Páginas

sábado, 30 de abril de 2016

Para a esquerda este indivíduo é um fascista

 Viktor Orbán, presidente da Hungria, esteve por cá mas pouca gente lhe deu atenção mediática. Orbán é um fascista, para a Esquerda predominante do pensamento ambiente. Logo, um excluído. O Expresso, porém, entrevistou-o. E que diz Orbán de assim tão fascista? Coisas simples que a Esquerda detesta, com um pormenor: o comunismo, para Orbán, é simplesmente hediondo...
 
Expresso de hoje:


62 comentários:

Vivendi disse...

"Assistiu a uma corrida de Touros"

Respeitou a nossa tradição e defendeu a importância do cristianismo e da família.

É mesmo um grande fassista.

Que falta faz a esta Europa de líderes com eles no sítio.

Sr. Hamsun disse...

É só fassistas. Para estes canalhas que andam a boicotar comícios do Trump, a atacar polícias, que por cá bloqueiam o trânsito e ainda recebem milhões é tudo fassista. Tenho um colega, rapaz de esquerda democrática, que sempre que se refere à Manuela Ferreira Leite fá-lo como "a velha fascista". No maniqueísmo primitivo deles é assim. As televisões ainda são a preto e branco. Mas a direitinha tem muita culpa nisto, sempre a reboque do esquerdalho.

Floribundus disse...

o 'puder' entregue a 2 licenciados em direito

ambos próximos ou sociais-fascistas

uma desgraça nunca vem só

novela de faca e alguidar

zazie disse...

O problema é que não há nem direitinha nem direitona.

Há escardalhada e o resto é o que eles chamam de "direita democrática" que já vai em "direita ultra-liberal" ou "extrema-direita".

João José Horta Nobre disse...

Agradecimentos ao José por ter partilhado a reportagem do Expresso. "Roubei" e meti aqui:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/04/viktor-orban-esteve-em-portugal-alguem.html

Zephyrus disse...

Não gostei nada de ler «deus». Caramba, escreve-se Deus, com letra maiúscula. Ou agora a merda jornaleira também escreve «deus»?

Depois, 5 perguntas sobre homos e aborto. Já estou farto de ler por todo o lado tretas sobre isto. Irra, são 2 ou 3% da população, já sabemos que existem, que querem mais? Não basta?

Causou muita comichão a referência ao cristianismo. Mas a Europa é o quê? Até as bases da Revolução Científica estão no cristianismo logo na Idade Média. Vamos negar o cristianismo, fazer de conta que nunca existiu? Não é esta a base da civilização Ocidental?

Unknown disse...

Jornalixo provincianamente ignorante da História.
Empinaram meia dúzia de merdas da vulgaríssima "vulgata" comuna e toca a aplicá-las a tudo o que mexe.
Pronunciem o termo "Mitteleuropa" perante esses fdp , que os animais entopem , por pura ignorância.

zazie disse...

Quem escreveu a entrevista só pode ser um jacobino.

A prioridade quase como se fosse uma questão de vida ou de morte que dão a este folclore dos maricas é completamente ridícula.

Maricas e direito das mulheres a abortar- vejam só ao que a escala dos grandes valores éticos já chegou

João José Horta Nobre disse...

«Causou muita comichão a referência ao cristianismo. Mas a Europa é o quê? Até as bases da Revolução Científica estão no cristianismo logo na Idade Média. Vamos negar o cristianismo, fazer de conta que nunca existiu? Não é esta a base da civilização Ocidental?»

Não!

A nossa base civilizacional é indo-europeia e não semita. A ler:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/04/sera-necessario-decretar-um-edito-da.html

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/02/aldrabices-cristas.html

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/02/como-e-que-esta-gente-quer-ser-levada.html

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/02/sera-vinganca-dos-deuses.html

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/02/sou-estupido-e-ignorante-porque-nao.html

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/01/o-cristianismo-nao-tem-forca-para.html

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/01/o-cristianismo-falhou.html

http://historiamaximus.blogspot.pt/2015/11/ja-nem-com-os-nacionalistas-outrora.html

João José Horta Nobre disse...

