz sentido, agora percebo-me melhor
Apesar de tanta gente dizer que o gajo é um génio, sempre achei os livros uma digníssima merda (no sentido literário). Em cada frase há 30 rosas para dizer qualquer banalidade. Pior que os livros só mesmo a diarreia que escreve na Visão.

zazie disse...

Pois eu também sempre achei o Livro do Desassossego uma monumental estopada de soberba e acedia.

S.T. disse...

ALB lembra-me Mário Soares , ainda que me mereça mais condescendência e simpatia . A idade não perdoa e o alcool - que a uns guinda à genialidade - a outros tolda a auto-crítica .

flor disse...

a soberba de um idiota.

zazie disse...

ehehe

Mas é verdade. Não se tem é coragem de dizer isso. Aquilo é uma série de banalidades de embirrações a pentelhices urbanas e desabafos de enfado idêntico.

":O)))))

José disse...

Pessoa em vida só publicou a Mensagem.

Será que esta obra não merece consideração maior que qualquer uma de ALA?

zazie disse...

Ah, sim. Mas nem sequer me lembrei do ALA. Esse só alguns pequenos textos de jornal. Em livro não se aguenta.

zazie disse...

Uma imitação de Céline de divã.

zazie disse...

Agora que o Livro do Desassossego é mesmo uma monumental estopada em formato de lista de mercearia, é.

S.T. disse...

A Zazzie que perdoe , mas a opinião que ofende , é mesmo a de A.L.A ...

zazie disse...

Não disse o contrário
eeheh
Apenas me ri por causa do Livro do Desassossego e do detalhe priáptico ou assim.

zazie disse...

A mim não me ofende nada porque nunca tive pachorra para o ALA. Mas pronto. É vedeta e está na sua de se comparar porque lhe deram o estrado.

zazie disse...

Comparou f****s, a bem dizer.

zazie disse...

Mas, já agora, só por coisas, algum de vs. acha o máximo ao Livro do Desassossego?

Pode ser bruta falha minha e até devia estar calada porque nem percebo grande coisa de literatura. Mas aquilo nunca me convenceu.

S.T. disse...

Lol . Se calhar é pirque o leu de uma estopada . Vou repetir melhor : a opinião que ofende mesmo , é a do A.L.A. , não é a sua .

zazie disse...

Mas gosto muito do Alberto Caeiro e a via apofática.

zazie disse...

Se calhar. Não sei. Sei que irritou à primeira. Tal como nunca tive a menor pachorra para as filosofices e bruxarias dele.

José disse...

Ainda me lembro quando tinha para aí 12 anos e me pediram para decorar umas passagens da Mensagem...Ó mar salgado! Quanto do teu sal são lágrimas de Portugal!

Enfim, é o épico que nos calhou, depois de séculos de hibernação.

zazie disse...

Será mas gosto do Pessoa em poesia e muitíssimo do Caeiro.

zazie disse...

Ainda que me diga mais o Teixeira de Pascoaes.

zazie disse...

Agora um tipo que diz que um poeta é cópia de Virgílio é tosco. É como dizer que as bucólicas lhe fazem lembras as éclogas.

josé disse...

Pois, mas a Mensagem é poesia. E o tal poema do Mar Salgado é o que se aproxima do Mito...se lhe juntarmos a evocação antiga.

josé disse...

Agora só espero que a Casa de Fernando Pessoa comente...

josé disse...

Porque é que ALA não vai mais longe e desanca o Saramago? Sei que já o fez levemente, mas não assim.

zazie disse...

Mas aí gosto. Não dá para levar muito a sério a poesia. Agora se o mito ainda pegou mais por essa via, não deixa de ter piada

zazie disse...

Mas ele nem desancou no Saramago. Acho que disse mais ou menos que fodeu muito e nunca lhe deram um Nobel e que o outro imitava o Virgílio e o Whitmam por lhe ter dedicado um poema e que o Desassossego é chato (e aí concordo).

Não misturou a guerra colonial com o desabafo? nem li mas ele tem sempre de falar do trauma de ter andado na Grande Guerra da paróquia.

zazie disse...

Ficou doentinho para sempre
eheheh

Dizer isto fica bem.

zazie disse...

Queria dizer nem desancou no Pessoa. Vou espreitar o que disse mais

zazie disse...

