Páginas

domingo, 12 de junho de 2016

Dr. Pacheco, mr. Rui e a social-democracia do PSD



Pacheco Pereira escreveu um artigo na última edição da revista Sábado em que procura desqualificar o actual PSD, retirando-lhe o ideário social-democrata para lhe colar a designação actualmente equivalente ao fassismo: neo-liberal.
Para tal socorre-se do historial do PSD quando este partido ainda estava em embrião na Ala Liberal e após o nascimento do PPD em que o dr. Pacheco ainda era o mr. Rui, pseudónimo da sua semi- -clandestinidade de extrema-esquerda a esconder panfletos debaixo de soleiras de portas esconsas.

Observador ( the real thing) de 3.8.1973:



O artigo de Dr. Pacheco é filisteu e desonesto qb. Tenta explicar o que é a social-democracia citando Sá Carneiro e assimilando-o à doutrina social da Igreja. Ora isto faz tanto sentido quanto o de um Basílio Horta  proclamar ( em 2 12 2012 à Visão ) que "um democrata-cristão só pode fazer política no PS".
Não dá conta de que a social-democracia teve origem na esquerda marxista e que em 1914 o partido socialista russo se chamava social-democrata, apostado já em superar o capitalismo por meio da revolução e violência.
Norberto Bobbio ensina bem tal coisa a quem colecciona papéis velhos e não os lê:



Toda a gente informada sabe que o PSD do início em que ainda era PPD se afirmava social-democrata sem complexos, distinguindo-se do PS por afastar o marxismo como matriz inspiradora, mas não só.

Sá Carneiro explicava tal ideário em várias entrevistas, designadamente nesta, ao Globo em 8.11.1974, resumindo claramente que " a linha que defendemos é a das sociais-democracias que surgiram nos fins dos anos 50 abandonando o marxismo e a sistemática apropriação colectiva dos meios de produção":


E para temperar o eventual fervor ideológico dos variados "ruis" de então, dizia também claramente que o PPD era um partido pragmático, acima de tudo. Século Ilustrado, 30 de Novembro de 1974:


Esta linha de pensamento não autoriza, como este dr.Pacheco agora faz a seguir o raciocínio de um mr. Rui, colocando o PPD/PSD ao lado da Esquerda unida, socialista, que agora existe.

Isso era visível na época e continuou pelas décadas fora. Um ano depois, em 18 de Outubro de 1975, após o Verão Quente e o PREC que continuava, Sá Carneiro escrevia no Expresso que a social-democracia era a única forma de socialismo em Portugal que via como possível. Não era o socialismo de então que o PS defendia nem muito menos o que a Esquerda dos mr. Ruis andava a proclamar.




Por causa disso, Álvaro Cunhal, já em 18.3.1977  sabia muito bem o que dizer para demarcar as águas políticas: a esquerda comunista nunca aceitou o PPD como social-democrata.


 Na sequência dos acontecimentos de 25 de Novembro de 1975 Sá Carneiro, ao contrário de Mário Soares, fora claro e conciso na intransigência para com o comunismo dos mr. ruis que pululavam ainda pelos PCP-ml e quejandos e que agora permitem o aparecimento de drs Pachecos. O Jornal de 5.12.1975:




Por essa altura ou dali a alguns meses o PPD, por causa da intransigência social-democrata de Sá Carneiro para com a esquerda rompante dos mr. ruis e seus compagnons de route,  defrontava-se com "opções inadiáveis", como esta:

Sabe-se bem o que deu esta opção que não se adiou: um advogado de regime que encarna o espírito...social-democrata? De centro-esquerda? Enfim...


Mas não foi apenas este social-democrata de centro-esquerda que se incompatibilizou politicamente com a social-democracia de Sá Carneiro, naquela época, e que se notabilizou nestas opções. Havia um socialista de gema e clara que também se revelou nas décadas seguintes: Proença de Carvalho, aqui a evidenciar, décadas depois,  os méritos de um banqueiro, Rendeiro de apelido que tinha então a gerência de um banco, o BPP, actualmente uma referência do ideário que conduziu o país à bancarrota em 2011 e se prepara novamente para conseguir tal feito, com estas políticas social-democratas que este dr. Pacheco agora defende, depois de defender o cavaquismo liberal em 1991.