Mais umas sobre a tal "base civilizacional do Ocidente":

http://historiamaximus.blogspot.pt/2015/11/as-raizes-religiosas-da-europa-nunca.html

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/02/o-cristianismo-apodreceu-alma-europeia.html

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/02/o-papa-francisco-tem-razao.html

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/03/a-traicao-avoluma-se.html

zazie disse...

Está aqui a lista dos povos europeus

Geneticamente são caucasianos.
Pergunta: Qual a religião caucasiana?

zazie disse...

Por outro lado, as línguas indo-europeias (portanto- as não semitas) têm esta expansão no mundo.

Qual a religião comum que lhes corresponde?

zazie disse...

As línguas indo-europeias são estas.

Basta agora explicar a religião que lhes corresponde naturalmente.

Grupo itálico

Latim - Língua falada no antigo Império Romano e mantida pela Igreja Católica no Estado do Vaticano. Deu origem às demais línguas românicas (latinas ou neolatinas).
Asturiano - Língua falada nas Astúrias, Leão e Cantábria, Espanha.
Aragonês - língua falada em Aragão, Espanha.
Aranês - língua falada no Vale de Aran.
Dalmáta - língua extinta, já falada na região da Dalmácia, atualmente considerada língua morta.
Catalão - Língua oficial da Catalunha e de Andorra
Castelhano - língua oficial da Espanha e de todos os países da América de língua latina, à exceção do Brasil, Suriname, Guiana e Guiana Francesa.
Fala - Língua falada em Vale de Xálima, Espanha
Francês - Língua oficial da França, Bélgica, Suíça, Canadá e países da África colonizados por franceses como Togo, Ruanda, Costa do Marfim e Camarões.
Friulano - Língua falada na região do Friuli-Venezia Giulia, Itália.
Galego - Língua oficial na Galiza, Espanha
Gascão - Língua falada na Gasconha, França.
Italiano - Língua oficial da Itália, da Suíça, de San Marino e do Vaticano.
Mirandês - Segunda língua oficial em Miranda do Douro e região, Portugal
Português - Língua oficial de Portugal, Brasil, países africanos colonizados por portugueses como Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe, além de antigas possessões portuguesas na Ásia, como Timor-Leste, Goa e Macau.
Provençal ou occitano - língua falada no sul da França.
Reto-romano ou romanche - uma das quatro línguas oficiais da Suíça, também falada no nordeste da Itália
Romeno - língua falada na Romênia.
Siciliano- língua falada na Sicília.
Valão - língua falada na Bélgica.
Valenciano - língua em diassistema com o catalão, falada na Comunidade Valenciana, Espanha.

zazie disse...

E mais estas:

Grupo céltico
Bretão - língua falada no noroeste da França;
Galês - língua falada no País de Gales;
Gaélico irlandês - língua falada na Irlanda;
Gaélico escocês - língua falada na Escócia;
Gaulês - língua falada na França (língua morta);
Manx - língua falada na Ilha de Man.

Grupo germânico
Inglês - língua principal no Reino Unido, Austrália, Canadá, EUA, Nigéria, África do Sul e muitas outras ex-colônias britânicas.
Alemão - língua oficial da Alemanha, Áustria e Liechtenstein e uma das línguas oficiais da Suíça, Luxemburgo, Namíbia e Bélgica.
Neerlandês - língua falada nos Países Baixos e na Bélgica.
Faroês - língua falada nas Ilhas Faroés.
Frísio - língua falada nos Países Baixos, é a língua viva mais próxima do inglês.
Dinamarquês - língua falada na Dinamarca.
Norueguês - língua falada na Noruega.
Sueco - língua falada na Suécia e na Finlândia.
Flamengo - Variante dialetal do neerlandês, falado no sul dos Países Baixos e no norte da Bélgica.
Gótico - língua atualmente extinta.
Islandês - língua falada na Islândia.
Iídiche - língua dos judeus da Europa antes da criação do estado de Israel, sendo uma mistura entre o alemão e o hebraico
Africâner - adaptação do neerlandês criada na colonização do continente africano, hoje língua oficial na África do Sul
Luxemburguês - língua oficial de Luxemburgo
Baixo-germânico - língua falada no norte dos Países Baixos

