Páginas

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Maersk sai de Lisboa...

Económico:

"Armadores dizem que saída da Maersk põe em causa viabilidade do Porto de Lisboa"

Alguém saberá explicar a razão verdadeira deste abandono?

11 comentários:

Floribundus disse...

ditado
'em terra de cegos, quem tem olho é rei'

partiu antes que o rectângulo se afunde

e a pelintragem morra afogada

como lhe compete

Octávio Diaz-Bérrio disse...

Isto já não é o princípio do fim.
É mesmo a parte final do fim, que só um cego não vê que está ali mesmo ao virar da esquina.

jbp disse...

Os estivadores já podem convocar mais uma greve.

jbp disse...

http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/estivadores_justificam_saida_da_maersk_de_lisboa_com_situacao_operacional_deficiente.html

Mais uma grande vitória da união de esquerda

josé disse...

Na Autoeuropa é que não se atrevem...mas vontade não lhes falta aos Oliveiras desta figueira seca e ao Jerónimo, último dos moicanos mai-lo seu lugar tenente de crista emplumada, Arménio.

Julgam-se em 1975.

Arnatron disse...

A maioria absoluta de 8% está a impôr a sua lei ...
Rumo ao caos ...

Dudu disse...

Se fosse na Venezuela, Maduro diria ser a contra-revoluçao em marcha.

Artur Campos disse...

Segundo a Maersk será por causa das greves dos estivadores.

Floribundus disse...

puezia vadia

aosta
bosta
costa

Luís Bonifácio disse...

A operação de navios porta-contentores giagantes da Maersk é feita "just-in-time, devido ao enorme custo de operação e às enormes multas por atrasos no transporte.
Por isso a Maersk não pode operar em Portos onde é impossível prever com avanço quantas horas demora a descarregar/carregar X contentores.

Acontece que no Porto de Lisboa, os estivadores trabalham no dia em que o rei faz anos, logo para a Maersk operar no Porto de Lisboa pode conduzir a prejuízos astronómicos!

NOTA: Em Leixões, nos anos 80, os estivadores faziam greve 2ª, 4ª e 6ª das 09h00 às 18:00 e depois trabalhavam toda a noite em regime de horas extraordinárias.

dzg disse...

Ainda veremos nascer o sol do dia em que tudo começará por milagre a correr bem.

Mais tarde, descobriremos que tal se deve ao facto de estar a operar no porto alguma agência ligada a um comuna escondido qualquer, como aqueles da sibéria que viraram vódkó-capitalistas, o grande sonho de infância