Não disse mais nada. Disse só essas frases. Depois fala da guerra e da bola e assim e do Céline que já sugou o que podia.

Josephvs disse...

Oh Jose, São Tomas d'Aquino tambem esta desclassificado?? LOL

Miguel Dias disse...

Santo Agostinho!

Floribundus disse...

ala precisa de muito papel para limpar o cu de judas

ficava-lhe muito agradecido se optasse pelo mesmo fim de vida

deixo de dizer 'vá chatear o Camões' para dizer ala.

quando frequentava La Sapienza alguém disse
'uno stronzo è sempre uno stronzo'
maneira delicada de chamar imbecil, cretino

zazie disse...

O Santo Agostinho ainda pecou antes.

ehehehe

O imbecil nem sabe o que diz.

zazie disse...

Tinha piada darem-lhe um prémio idêntico ao que deram à Louise Bourgeois

ehehehehe

Kaiser Soze disse...

Do Lobo Antunes só me lembro de o ver e ouvir dizer no programa do Bourdain que antes do 25.04 a heroína era mais barata e fácil de arranjar do que tabaco... Para controlar a população drogando-a.

Kaiser Soze disse...

É verdade: oh José, comentário ao Acórdão do Rangel, temos?

José disse...

Comentários ao acórdão? Não o li...

Kaiser Soze disse...

É justo. Não sabia que tinha lido os que tinham mandado o 44 levar na pá, quando os comentou.

José disse...

Também não li os acórdãos mas apenas a parte que foi publicada. Chegou para tal. Agora não chega porque já comentei antes o que havia a comentar sobre o assunto.

Porém, está a dar-me ideias...

Floribundus disse...

o palerma quer comparar-se com Celine

O DIA EM QUE O DN CONTOU: A 31 de dezembro de 1934, o júri que atribuía os mais importantes prémios literários do ano – patrocinados pelo Secretariado de Propaganda Nacional – anunciou que “em primeira categoria de poesia” ganhou A Romaria, do padre Vasco Reis, missionário franciscano na Beira, Moçambique. E que, “em segunda categoria”, ganhou Mensagem, de Fernando Pessoa. O padre, então com 24 anos, passou a vida com esse peso de ter ganho a Pessoa.

Floribundus disse...

'-o senhor assistiu ao adultério
-senhor dr juiz. depois de se despirem apagaram a luz'

'-que mais desejas?
-a Luz'

Zephyrus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zephyrus disse...

Eu devo ser um valente ignorante pois nunca consegui ler nada deste colega. Acho os textos intragáveis. Também nunca consegui ler Saramago. No entanto, acho Miguel Torga um escritor extraordinário, que se encontra algo esquecido e desvalorizado. Ainda este fim-de-semana fui ao Alto Douro e reli alguns dos seus textos. Miguel Torga é um dos autores que leio frequentemente.

Zephyrus disse...

Médico? Escritor? E diz esta porcaria?

Que vergonha! É um ignorante! Ignorante! Que miséria, onde chegámos...

Não faltam escritores, santos, santas, cientistas, celibatários, com obra!

Aliás, o celibato é uma forma de atingir a genialidade!

José disse...

O Torga é um clássico que se lê muito bem. Não tem arrebatamentos estilísticos e os seus contos têm princípio, meio e fim, como deve ser.

Não projecta traumas pessoais nos escritos e o relato é sempre escorreito e límpido como o granito da terra de onde veio.

Zephyrus disse...

Pessoas entendidas em Pessoa sempre me disseram que a prosa não tem notório valor literário.

Mas a poesia...

Tenho a obra completa. É natural que Pessoa não seja querido. Pessoa é contra o socialismo e a franco-maçonaria por detrás do Liberalismo ou da queda da Monarquia. Pessoa tem muitas posições que hoje fariam escândalo entre o esquerdismo do politicamente correcto. Pessoa é também anglófilo. A Esquerda tuga detesta os anglo-saxónicos.

Zephyrus disse...

«O Torga é um clássico que se lê muito bem. Não tem arrebatamentos estilísticos e os seus contos têm princípio, meio e fim, como deve ser.

Não projecta traumas pessoais nos escritos e o relato é sempre escorreito e límpido como o granito da terra de onde veio.»

