Páginas

quarta-feira, 27 de abril de 2016

O advogado súcubo de Diogo Lacerda Machado

Observador:

  • Diogo Lacerda de Machado começou por admitir que a ausência de um contrato escrito e de uma retribuição pode ser entendida como menos conforme à transparência.
O advogado explicou que aceitou a proposta do primeiro-ministro e do ministro das Infraestruturas para participar como assessor técnico nas negociações para o Estado retomar 50% do capital da TAP, não pela remuneração, mas por interesse público.
O contrato foi assinado, para esclarecer dúvidas públicas, mas Lacerda de Machado assegura que não precisaria de ter esse contrato para ser mais honesto e sério. “Era o que faltava que eu traísse por um instante a minha condição de advogado”. ”

Há um advogado que vive em mim e que vai continuar a viver”

O advogado não respondeu directamente à pergunta do deputado do CSD — Hélder Amaral quis saber se a existência ou não de contrato era a única razão para ser chamado ao Parlamento — mas revelou que pediu um parecer à Ordem dos Advogados sobre eventuais incompatibilidades entre a prestação de serviços de consultoria ao Estado e o exercício da advocacia. No entanto, vai continuar a colaborar com o Estado, em tudo o que lhe for pedido

Este advogado fino é amigo do peito do primeiro-ministro, do tempo em que este nem sequer sonhava sê-lo.  Pelos vistos foi sempre ajudante do amigo de infância e será o que em linguagem popularizada no Brasil será "um amigo meu" que tem muitas coisas que o outro não pode ter...e sem segundas intenções malévolas, honni soit qui mal y pense.

Aqui há uns dias, a revista do Correio da Manhã traçou-lhe assim o perfil:



Uma das observações mais curiosas é a de que na sua última declaração de IRS apresenta rendimentos de 95 mil euros. Ora mais que isso ganha o amigo que nada tem de seu,  que se possa ver...

E este amigo é uma espécie de Proença de Carvalho dos pobrezinhos ou se se quiser um António Vitorininho dos rosinhas que mandam agora, assim pequenino e redondinho.

Há um ror de anos que o amigo Lacerda colabora com o poder rosa dos amigos que o enviaram para Macau e depois o aproveitam assim, para estas complicadíssimas negociações entre empresas que em princípio só os Proenças de Carvalho conseguem chegar lá e mesmo assim com ajuda de escritórios famosos como o do célebre Vieira de Almeida, do Sérvulo Correia, do Galvão Teles falecido e mais uns tantos.
Diogo Lacerda, porém,  também é dos que chega lá  e diz o CM que "não tem fortuna". Diz que tem um apartamento em Telheiras e um par de automóveis e administra a Geocapital, entre outras, de chineses amigos do seu amigo.
Parece que o amigo Costa que é primeiro-ministro também é pobre e vive algures, depois de ter arrendado um apartamento esconso na Av. da Liberdade, um caso que deveria ser para falar mas que está calado que nem um rato porque os media têm medo da sombra que se pelam.

É isto o PS? É. E o CM de há uns dias mostrava como isto funciona, esta máquina de alavancar remediados aos esplendores da fama e do proveito mínimo garantido:



Compreende-se muito bem como isto funciona:

O amigo de Costa tem um súcubo que advoga e ganha balúrdios que permitem ao hospedeiro declarar os tostões da praxe : "Há um advogado que vive em mim e que vai continuar a viver", disse hoje no Parlamento.

Ninguém tem vergonha disto, ou vamos continuar a fazer de conta?! Destas figuras de aparências, de falta de transparência e de honestidade que não é preciso proclamar aos quatro ventos, garantindo que se é "sério"?

Um amigo meu costuma dividir os sérios em espécies. A primeira é a dos sérios, só. A segunda dos sérios, mesmo sérios e a terceira dos sérios, sérios, sérios, ou seja mesmo sérios.  Uma progressão aritmética na seriedade proclamada.
Este Diogo Lacerda proclamou agora que não precisa de ter um contrato para ser mais honesto e   sério.
Pois não. É dos sérios, portanto.

PS. E agora me lembro. Segundo o mesmo CM o tipo diz que gosta de Peter Gabriel, o antigo vocalista dos Genesis nos anos setenta e que foi ver o artista em 2012 agarrando-se às grades do recinto para não cair. Enfim.
 Porventura não levou o súcubo consigo, mas para complemento musical aconselho-o a escutar outro inglês do rock progressivo, outro Peter, Hammil que pertenceu aos Van der Graaf Generator e em 1971 ( está no disco Pawn Hearts que se ouve melhor em vinil original com rótulo "scroll" da Charisma) e  cantava assim em man-erg:

The killer lives inside me: I can feel him move.
Sometimes he's lightly sleeping in the quiet of his room,
but then his eyes will rise and stare through mine;
he'll speak my words and slice my mind inside.
The killer lives.
The angels live inside me: I can feel them smile.... 


Aposto que há versão no you tube... o que para um tipo sério, é canja, a procura.

8 comentários:

zazie disse...

"advogado súcubo"
ehehehehe

zazie disse...

AHAHAHAHAHA

Este acrescento final está delicioso. "Não levou o súcubo consigo"

Floribundus disse...

também há os incubos

a Net explica melhor que mim

Súcubo (em latim succubus, de succubare) é um um demônio com aparência feminina que invade o sonho dos homens a fim de ter uma relação sexual com eles para lhes roubar a energia vital .
O súcubo se alimenta da energia sexual dos homens e coleta seu esperma para engravidar a si mesma ou a outros súcubos, e quando invade o sonho de uma pessoa ele toma a aparência do seu desejo sexual e suga a energia proveniente do prazer do atacado. Estão associados a casos de doenças e tormentos psicológicos de origem sexual, pois após os ataques se seguiam pesadelos e poluções noturnas nas vítimas

os parvos somos nós os contribuintes

Gaia disse...



"succubus" vem de uma alteração do antigo latim succuba significando prostituta.
Sendo que, ainda lhe falta a aparência feminina, ao senhor...

josé disse...

Súcubo é o advogado que vive dentro do senhor...porque foi ele quem o disse.

Gaia disse...

"A grande pirâmide"
- Clã

Estuda essa lição
sobe cada degrau
do conhecimento
para seres alguém
para teres o teu momento
vais ter de subir
custe o que custar
qualquer meio vale
para lá chegar

à grande pirâmide
à grande pirâmide

depois de subir
tu vais saber tudo
mas não vais ter tempo
de perceber nada
porque o que te informa
não é conhecimento
é tradição e norma
sem questionar a forma

à grande pirâmide
vais querer chegar
à grande pirâmide
depois de lá chegar

não penses duas vezes
não fiques para trás
tu és um gladiador
vais ter um carro preto
com dois mil de motor
e uma vivenda murada
depois de lá chegar

depois de lá chegar
podes ver o nada
depois de lá chegar
podes querer saltar

da grande pirâmide
podes querer saltar
da grande pirâmide
já te falta o ar

à grande pirâmide
á grande pirâmide

Karocha disse...

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH !!! Notável José

Lura do Grilo disse...

Nem a Madre Teresa foi tão generosa!