Páginas

sábado, 30 de janeiro de 2016

Joaquim Silva Pinto, sobre Marcello Caetano e Soares

O último livro de Joaquim Silva Pinto que integrou os governos de Salazar e Marcello Caetano intitula-se Portugal, Desalento e Esperança e é de Outubro de 2015. Só agora o vi. Lê-se de um fôlego ( tem 186 pgs) e vale todos os cêntimos da dúzia e meia de euros que custa.

É um relato na primeira pessoa e com testemunhos directos de alguns factos e acontecimentos, para além de impressões pessoais sobre Salazar, Caetano e Soares.


Sobre Marcello Caetano ( e sobre Salazar) destaca a integridade pessoal. Sobre Soares, bem, relativiza-se a coisa...basta que seja simpático, conciliador e sem rancor...

Leia-se o que escreve sobre Marcello Caetano:






E sobre Soares:



Silva Pinto acha que Soares não é corrupto. Mas contemporiza com eles e até os amesendou. E até compreende que Soares apoie Sócrates e o defenda.Portanto, fuma mas não inala...

Esta dualidade condescendente e que desvaloriza defeitos de monta não pode ser esquecida como modo de entender o autor e valorizar aqueles dois homens de Estado. Refiro-me a Salazar e a Caetano.

Soares? A História dirá que não foi um Homem de Estado porque nunca conseguiu ser, por muito que o queiram os seus amigos. Não é o caso de Silva Pinto que o coloca na devida medida pelo que não escreve e ao proclamar-se seu amigo. 

4 comentários:

Unknown disse...

soares, um Abranhos "aggiornatto" - e mesmo isso graças à "espuma dos dias" que forçou a mâo aos "amis" Miterrâ, Carlussi e Xemite...

Floribundus disse...

prefiro 'a Corja'
do Grande Camilo

ou 'o voo da pássara' sobre a Mme Ratazzi

o rectângulo perdeu o encanto da diversidade

Luís Bonifácio disse...

É preciso ver que Silva Pinto estava no "Caixão" politico desde o 26 de Abril, foi de lá tirado por Mário Soares (Não se morde a mão que deu de comer).

Outras figuras Salazaristas recicladas pela Empresa "Moderna" de reciclagem politica - Mário Soares e Sucrs:
Manuel José Homem de Melo;
Veiga Simão
Haendel de Oliveira (Um jornalista que ao saber da nomeação de Marcello Caetano, escreveu que Portugal ia ter um Presidente do Conselho COMUNISTA!

Acho que até Salazar, se fosse vivo, ele tentaria reciclar!

Maria disse...

Não se pode acreditar lá muito em alguém que foi/é(?) amigo do patife Soares e ainda por cima o elogia. Por muito que esse alguém queira parecer sério no que escreve e porventura até o é. Simultâneamente se esse alguém serviu o regime anterior com cargo político, tendo sido supostamente fiel ao seu Governante máximo, menos ainda poderá haver credibilidade nas suas palavras já que passou daquele regime para este com um estalar de dedos e sem quaisquer problemas de consciência. Não se pode servir a Deus e ao Diabo.

É como diz o comentador precedente, se Salazar fosse vivo Soares tentaria reciclá-lo. A propósito de Veiga Simão ter sido citado, outro reciclado, nunca tive a menor consideração por esta personagem falsa como Judas e nunca acreditei que a sua acção política fosse séria e íntegra nos cargos desempenhados tanto no Estado Novo como na democracia. O que ele terá sobretudo querido, como bom oportunista e falso patriota, foi agradar ao seu antigo dono enquanto dele beneficiou e depois a este novo, com as mesmas intenções pouco dignas.

Para V.Simão ter conseguido sobreviver polìticamente no regime anterior teve que se tornar num seu cínico e fingido apoiante e nestoutro num exímio contorcionista ou seja, num democrata amantíssimo e num socialista dos mais impolutos. Numa palavra, um vira-casaca. Que valor pessoal e político pode ter uma pessoa desta índole?