Grupo eslavo
Bósnio - Língua falada na Bósnia e Herzegovina
Búlgaro - Língua falada na Bulgária
Russo - Língua falada na Rússia, na Bielorrússia, na Ucrânia e no Cazaquistão
esloveno língua falada na Eslováquia.
croata língua falada na Croácia
bósnio língua falada na Bósnia e Herzegovina
sérvio língua falada na Sérvia
Montenegrino língua falada na Montenegro
Tcheco - Língua falada na República Tcheca
Polonês (br.) ou Polaco (pt.) - Língua falada na Polônia
Ucraniano - Língua falada na Ucrânia
Eslovaco - Língua falada na Eslováquia
Esloveno - Língua falada na Eslovênia
Bielorrusso - Língua falada na Bielorrússia
Macedônio - língua oficial da Macedônia

Grupo iraniano
Curdo - língua falada na região do Curdistão.
Persa (ou farsi) - língua falada no Irã, Paquistão e região.
Pashtun - Também chamado "pachto" ou "pushtun", é a língua oficial do Afeganistão
Tadjique - língua oficial do Tadjiquistão
Osseto - língua oficial na região da Ossétia, dividida entre Rússia e Geórgia
Balúchi - falada na província do Baluchistão, no Paquistão

Grupo indo-ariano
Hindi, falado na Índia
Urdu, falado no Paquistão
Nepali, falado no Nepal
Bengali, falado em Bangladesh e em Bengala Ocidental
Cingalês, falado no Sri Lanka
Guzerate, oficial no estado de Gujarat, na Índia
Panjabi, oficial no estado de Punjab, dividido entre Índia e Paquistão
Marati, oficial no estado de Maharashtra, Índia
Oria, oficial no estado de Orissa, Índia
Biari, oficial no estado de Bihar, Índia
Hariani, oficial no estado de Haryana, Índia
Assamês, oficial no estado de Assam, Índia
Sindi, oficial na provícia de Sind, Paquistão
Romani, língua dos ciganos
Outras línguas indo-européias
Grego, falado na Grécia
Armênio, falado na Armênia
Albanês, falado na Albânia

Miguel Dias disse...

João José Horta Nobre disse "A nossa base civilizacional é indo-europeia e não semita..."

Sim, os Suevos, os Visigodos e os povos indo-europeus deixaram-nos um legado na moral, na mentalidade, na filosofia perante a vida e o Mundo que ainda hoje é a base da nossa civilização!!!!!!!!!!!!

Obviamente que o Zephyrus falava a nível intelectual e não a nível genético, racial. A herança judaica-cristã veiculada por Roma e pelo Império romano são os alicerces mentais da civilização "ocidental", afinal qual o contributo/legado intelectual e moral dos povos bárbaros que invadiram o Império Romano?

O legado do pensamento clássico (greco-romano) e da moral judaico-cristã, veiculados por Roma, permitiram o desenvolvimento do mundo ocidental.

Não foi o "substrato cristão" entranhado na mente dos sobreviventes à expansão muçulmana que originou a Reconquista Cristã?

Floribundus disse...

Corrière della Sera

não refere a ida do entertainer a Roma
nem sequer na secção de espectáculos

João José Horta Nobre disse...

«Está aqui a lista dos povos europeus

Geneticamente são caucasianos.
Pergunta: Qual a religião caucasiana?»

Não existe uma base religiosa uniforme comum a todos esses povos. Antes do Cristianismo, eram pagãos e cada um tinha uma religião pagã diferente. Tratavam se de religiões nacionais e essas mesmas religiões nacionais é que são a base da civilização europeia e não o judaico-cristianismo como é comum dizer-se por aí. O Cristianismo e o Judaísmo entraram apenas depois e por mera complacência dos romanos.

