Páginas

sábado, 23 de janeiro de 2016

Figuras emblemáticas de um regime no cortejo fúnebre

As cerimónias fúnebres de Almeida Santos proporcionaram um retrato estereoscópico e bastante abrangente das figuras do regime que temos há quarenta anos, aproximadamente.

As revistas "sociais" que todas as semanas fazem o relato dos eventos desse regime foram lá e tiraram fotos.
Agora, misturadas com as dos artistas dos espectáculos populares que entretêm o povoléu que avidamente lê em estabelecimentos de cabeleireiros e salas de espera de profissionais liberais, relataram o assunto, deste modo:

Lux:






Nova Gente


Caras,  tiradas da Net:
















Pegue-se em cada uma destas imagens e destas pessoas e analise-se o que fizeram por Portugal nos últimos 40 anos. Interessa pouco o que fizeram pela "democracia" porque o que tínhamos antes de 25 de Abril de 1974, com a evolução que levava conduziria fatalmente à democracia de tipo burguês que temos. Portanto, esse mérito é escusado como emblema de distinção.

Analise-se melhor o que cada uma destas figuras do regime fizeram em concreto para nos conduzir á iminência de três bancarrotas sucessivas, em 1976, 1984 e 2011. O que fizeram nos domínios da Educação que temos actualmente, da Saúde que temos agora, da Organização Social que podemos ver, os costumes que adoptamos, os valores que perfilhamos e a Realidade que vivemos.
Essa Realidade é a "real",  não a inventada pelos media que algumas dessas figuras controlam ( et pour cause).

Vejamos quem são as "elites" de que essas figuras fazem parte e as que se geraram por intermédio delas. Vejamos que leis nos fizeram nos diversos campos do Direito e que regras nos impuseram na convivência social.

Compare-se depois tudo isso e essas figuras com o que havia há quarenta anos e tirem-se as conclusões.

Uma parece certa: a maior parte destas figurinhas não teria qualquer relevo politico-social não fora  a tal "democracia" que surgiu após a decapitação do regime anterior. Não tinha porque não a mereceria, entenda-se.  Por isso mesmo este regime está-lhes no sangue da vida que conseguiram levar e que de outro modo nunca teriam. Nem eles nem os seus.



11 comentários:

ainda ha disse...

Ó Zé, até paerece mal não assinalares que são todos e todas maçons

Floribundus disse...

chamar principe a um pulha é ofender Nicolau Maquiavel

o verdadeiro estatuto social da maior parte
é o de 'RATO PINGADO'

estão sempre a pingar chorudas benesses

sectores que contribuem largamente para a produção da riqueza que sustenta a esquerda voraz

josé disse...

A Maçonaria aqui é o menos. Adriano Moreira não é maçon, penso.

Bic Laranja disse...

Cheira-me que um ministro de Salazar a haver de singrar em águas calmas e com boa imprensa depois de 74 há-de ter qualquer coisa...
Cheira-me.
Cumpts.

josé disse...

Adriano Moreira é um Marcelo Rebelo de Sousa um pouco mais sofisticado no estilo. Nada mais, parece-me.

Floribundus disse...

vários ministros da II rep abrigaram-se debaixo do chapéu de chuva do ps e nunca foram maçons.
fazem, fretes e outros freitas e hortas

lembro o fascista 'ximãojinho' e um outro que foi das corporações

ali está um barbicha que foi comandante de bandeira na Mocidade Portuguesa

o vitinho e o oteleiro também foram da patriotica organização

anda por aí uma isabel a 'pregar os peixes' porque sabe perfeitamente o pai que tem

conto o que sei e sei alguma coisa
se um dia me quiser ouvir em pessoa

dizia-se 'nem com luvas mexas na merda'

Maria disse...

Esta gente mete nojo. Depois do que aquele criminoso - que já está a prestar contas a Deus pelos seus terríveis pecados - fez ao País e aos portugueses, ainda se dignam prestar-lhe homenagens póstumas. Não têm o mínimo carácter. São anti-patriotas. São cobardes. Não têm coluna vertebral. São situacionistas e uns oportunistas de primeira apanha, vivem do sistema e para o sistema. Sem o sistema e por extensão o regime, não eram nada nesta vida. Cambada de hipócritas e cínicos, falsos e fingidos. Gente reles que não merece o chão que pisa, o chão de Portugal. Gente amiga de traidores e de vendilhões de Pátrias. Tal como foi o falecido.

O Floribundus é que a sabe toda. Que Deus lhe dê saúde e longa vida para contar em livro tudo quanto sabe desta gente asquerosa. Na verdade quase todos lacráus venenosos, tal como foi o falecido.

BELIAL disse...

"pós sempre o interesse do ps à frente do interesse do país".

Eis o epitáfio que o candidato HN lhe dedicou.

Acho-o bastante adesivo.

João José Horta Nobre disse...

Deixei-lhes mais uma "homenagem" aqui:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/01/as-apocrifas-elites-reencontram-se-em.html

JReis disse...

Todas as personagens retratadas nessas fotos são parte do problema e não fazem parte da solução.
Almeida Santos era um "videirinha".
Portugal teria sido uma melhor nação sem esse manhosa personagem.
Principe da democarcia ?? Vão enganar a mouca...

Gaia disse...

“Portugal perdeu um príncipe da sua democracia " ou será, melhor, o the Half-Blood Prince da AR?