Não obstante e para mostrar a desonestidade deste dr. Pacheco que assume muitas vezes a pele do antigo mr.Rui. aqui fica um apanhado de várias declarações de Sá Carneiro que mostra claramente como evoluiu o pensamento político, de 1973 a 1979 e por que o fez, não desvirtuando aquilo em que acreditava. Semanário de 3.12.1983.




Afinal quem é que este dr. Pacheco quer enganar? Papalvos? E porque continuam a dar-lhe credibilidade?

29 comentários:

zazie disse...

Se até do PSD viram à esquerda, não sei mesmo qual vai ser a nossa sorte.
O azar está à vista.

A propósito- o José leu a entrevista ao VPV?
Aquela coisa do sistema presidencialista por não ser possível alternância.

Eu não sei. Mas sei que isto não é alternância e cada vez começo mais a pensar que não faz sentido.

Andam uns a tentar reformar um niquinho as coisas; vêm os mesmos e apenas sabem deitar logo tudo abaixo que os outros fizeram e regredir ainda mais.

Assim não dá. E é verdade que se o PSD e CDS não conseguirem maioria absoluta- o que é o mais natural- então não há saída.

josé disse...

Li a entrevista mas parece-me um bocado confusa. A questão do presidencialismo não me parece nada aproveitável.

A Esquerda domina todo o espectro político, desde a extrema esquerda à esquerda que até agora era moderada, do PS.
Os media estão todos nesse espectro.

Como é que daqui pode sair um presidente que não seja de esquerda?

Se a Esquerda fosse salvação do que quer que fosse, ainda vá. Mas é precisamente o contrário e a maioria de quem vota não percebe tal coisa.

Veremos no que vai dar.

josé disse...

A única esperança que resta ao país é o Passos, o que não deixa de ser irónico.

O Passos é um homem de Estado como tivemos poucos e ninguém dava nada por ele. Não é intelectual ou filósofo mas tem a recta intenção e uma visão para o país que me parece referível a outros.

Não é o líder ideal mas é um caminho para sairmos do fosso.

CCz disse...

"Não é o líder ideal mas é um caminho para sairmos do fosso."

exactamente.

E eu, que me lembro de ele ser um jota, tinha expectativas tão baixas dele quando iniciou as funções de primeiro-ministro que me surpreendeu pela positiva, apesar de também ser um socialista de direita

zazie disse...

Ah, sim. Isso também já eu disse- desta nojeira não pode aparecer nenhum salvador. E presidencialismo à esquerda já temos.

Fora isso, o que costuma aparecer são malucos.

Quanto ao resto, sim. O Passos também me surpreendeu pela positiva.

Estes pascácios à la Pacheco são idiotas. Já perderam o comboio, podiam sair de cena.

zazie disse...

Disse o mesmo do CCZ. Também não imaginava nada. E este governo que ele ainda formou antes da golpada parecia bem credível.

o problema é ser tudo escardalho, a começar e acabar pelos media.

Quanto à entrevista, acho que ele insistiu numa coisa acertada- a classe média que temos foi fabricada pelo Estado, logo, é por aí que tudo está preso.

josé disse...

O que será a nossa classe média?

A que é constituída pelas pessoas que actualmente, se assim se pode dizer, ganham mais de 2000 euros por mês. Um casal, grosso modo, 5000 euros?

Parece-me ser este o patamar mínimo.

Ora, quem é que em Portugal tem esse rendimento? Os médicos andam por aí, sem acrescentos de horas suplementares. Os professores nem sequer.

Estamos a falar de classes que o Estado paga directamente.

Temos cerca de 3 milhões de assalariados, não será assim? Qual a média de rendimento? Para aí 900 euros, se tanto, por mês.