Vejam aqui o que o heterónimo de Fernando Pessoa, Ricardo Reis, tinha a dizer sobre esta (muito antiga...) rivalidade de cristãos versus pagãos:

http://arquivopessoa.net/textos/1618

zazie disse...

Os suevos e os visigodos, quando cá chegaram, já eram cristãos. Converteram-se ao cristianismo enquanto viveram no limes do Império Romano-

No séc. VI Martinho de Dume converteu a corte sueva ao catolicismo romano.

zazie disse...

Também ainda há povos que adoram pedrinhas e coisas assim e a civilização deles é, de tal modo avançada que nem sei porque é que não se prega o paganismo para Portugal evoluir.

João José Horta Nobre disse...

«Sim, os Suevos, os Visigodos e os povos indo-europeus deixaram-nos um legado na moral, na mentalidade, na filosofia perante a vida e o Mundo que ainda hoje é a base da nossa civilização!!!!!!!!!!!!»

O legado do Paganismo greco-romano é mais rico do que o do Norte da Europa. Porém, estudem a mitologia celta nórdica ou eslava e verão que esses tais "bárbaros" pré-cristãos não eram assim tão "bárbaros" como os pintam vulgarmente.

«O legado do pensamento clássico (greco-romano) e da moral judaico-cristã, veiculados por Roma, permitiram o desenvolvimento do mundo ocidental.

Não foi o "substrato cristão" entranhado na mente dos sobreviventes à expansão muçulmana que originou a Reconquista Cristã?»

Eu vou ser sincero, não gosto das superstições semitas, sejam elas a judaica, a cristã ou a muçulmana e sinto-me rebaixado quando me dizem que preciso de seguir a moral judaica na minha terra. O meu problema com o Cristianismo é exactamente esse, é que eu abro a Bíblia e só vejo judiaria naquilo, judiaria pura.

«Não foi o "substrato cristão" entranhado na mente dos sobreviventes à expansão muçulmana que originou a Reconquista Cristã?»

Aqui entramos no campo da "história especulativa", mas pronto, o que faz o Miguel Dias crer que os romanos ou gregos não teriam também rechaçado os muçulmanos?

Basta ver como o Império Romano nunca parou de perseguir os judeus e por aí pode ver como eles nunca simpatizaram muito com semitas.

João José Horta Nobre disse...

«Também ainda há povos que adoram pedrinhas e coisas assim e a civilização deles é, de tal modo avançada que nem sei porque é que não se prega o paganismo para Portugal evoluir.»

Eu não estou a pregar o Paganismo para Portugal evoluir, lol, por mim, cada um deve poder seguir livremente a religião que quiser, desde que não incomode mais ninguém. Por este mesmo motivo é que eu sou contra a instituição e uma "religião oficial" do Estado. Talvez seja essa a minha única discordância com Viktor Orbán.

zazie disse...

Essas ideias do Cristianismo ser demasiado frouxo para poder ser a religião de um Estado Moderno começaram com Maquiavel e chegaram ao Leviathan de Hobbes.

Para elevar a questão, é melhor ler alguma coisa

aqui

E Machiavelli, Hobbes, and Rousseau on Civil Religion

João José Horta Nobre disse...

«Essas ideias do Cristianismo ser demasiado frouxo para poder ser a religião de um Estado Moderno começaram com Maquiavel e chegaram ao Leviathan de Hobbes.»

Mas porque é que o Estado Moderno tem de ter uma religião oficial?

zazie disse...

O que o da Hungria diz, e muito bem, é que existe uma civilização que é cristã. E o Estado deve assumir esse legado, enquanto sentido nacional.

Isto é o oposto de se dizer, à neotonto, que cada um é que inventa o legado e depois temos multiculturalismo por umbigo.

Tem dado excelentes resultados essa estúpida paranóia contra a tradição em nome da igualdade de tudo sem identidade nacional que fale mais alto.

zazie disse...

É ler os textos e perguntar depois.

Quem não lê nem estuda as questões, também não pergunta.

zazie disse...