E é um escritor que ama o seu país de um modo visceral. Como o amor de um filho pela mãe. E isso, na minha opinião, ainda lhe dá mais valor.

Zephyrus disse...

Pessoa é uma pedra no sapato da Esquerda. Sempre achei estranho que não o atacassem... mas teria de vir o dia...

Liberal, anglófilo, anti-socialista, anti-comunista, cristão gnóstico...

Zephyrus disse...

«António Lobo Antunes falou ainda de música ao El País Brasil, afirmando não se interessar muito por fado mas, pelo contrário, ser fã de flamenco e de jazz. “Aprendi mais com alguns saxofonistas de jazz, como John Coltrane e Charlie Parker, do que com escritores”, diz.

Quando questionado sobre o facto de ter escrito 30 livros em 37 anos, e não parecer ter vontade de abrandar, António Lobo Antunes respondeu:

O que posso fazer? Quando não escrevo não me sinto bem, sinto uma espécie angústia; uma coisa física difícil de explicar. Tenho a impressão de que me fizeram para escrever”.»

Ouvi em tempos a discografia quase completa de Coltrane. Nada aprendi.

30 livros em 37 anos?

Qualidade?

Eu nunca consegui ler Júlio Dinis, Fernando Namora, parte da obra de Eça, Fernão Mendes Pintos, Jorge de Sena. Quem estuda Medicina, Direito, Engenharias, não tem muito tempo para ler. Um clínico também não.

Creio que para se ser bom escritor, é mister haver boas leituras. E para ler, é necessário tempo.

Zephyrus disse...

Estou a ler aos poucos a Divina Comédia. Vai demorar semanas ou meses. É um poema complexo. Não tenho estudos de Filosofia ou História. Sou da área científica e portanto tenho de ler com calma para perceber verso a verso.

Pessoa dizia que Dante era superior a Virgílio.

Fazem-me imensa confusão portanto certos iluminados que dizem ter lido tudo e mais alguma coisa.

Zephyrus disse...

«Mas ele nem desancou no Saramago. Acho que disse mais ou menos que fodeu muito e nunca lhe deram um Nobel e que o outro imitava o Virgílio e o Whitmam por lhe ter dedicado um poema e que o Desassossego é chato (e aí concordo).

Não misturou a guerra colonial com o desabafo? nem li mas ele tem sempre de falar do trauma de ter andado na Grande Guerra da paróquia.»

O Miguel Torga merecia o Prémio Nobel.

Saramago? Não creio. Depois do Caim fiquei com a certeza que a pobreza intelectual do escritor era muita.

Mas se calhar o ignorante sou eu por não conseguir compreender a grandeza da obra.

José disse...

Ler certas obras não é apenas "ler". É poder fazer uma exegese das mesmas porque geralmente têm vários níveis de leitura.

E por isso me falham estudos em muitas áreas. Admiro quem os tenha mas há poucos. ALA não é certamente um desses.

Zephyrus disse...

http://economico.sapo.pt/noticias/teixeira-dos-santos-politicas-do-programa-do-ps-sao-arriscadas_229901.html

Um professor que era respeitado na UP. Vai partir deste mundo com uma vergonha que nunca mais irá perder. O que levará alguém assim a sujeitar-se às ordens de um tiranete intelectualmente e moralmente inferior e que certamente o desprezava?

Nestes momento recordo a minha mãe. De nada serve sermos excelente alunos ou professores. Sem maldade, sem manha, «não se chega a lado nenhum» e «somos enganados ou destruídos pelo velhacos sem inteligência».

E assim vê-se como o jacobinismo, o desprezo pelo Cristianismo, varreram digamos a reflexão e o estudo dos vícios e virtudes, e das fraquezas da alma. Pois certamente noutros tempos estes homens como Teixeira dos Santos teriam estudado e reflectido sobre o tema. E possivelmente teriam tido outra fibra na hora de lidar com estes canalhas.

Tirámos Deus da Academia e da vida pública, tirámos o Espírito, a Transcendência.

Regredimos? Eu acho que sim.

Anjo disse...

Pessoa comportava-se como um bipolar, se é que não o era, conforme já ouvi comentar algures.