Temos uns milhares de pequenos patrões que têm pequenos comércios e indústrias e que ganharão mais que isso.

Como é que isto se resolve?

zazie disse...

É a classe média pequenina, como o resto.

josé disse...

O funcionalismo público, hoje em dia é classe média muito baixa.

Vota em quem lhes garanta que não baixa mais e isso só a Esquerda garante. Logo, uma parte significativa dessa classe média baixa que deveria eleger o Passos, vota agora no Costa e na União de Esquerda.

Quanto mais lhe prometerem que sobem de rendimento com o "fim da austeridade" mais votos terão.

No final acabarão a ser os principais prejudicados e seguem este panurgo que os leva ao abismo a proclamar que é esse o caminho da salvação e que os que prometem austeridade são inimigos do povo...

Este discurso pega sempre e é isso que me assusta.

zazie disse...

Exacto. Ia escrever isso eheheh A sério. Vinha cá para acrescentar precisamente esse detalhe.

Se fosse uma classe média alta tanto fazia. Podiam votar por outros motivos porque não era por aí que afectava.

Agora uma classe média de funcionalismo público demasiado rasca, vende-se por qualquer promessa de migalha.

E eles dão-nas. A seguir pagam-se as migalhas mas as pessoas são estúpidas, acreditam na treta do paleio que a culpa é da Direita e da Capitalismo Liberal e Internacional, e votam neles.

zazie disse...

Nas últimas eleições dei com uma conversa gira entre um sem-abriga do meu bairro e um traficante que tinha acabado de fazer negócio.

Estavam os dois na esplanada- isto em vésperas de eleições e a debaterem o voto.

E dizia um deles- "os do PSD/CDS até são melhores, mas ó pá, para a malta convém mais o PS porque sempre pinga algum".

E respondia o sem-abrigo. "Pois é. Sempre se tem a garantia do RSI e mais qualquer coisinha. Também acho que vou votar PS".

Ambos concordavam que os outros eram melhores mas para eles não havia conveniência.

ehehehehe

zazie disse...

Os profs raciocinam da mesmíssima maneira

":OP

josé disse...

Quando o Sócrates aumentou o funcionalismo público em 2009 sabia que não o devia fazer mas fez na mesma para assegurar a vitória relativa como aliás alcançou.

Passos em 2011 não fez nada disso porque estávamos já no limite da insolvência. Mas em 2015 voltou a tentar esse truque, acabando por não resistir à tentação. Estou convencido que foram os inteligentes do partido que o convenceram a tal.

Este Costa não tem qualquer prurido em usar tais truques porque aparentemente acredita neles. Como não sabe melhor e é motivado pelo discurso da anti-austeridade tal é sopa no mel. Só parará quando lhe mostrarem com evidências que acabará por perder tudo com tais ideias. Aí deitará as culpas para os outros, os estrangeiros e assim.

Funciona sempre este novo truque.

zazie disse...

Sabe, pois. Este sabe que é truque e por isso é que me mestre na trapaça.

E grande parte dos que votam neles também sabe que é truque mas não importa.

josé disse...

O que me espanta de algum modo são estes pachecos que enfileiram nestas trapaças sabendo que o são.

OU então são mesmo imbecis, o que não descarto de todo.

zazie disse...

O pacheco é burro. Disso não tenha dúvidas

ColtraneJazz disse...

Pacheco é burro! Coleciona papeis velhos e não os lê. Brilhante. Resume tudo!

ColtraneJazz disse...

Pacheco é burro! Coleciona papeis velhos e não os lê. Brilhante. Resume tudo!

Terry Malloy disse...

Será talvez uma surpresa para o José (sei que para mim o foi) saber que em 2009 um rendimento de €2000 líquidos mensais (rendimento disponível por adulto, ponderado o rendimento do agregado) colocava o português que o auferisse no percentil 95 da escala de distribuição de rendimentos. Não é gralha- noventa e cinco.

A mediana estava nos €723 mensais (líquidos).