Pode-se é perguntar, a quem acha que tem a resposta para tudo por paranoias contra a padralhada, se faz algum sentido qualquer coesão nacional, ponde em pé de igualdade a macumba com o catolicismo e mais a magia negra e os protestantes e anabatptistas ou indus e budistas e depois dizerem que o Estado não pode permitir imigração a tomar território por crenças e hábitos.

zazie disse...

A natureza tem horror ao vazio. Nunca existiu uma única sociedade sem religião a aglutinar a tradição e toda a cultura que depois foi desenvolvida.

A cultura ocidental formou-se em torno do cristianismo. O Ocidente foi e ainda é o espaço cultural dominante no planeta.

Abdicar disto é desejar a regressão das espécies ou a boa da Pré-História para inventarem um mundo de novo. Porque este deve ter sido mal-feito

zazie disse...

A estupidez de agora é terem perdido a noção de Nação e traduzido tudo por Estado.

E depois o dito Estado é o governo dos partidos que sacam lugar para mandar e perde-se o principal- a Nação de um Povo.

zazie disse...

E e´simples e claro- Se a Europa abdicar da tradição cristã, não é a trampa do ateísmo que congrega os anseios, a espiritualidade e as perspectivas comuns de uma sociedade. Vai ser o islão porque esses não têm esta tara ateia disfarçada de laicismo por umbigo.

Josephvs disse...

Zazie, O gajo do capucho faz me lembrar o Joao Nobre :)

http://borislelay.com/index.php/2016/04/27/discussion-avec-mon-ami-americain-weev-au-sujet-de-la-depossession-des-occidentaux-de-leur-avenir/



O Boris em mas companhias :)

zazie disse...

eheheh

João José Horta Nobre disse...

Mas eu muito sinceramente não percebo é o que é que os católicos querem. Têm por aí igrejas à fartazana e são livres de praticar o vosso culto, sem qualquer receio de perseguição, o que é que querem mais?

Kaiser Soze disse...

Pois, não é só pra esquerda que ele é fascista...

zazie disse...

Os católicos não querem nada. Os ateus, sim. Querem demasiado. Querem transformar todas as igrejas em cafés e acabar com feriados religiosos para depois se ficarem pelos feriados republicanos e laicos e pelos famosos dias culturais dos equinócios e solstícios.

zazie disse...

Querem acabar com os tradicionais festejos dos santos e procissões, que aglutinam ainda o bom povo para no lugar delas terem os feriados de desfile camarário e paradas gay.

Querem proibir as manifestações religiosas no espaço público para que este fique reservado aos festejos dos gurus políticos e demais idolatrias republicanas e laicas.

E por aí adiante. O azar é quando isto se mistura com o multiculturalismo e depois não há doutrina laica que convença os sacanas das outras religiões a largarem-nas em prol do bom ateísmo de cidadania laica.

Unknown disse...

Basta reparar na Igreja Ortodoxa e o papel que desempenha na Santa Rússia dos nossos dias - e a forma como adjectiva a actual guerra na Síria.
Czar e Patriarca a uma voz.
Ali não há jacobinismo que sobreviva - literalmente...

João José Horta Nobre disse...

Mas algum dos católicos que aqui anda tão preocupado com a Igreja, consegue seriamente acreditar nas superstições semitas da mesma?

Acreditam mesmo nessas mentiras inventadas pelos judeus?!?

João José Horta Nobre disse...

«Pois, não é só pra esquerda que ele é fascista...»

Pois considero-o tão "fascista" que até lhe dediquei um artigo no meu blog:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/04/viktor-orban-esteve-em-portugal-alguem.html

zazie disse...

superstições é nome que significa culto pagão. Para se ser supersticioso nem é preciso ser-se crente.

Há ateus altamente científicos que só entram com o pé direito ou que se recusam estar à mesa se forem 13 pessoas ou que acham que vão ter 7 anos de azar se partirem um espelho e por aí fora.

O ser humano tem capacidade para sentir a espiritualidade e a fé. Todos têm. Portanto, quando ela não vai para o seu lugar natural (no sentido aristótelico da questão) vai para outros lados mais aparvalhados e provoca esquentamentos de moleirinha mais bestas.

zazie disse...