Nos seus escritos sobre diversos temas (Ultimatum e Páginas de Sociologia Política, http://www.fnac.pt/Sobre-o-Fascismo-a-Ditadura-Militar-e-Salazar-Fernando-Pessoa/a855571 e outros), é possível encontrar uma posição e o seu contrário com 2 páginas de intervalo. O Pessoa polemista é capaz de dizer qualquer coisa, deste mundo ou do outro... oscila entre a grandiloquência febril e a tontice.

Não vejo que seja uma pedra no sapato da esquerda, que entretanto deve ter rebuscado no baú e encontrado o outro tipo de escritos (o que lhe convém). Aliás, os textos não são nada de fiar. Deve ser impossível fazer edições "ne variatur" de textos manuscritos cheios de buracos e coisas ilegíveis. Há sempre iluminados prontos para outras interpretações.

A poesia dele é outra coisa...

Maria disse...

"Porque é que ALA não vai mais longe e desanca o Saramago? Sei que já o fez levemente, mas não assim". José.

"Médico? Escritor? E diz esta porcaria?". Zephyrus
Completamente d'acordo, Zephyrus. Se ele diz ser médico e escritor emprega semelhante linguagem debochada, parece tudo menos isso... Uma vergonha é o que é.

O A.L.A. é um grandessíssimo parvalhão. A literatura dele é um completo horror, não vale um tostão furado. A sua oratória é outra desgraça, não diz coisa com coisa, não há lógica no seu discurso oral... Uma ou outra crónica de jornal e algum artigo de revista, que cheguei a ler vai para alguns anos, ainda valiam alguma coisa. E só.



Verdade, José. E não o desanca poque tem a mania que é de esquerda, mas é só por oportunismo, como convém num regime que só atribui prémios, dá valor às pessoas e só dá emprego a quem for da sua cor política. E nesta farsa de regime quem o for tem o futuro assegurado. Ele quer à força ganhar o Nobel e mais tarde ou mais cedo ganhá-lo-á e ùnicamente por se tratar de um pseudo-comunista (salvo se acontecer algo de imprevisto ou se as individualidades que atribuem o prémio forem substituídas por personalidades imparciais e apolíticas).

Um filho-família nascido em berço d'ouro, com a mania que é de esquerda e que sempre pugnou pelos mais fracos e desvalidos..., mas que não obstante cresceu, se formou e exerceu a profissão durante o regime anterior sem nunca ter sido por ele incomodado e no entanto, coisa estranha e paradoxal, veio o 25/4 e da noite para o dia virou comunista ferrenho desatando a apostrofar o Estado Novo e o seu Governante máximo e fá-lo há décadas... Que nome se deve dar uma pessoa deste baixo calibre? A.L.A. comunista? Por favor!, não me lixem (como dizia o outro).

Quanto ao facto de a Mensagem ter obtido o 2º. Prémio de Poesia e não o 1º., instituído pelo S.P.N. em 1934, tal deveu-se, como bem lembrou Floribundus, tão sòmente ao critério atribuído ao número de páginas entre os dois livros apresentados a concurso.
Os poemas da Mensagem são extremamente belos. Há alguns que considero mesmo sublimes, como por ex.: Mar Português (muito bem assinalado por José); D. Filipa de Lencastre; O Conde D. Henrique; Nevoeiro; Nunálvares Pereira; Prece. E outros mais.



Floribundus disse...

em Berlim na Kurfürstendamm junto à Kaiser Wilhelm Memorial Church
comprei uma tradução das cartas a Ofélia

uma delícia

Fernando Pessoa morreu um ano depois do concurso.

insurgiu-se contra o encerramento do gol

o gm norton de mattos e tutti quanti meteram-se debaixo da cama cagados de medo

muja disse...

Quise desertar cuando estuve allí, pero mi capitán me dijo: "No te vayas, que la revolución se hace por dentro; no en los cafés de París".

Quis desertar, ficamos sabendo. Alguém lhe explicou que podia trair melhor as pessoas que para proteger, para ali tinha sido enviado. Se foi mesmo por isso que lá ficou, há que reconhecer-lhe a inteligência de o ter compreendido.

Sí, nada hay más duro que una guerra. A los 18 años decreté que iba a ser un genio, pero llegas a la guerra y eso desaparece inmediatamente; eres uno entre muchos.