Estes dados são públicos, resultam do estudo do INE – ICOR (Inquérito às Condições de Vida e Rendimento das Famílias – 2010) e constam, por exemplo, do estudo “Desigualdade Económica em Portugal” do ISEG para a Fundação Francisco Manuel dos Santos (fls. 25 e ss.).

Com a evolução 2010-2015 que conhecemos, julgo que os números actuais não serão especialmente diferentes destes.

Tomei conhecimento destes números recentemente (já vi, entretanto, dados/estudos mais recentes com resultados similares) e destroçaram completamente o entendimento que tinha do que seja a classe média em Portugal.

João José Horta Nobre disse...

Mas alguém liga ainda seriamente ao que o Pacheco diz???

Esse tipo não passa de um vendedor de banha da cobra.

josé disse...

Por mim tenho a certeza absoluta da minha convicção de que se tivéssemos um regime sem a esquerda comunista a mandar em 1974-76, conseguindo aprovar uma Constituição como a que temos, com ajuda e participação directa do PS que temos, estaríamos pelo menos tão bem como os espanhóis em termos de rendimento per capita. PIB.

João José Horta Nobre disse...

«estaríamos pelo menos tão bem como os espanhóis em termos de rendimento per capita. PIB.»

Ou seja, também não estaríamos muito melhor...

zazie disse...

Esse percentil que o Terry Malloy fala, apenas serve para confirmar que a função pública está até muito bem paga em Portugal. Os profs estão pagos acima do valor dos outros países com PIB muitíssimo maior que o nosso.

josé disse...

Somos um país pobre que julga, numa boa percentagem da população, que podemos fazer vida de alguém com melhores rendimentos.

Andamos 10% acima das nossas possibilidades como disse, por outras palavras, no outro dia, Medina Carreira no programa Olhos nos Olhos que teve também César das Neves presente e me mostrou que estamos condenados a outro resgate, ou seja outra bancarrota. A breve trecho. Meses.

Há um percurso de adaptação ao nosso verdadeiro rendimento que nunca foi percorrido desde há 30 anos para cá. Desde que entramos na CEE que julgamos ser como os europeus mais ricos.

É ver os carros que compramos. É ver as casas que temos. É ver o consumo que se faz nos Centros Comerciais.

Há qualquer coisa de desequilibrado nisso.

João José Horta Nobre disse...

Eu confesso que quando entro num centro comercial ou mesmo quando ando na rua, fico seriamente a pensar como é que há tanta gente a poder dar-se ao luxo de viver assim, num País em que cada vez mais o ordenado mínimo, é o ordenado máximo...

E isto vai piorar muito mais, pois as gerações mais novas condenadas a viver de ordenados miseráveis, não têm qualquer poder de compra.

José Luís disse...

"É ver os carros que compramos. É ver as casas que temos. É ver o consumo que se faz nos Centros Comerciais."
Nem todos, nem todos :)

José Luís disse...

Ainda ontem num almoço onde, entre outros, estava um dos filhos dos ricos à seria do antigamente criticavamos justamente este novo riquismo e consumismo desenfreado.

Leocardo disse...

http://bairrodooriente.blogspot.com/2016/06/quem-e-jose-joao-horta-nobre-parte-iii.html?m=0

Isto pode interessar. Saudações

muja disse...

Bela merda ó Leocardo. Escreves muito e não dizes nada.

Tanto a Zazie como eu lhe demos o bailinho da Madeira mais que uma vez. Mas com argumentos a sério. A Zazie tem menos paciência e fê-lo destrambelhar-se todo. Como eu a tenho, comigo não tem chance. Só consegue dizer "é mentira".

Volta lá para o lava-pés aos coitadinhos dos "refugiados" e os "verdadeiros terroristas" que são os bloguers nazis e xenófobos tipo Maria Vieira ahaha! e não os do EI que são manipulados pelos nazis que querem refazer o holocausto... E tirar fotografias no bom do Molenbeek.

É cada um pior que o outro irra...