Para o caso, nada disso interessa porque o que o da Hungria salientou é que a Constituição refere a tradição cultural católica e fazem eles muito bem.

É um legado de identidade que só por gigantesca imbecilidade lemming se pode abrir mão para outros o ocuparem.

zazie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zazie disse...

Têm muito medo de fascismos e vêem fascismos a sair da cama e nem se apercebem que o perigo actual é precisamente o oposto da afirmação nacionalista.

zazie disse...

Mais patusco é os poucos que se armam em nacionalistas darem para folclore neo-pagão a imitar os góticos e as bruxas.

Kaiser Soze disse...

Sou a favor de uma sociedade laica, pelo que nunca fui favorável ou frequentei Religião e Moral. Da mesma maneira que me chateia a transmissão de missas ao Domingo...mas não posso deixar de concordar que este princípio conjugado com a demasiada complacência e compreensão para cenas como o wahabismo é um problema.

Ou seja: um gajo prega uma cena que vem morder-nos o rabo depois, pelos mesmos que defendemos.

zazie disse...

Exactamente.

João José Horta Nobre disse...

«superstições é nome que significa culto pagão. Para se ser supersticioso nem é preciso ser-se crente.»

Todas as religiões são por definição sistemas de crença no sobrenatural. A única coisa que as distingue entre si é a complexidade desses mesmos sistemas.

«Mais patusco é os poucos que se armam em nacionalistas darem para folclore neo-pagão a imitar os góticos e as bruxas.»

Mas que eu saiba, aquilo que hoje se designa por Paganismo, eram nada mais, nada menos, do que as religiões nacionais do Mundo Antigo. Isto é, a religião étnica que correspondia à tribo, ou seja, à Nação.

Depois é que vieram os judeus seguidores do culto de Cristo (outro judeu...) e começaram com um novo folclore que roda em torna de crenças oriundas do Judaísmo.

Eu nunca disse que o Cristianismo não faça parte da tradição europeia, o que eu disse é que é o Paganismo e não o Cristianismo que constituem a base dessa Civilização. O Cristianismo veio por acréscimo e apenas muito depois de Roma já ser um Império, feito para o qual, diga-se de passagem, não precisou de Cristianismo nenhum.

zazie disse...

O que é uma civilização?

zazie disse...

Por essa ordem de ideias, a religião europeia, da qual somos contiuadores, tinha de ser qualquer cena pré-histórica, ou quiçá macacóide, para os darwinistas.

zazie disse...

Que raio de legado artístico, literário, filosófico, científico deixaram esses tais de pagãos que ainda hoje ofuscam a cultura e a civilização europeia unificada pela cristianização do legado greco-latino?

E ponto final na imbecilidade.

zazie disse...

Deve ser como aquele legado celta, de que falam os outros malucos góticos- pejado de bibliotecas.

Se não fosse os católicos nem a tradição oral tinha sobrevivido.

João José Horta Nobre disse...

«Que raio de legado artístico, literário, filosófico, científico deixaram esses tais de pagãos que ainda hoje ofuscam a cultura e a civilização europeia unificada pela cristianização do legado greco-latino?

E ponto final na imbecilidade.»

Mas algum pagão ou neo-pagão a impediu alguma vez de ir à missa e rezar ao seu Deus judaico?

zazie disse...

E algum católico impediu algum pagão de rezar ao vento ou cuspir para a lua?

zazie disse...

A única merda que tinha de conseguir justificar era a treta de ter existido uma civilização europeia sem escrita da qual ainda hoje somos os continuadores.

Eu até acredito que sim. Que haja muitos continuadores desse espantoso legado religioso de analfabetismo e que são doutores de papel passado.

zazie disse...

A noção de Deus foi filosoficamente formulada por grego pagão. Entender isto é preciso ser-se um pouco mais que um trilobite

João José Horta Nobre disse...

Mas Zazie, eu não consigo compreender tanto ódio. Então mas onde é que está a sua piedade cristã?

Ora, toda esta discussão começou apenas porque eu disse que considerava a base da civilização ocidental como sendo pagã e não cristã.

