Páginas

quinta-feira, 5 de maio de 2016

José Rodrigues dos Santos e a liberdade de informação.

O jornalista José Rodrigues dos Santos em entrevista o i de hoje explica o que se passou com a notícia que "enfureceu" o PS:

O que JRS diz, substancialmente é que procurou informar segundo critérios que lhe pareceram objectivos e sem erros de análise. A interpretação que alguns elementos relevantes do PS fizeram é que soa a pressão intolerável para com um jornalista da RTP por apresentar uma notícia que não lhes agrada em virtude de desfazer de algum modo uma narrativa oficial do poder executivo do momento.

Por outro lado o modo de reacção, com insultos pessoais e apelos a uma demissão e afastamento do mesmo, não provocaram qualquer prurido nas erc´s e quejandos.

Finalmente esta atitude do PS visa obviamente prevenir os desviantes da linha justa no sentido de que serão prejudicados pessoalmente se a tal se atreverem. Visa por isso mesmo condicionar o jornalismo e é um atentado à liberdade de informação. Mas ninguém se incomoda com tal coisa.

Esta história da interferência do poder político situado no momento na RTP vem de longe e tem um exemplo mais flagrante porque ocorrido no seio da própria administração da estação, com um indivíduo relacionado de há muito longa data com o poder político e económico que efectivamente tem conduzido o país a sucessivas bancarrotas: Daniel Proença de Carvalho.

O Jornal de7.2.1986 conta uma história resumida de Proença de Carvalho e particularmente do que fez enquanto "ministro da propaganda" nos dealbar dos anos oitenta, depois de ter sido o mais ferrenho dos "eanistas"...



11 comentários:

zazie disse...

Isto é incrível e estão habituados a fazer assim.
Como dizia um palerma comuna no Blasfémias, o mais que ele tem a fazer é obedecer ao patrão.

lusitânea disse...

Os paneleiros, lésbicas e afins da famosa "Liga gay" não perdoam...

lidiasantos almeida sousa disse...

JOSE DOS SANTOS, vai lançar um n ovo livro e fazer uma tournée França. Esta polémica bem medida pela editora, vale mais que mil anúncios de marketing. Os do PS ou outros deveriam desprezar o assunto e não havia marketing nenhum DOS SANTOS SEMPRE FOI MANHOSO, Vejam o que ele fez ao correspondente em Madrid e a polémica com Rosa Veloso, Foi um pretexto para deixar de ter a responsabilidade de ser director, trabalha quando quer e lhe apetece e a maior parte do tempo que está na RTP, passa a ler livros antigos que compra nos alfarrabistas em Paris para plagiar à vontade, pois minguem os leu. Imita DAN BROWN que utilizou a mesma táctica para escrever o seu maior êxito, O PROCESSO QUE A DA FAMÍLIA DO ESCRITOR ORIGINAL, RESTÁ NOS TRIBUNAL, mas os americanos colocam todos os obstáculos possíveis e imaginários.

João José Horta Nobre disse...

O José Rodrigues dos Santos é mais um que está ao serviço da Superclasse Mundialista. Deixei de ver televisão por completo, não quero saber dessa cambada de mentirosos e lacaios para nada.

A RTP, tal como as restantes televisões, é um instrumento de desinformação ao serviço das elites que pretendem erguer um governo mundial totalitário:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/05/diz-que-isto-e-uma-especie-de-democracia.html

Sr. Hamsun disse...

O blogue Via Portuguesa traz hoje um postal interessante acerca da censura democrática e de outras práticas como sejam a queima ou o confisco de livros após a abrilada, isto a propósito deste caso.

josé disse...

Via Portuguesa? Já procurei e não encontro.

Sr. Hamsun disse...

http://aviaportuguesa.blogspot.com/ .

Sr. Hamsun disse...

.com não, .pt, assim é que é.

Luís Bonifácio disse...

É só comparar este caso, com o caso daquela jornalista do público, com o Relvas.

Maria disse...

Peço desculpa José, pois sei que gosta deste jornalista, mas eu não suporto vê-lo a dar as notícias. Nunca, mas nunca, vejo o telejornal da RTP, se estou por uns segundos a ver este canal, assim que ele aparece mudo automàticamente. Este rapaz é tão cretino, mas tão cretino, que ultrapassa tudo o que é admissível num locutor de notícias. Os seus ademanes e trejeitos ridículos, o despropositado gesticular das mãos, o fazer 'boquinhas', o execrável piscar dos olhinhos - ele julga que é muito engraçadinho e original com estas parvoíces, parece aqueles miúdos irritantes porque cheios de mimo que todos os disparates que fazem ou dizem são para aplaudir - isto então é tão insuportável de se observar, que é simplesmente inacreditável como ninguém de responsabilidade na RTP não o proibe de o fazer.

Se a RTP não sabe por que motivo tem pouco ou quase nenhum share nos noticiários lidos por este senhor, fica desde já a sabê-lo.
Tenho a certeza absoluta que o facto desta criatura ter obtido o cargo que detém na RTP e isto desde há longos anos, tal deveu-se a ser filho de um médico com o mesmo nome. E não seria para admirar se este fosse militante ou simpatizante do PS... ou do PCP ou do BE. Todos estes têm lugar garantido e vitalício na Administração Pública, bem como todos os familiares e amigos. Uma vergonha é o que é. E anda esta maltosa brava sem vergonha a bolsar cìnicamente desde há quarenta anos que no anterior regime só se conseguia emprego à custa de cunhas... Hipócritas dum raio.

Há algo que devo acrescentar em seu abono. As entrevistas que fez a escritores e historiadores e cheguei a ver algumas, foram bastante razoáveis e suportaram-se lindamente. Porquê? Porque não fazia figura de parvo, falava o indispensável (salvo algumas, ainda assim poucas, interrupções extemporâneas e falhas de lógica), fazia perguntas sensatas, não fazia trejeitos ridículos, mantinha-se quieto na cadeira sem gesticulações cretinas, não fazia boquinhas irritantes à menino pequenino saído da escolinha, não piscava os olhinhos feito parvinho, etc. É isso.

Maria disse...

Nâo sei se me enganei quando disse que este jornalista era filho de um médico, talvez seja. Estava porém na altura inconscientemente a pensar noutro palerma, o Rodrigo Guedes de Carvalho, que este é que é filho de um médico com o mesmo nome. Todos os defeitos que dizem respeito ao outro podem aplicar-se a este, menos os ademanes e o piscar d'olhinhos e, vá lá, é menos vaidoso. Este Rodrigo é outra encomenda que valha-nos Deus. Então quando é moderador de um programa ou apresenta uma reportagem ou faz alguma entrevista... é de uma ignorância que mete dó. E este parece que também escreve livrinhos...