Deve ser duro, para quem se tenha determinado ser um génio, verificar que, afinal de contas, é só mais um homem. Virá daí o ressabiamento?

Y del Atlético de Madrid, dos equipos del pueblo.

Nunca conheci ninguém que fosse do Benfica por ser uma equipa "do povo". Eu, que não sou filho de burgeses, quando pensava que ligava alguma coisa ao futebol, era do Benfica porque gostava de águias e do vermelho. Hoje não ligo nada ao futebol - fenómeno que, como tal, me repugna. Agora simpatizo com o C.F. os Belenenses porque acho que usa a camisola mais bonita de todas.

Registo-lhe o gosto pelo clube espanhol.

Dígame que le gusta el fado.

R. No me interesa mucho. Después de escuchar dos resulta muy monótono.

Está bem. Eu também não gosto de tudo e o que gosto mais é Amália e da sua voz.

P. ¿Y el flamenco?

R. ¡Ah! Eso, sí, muchísimo. Esa sensualidad, esa belleza; Jacobo [Martínez de Irujo] me solía llamar cuando descubría un nuevo cantante para que fuéramos a escucharlo juntos. He aprendido más con algunos saxofonistas del jazz como John Coltrane o Charlie Parker que con escritores.


Ah, pois claro, flamenco é outra coisa. 2-0 para a Espanha.
Eu também gosto de flamenco. Mas depois de escutar um ou dois trechos é monótono...

Mis libros nacen de la basura.

O papa Bergoglio ficaria orgulhoso.

Cuando no escribo no me siento bien, siento como una angustia; una cosa física difícil de explicar.

O António Variações, que nunca ganhou nenhum prémio também dizia mais ou menos a mesma coisa. Mas não era sobre escrever...

BELIAL disse...

O livro do desassossego pode ser uma boa chatice.
Mas é uma chatice boa.

Pode ser lido como a biblia, umas páginas de quando em vez...

Muita coisa boa, é chata.

Para isso existem os chatos que analisam coisas chatas, mas boas.

Também o lobo antunes é chatíssimo, mas do que li, tenho a certeza que é bom.
Um bom chato... :-)



PS - sobre saramago e sua obra - respondeu a alguém, após aquele ganhar o nobel:"oh, esse...oh...oh...esse coitado, coitado...".

BELIAL disse...

As crónicas do ALA, são muito boas, também

E não são chatas.

zazie disse...

«O livro do desassossego pode ser uma boa chatice.
Mas é uma chatice boa.

Pode ser lido como a biblia, umas páginas de quando em vez...

Muita coisa boa, é chata.
»

Não será por isso mas admito que posso ter ficado com má impressão e estar enganada.

Um dia, se tiver tempo, faço a experiência. Retiro-lhe tudo o que está a mais, por nem ser estilo, nem efeito musical, nem ideia nem servir para nada e vejo o que fica. Se ficar pouco mas valer a pena, mudo de opinião.

Porque o que desagradou não foi ser chato- foi ter palha e mais palha.

Quanto ao ALA, nem merece a pena.

zazie disse...

Que nem chega a ser totalmente futilidade. Se fosse não era chato também

ehehehe

Mas tem por lá aforismos que não são nada. São desabafos de tédio que qualquer pessoa era capaz de dizer.

zazie disse...

Em poesia tudo isto funciona e gosto muito. Em prosa não basta.

zazie disse...

Qualquer pessoa, não. Porque ele escreve bem. Aquilo pode é ser lido como uma provocação de tédio, como ele diz- sonhos de costureirinha ou moço de fretes (algo no género) mas bem escrito

ehehehe

Só que eu não lhe encontro o suficientemente bem escrito para elevar essa acédia feminina ao humor negro.

hajapachorra disse...

Comparar Ricardo Reis com Virgílio é de ignorante chapado. Ricardo Reis compara-se com Horácio. Pessoa não é de esquerda nem de direita, antes pelo contrário. Pessoa é apenas o único poeta genial que tivemos depois de Bocage. Lobo Antunes não é de esquerda, aliás, a política para ele é recebidos descoberta. Nunca se interessou por política. Pode ganhar o Nobel, se Saramago pôde...

hajapachorra disse...

... é recente descoberta...

zazie disse...

Ainda andou lá pela APU do PCP