Pessoalmente, não me incomoda que rezem a Cristo, Buda, Neptuno ou Satanás. Desde que todos sejam felizes na sua crença e não andem a mandar coisas pelos ares ou a fazer-se rebentar com coletes-bomba, por mim são livres de seguirem a religião que quiserem.

Maria disse...

Este senhor, Viktor Orbán, é um grande Presidente, um extraordinário cidadão e nota-se que é um ser humano com uma formação moral muito acima da média. Vê-se que ama a sua Pátria e quer o melhor para o seu Povo. E o povo retribui-lhe a lealdade com que é representado. As suas respostas na entrevista que lhe foi feita, traduzem sensatez, coragem política e espírito patriótico, o que é cada vez mais raro encontrar nos tempos que correm, sobretudo numa Europa decadente e falha de grandes políticos já para não dizer de Estadistas.

zazie disse...

òdio?
O hate à amaricana dos crimes de ódio?

Já papagueia como a escardalhada fracturante?

V. fez uma afirmação que consistiu em dizer que não faz sentido a Hungria ter na Constituição o cristianismo porque a base religiosa da civilização da UE não é cristã porque isso é superstição dos semitas mas sim os cultos pagãos.

Só tinha de conseguir argumentar e provar que o seu ponto de vista estava certo e o outro errado.

Mais nada.

Esses gritinhos com ódio quando não têm argumentos costuma ser vício da mongalhada escardalha.

zazie disse...

Há um planeta que ficou unido pelas descobertas, pelos missionários e por uma religião que é o cristianismo.

Isso é tão óbvio de se ver e impossível de negar que até os povos que têm outras religiões mas que foram ocidentalizados pela nossa influência cristã, todos eles têm o feriado do Natal.

Que a imbecilidade da militância ateia esperneie e marinhe pelas paredes ao constatar esta evidência é o que está escrito no nojo do artigo do Loff "historiador".

E é por marinharem e querem deitar abaixo este legado ocidental que depois inventam coisas de tal modo imbecis como desejarem feliz solstício ou um santo equinócio.

zazie disse...

Não é só o Natal que se universalizou.

É o próprio calendário! as datas dos anos são contadas a partir do nascimento de Cristo.

Mesmo para os que negam o cristianismo e têm outras divindades fundadores e identitárias.
Mesmo que as conservem, para todos os efeitos de trocas civilizacionais a adoptada é a cristã.

Porque o cristianismo conseguiu cativar todos os povos numa mensagem que não é particular de nenhuma cultura mas que entra facilmente no coração das pessoas.

Fez isso e integrou a tradição pagã ao mesmo tempo que a cultura, as leis, as normas, a forma de organização dos estados e das instituições se foi globalizando.

É esse legado que não deve ser alienado para hereges e a civilização cristã sempre soube resistir a isso.

Que agora venha de dentro dela a maior traição em nome de uma trampa que não é nada e que se resume ao bilhete de identidade e voto, é o mais caricato e é por isso que o Húngaro sente a necessidade de viajar e alertar.

E ele está certo.
Os outros é que estão errados e em suicídio conjunto acelerado. A entregarem de bandeja ao inimigo por complexo de homem branco e complexo de ocidental cristão.

zazie disse...

Ele tem marxistas-leninistas na oposição. Aquilo ou é assim ou é mais comunismo à velho leste.

zazie disse...

Defender o legado civilizacional de uma Europa cristã nada tem a ver com ter de ir à missa ou darem permissão para culto.

Até os ateus ocidentais são ateus de tradição cristã.

Está-se a falar de cristianismo no sentido cultural. Não de uma prática religiosa obrigatória.

O Cristianismo não tem sharia. Quem a tem são aqueles a quem os ateus jacobinos e escardalhos abrem a porta e deixam ganhar terreno pela treta do multiculturalismo.

Ao apagarem a identidade cristã estão a dar a maior ajuda ao inimigo islâmico que está cá dentro e toma terreno.

aguerreiro disse...

A ZAZIE está a esquecer do minderico!