Páginas

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

E agora, Luís? É melhor assim?

Luís Campos e Cunha foi ministro das Finanças de José Sócrates durante alguns meses. Demitiu-se por razões que são públicas e agora poderão ser melhor avaliadas.

Público de 21.7.2005:

As dúvidas do ex-ministro das Finanças sobre os investimentos públicos levaram Sócrates a decidir-se pelo seu afastamento. O artigo escrito no PÚBLICO do passado domingo foi considerado um acto de falta de solidariedade com o resto do Governo, ao pôr em causa projectos como a Ota e o TGV. Teixeira dos Santos é o novo ministro de Estado e das Finanças. O artigo escrito no PÚBLICO no passado domingo está na origem do afastamento de Luís Campos e Cunha do Governo. As dúvidas do ex-ministro sobre projectos como a Ota e o TGV, aliás repetidas na terça-feira no Parlamento, levaram José Sócrates a decidir-se a suster as divisões no Executivo, provocando o pedido de demissão de Campos e Cunha.
RTP, em 21.7.2005:
(...)
 Os partidos da oposição reagiram sem grande surpresa, face às recentes polémicas em que o titular da pasta das Finanças se envolveu, nomeadamente o artigo de opinião, publicado domingo no Público, em que sustentou que o crescimento económico depende da qualidade e não da quantidade de investimento público, dando como exemplo o caso da Suécia.

E após José Sócrates ter garantido a construção do aeroporto da Ota e das linhas de comboio de alta velocidade (TGV) Lisboa/Madrid e Lisboa/Porto/Vigo, Luís Campos e Cunha sustentou, terça-feira, no Parlamento, que se tratava de projectos ainda em avaliação.

Campos e Cunha foi um ministro controverso, mesmo antes de tomar posse, em Março, ao admitir uma subida de impostos, contrariando o discurso da campanha do líder do PS, José Sócrates
.

 Luís Campos e Cunha é dos poucos socialistas que podem e devem ser ouvidos a propósito de assuntos económicos relacionados com a política geral do país.

Numa entrevista à revista trimestral Risco ( Agosto -Outubro 2016) diz assim:






Se a opinião de Campos e Cunha tivesse sido respeitada em 2005 nunca teríamos a bancarrota de 2011, apesar das crises económicas internacionais que agora servem de alibi a quem não sabe mais o que justificar.

E nunca teríamos uma "operação Marquês", com os contornos conhecidos...o que permite concluir que a opinião de uma pessoa, se seguida , pode fazer toda a diferença num país a sério.

7 comentários:

Floribundus disse...

destituiram dilma

sobrou o monhé e restantes donos do rectângulo

preparem-se para o cheque-mate

'e tudo o socialismo levou'

Floribundus disse...

depois de dima ter sido «impichada«

Fernando Lima, falou ao 'i' sobre governo do sr encenheiro e ex-PR

adoro viver os tempos que passam e não voltam

comtinua
o 'sempre em festa'

AAA disse...

Comecei a ler mas não tenho paciência para voltar a ouvir a mesma ladainha desta gente amarrada à esquerda: foi o tribunal constitucional que pôs o país na rota do crescimento.
Que o país não tenha feito reformas estruturais de fundo que tornassem sustentáveis as finanças públicas devido ao mesmo TC, não interessa nada.
Porque não diz ele que o estado só pode gastar aquilo que tem? E que, por isso, entre muitas outras medidas, tem que pagar menos aos seus «funcionários», principalmente a quem ganha mais, como ele. Contrariamente ao que este governo anda a fazer com a famosa reposição de salários que só é perceptível para quem tem um nível salarial mais elevado.

O nosso problema enquanto país começa nestas «elites». E no relevo que a comunicação social lhe dá.

josé disse...

Mesmo isso seria sustentável se não se tivessem cometido os erros gravíssimos depois do dito ter abandonado o governo do Inenarrável.

Só se coloca agora o problema dos salários dos funcionários públicos porque o Estado gastou noutras áreas o que não poderia nem deveria. E tal se deve ao consulado de José Sócrates.

lidiasantos almeida sousa disse...

Mas afinal quem escolhera OTA para fazer um aeroporto foi o Governo de Cavacheteo Silva. Quem assinou o contrato de 5 linhas de TGV foi Durão Barroso e sua ministra MANUEL Ferreira leite, Os contratos assinados, em espanha, entre o estado português o espanhol e a União Europeia estão à disposição de quem os quiser ler, Os contratos são para cumprir e não para rasgar. Cavaco Silva no medeio confusão, em segredo com o Engenheiro Viegas e o Engenheiro resolveram fazer o aeroporto em Alcochete, O seu homem de confiança fernando fantasia, foi à Alcochete comprar milhares de hectares, penso ali construir um cidade turística. os TERRENOS FORAM COMPRADOS-COM o DINHEIRO DO BPN POIS Fernando fantasias pertencia `administração~ do banco já falido. mas não oficialmente. CRISE chegou O AEROPORTO PAROU E OS TERRENOS LÁ ESTÃO EM NOME DA FILHA DE FERNANDO FANTASIA quando legalmente pertencem ao BPN.

lidiasantos almeida sousa disse...

sobre o Campos e Cunha so posso dizer a verdade dos factos. CAMPOS E cunha FOI administrador do banco de Portugal. Aproveitando uma lei de Cavaco Silva quando 1º ministro, pediu a pensão vitalícia aos 45 anos pois tinha 5 anos de trabalho seguido. cavaco silva,e Manuela ferreira leite entre muitos, tinham 5 anos alternados , mas a lei previa 5 anos alternados. Como a pensão de CAMPOS E CUNHA era a maior de todas, 9.000 euros X 14 meses. O tonto do Sócrates, em vez de se resguardar dos manhosos. armou-se em esperto e decretou que os ministros nao podiam acumular ordenado com as pensões- Evidentemente, Campos e Cunha não podia viver só com os ordenado de Ministro pois mais que isso pagava ele ao jardineiro e motorista para a senhora e filhos. Deu como desculpa que estava muito doente das costas e pediu a demissão. Tudo isto está relatado no BANCO DE Portugal, o ÚNICO QUE NÃO ACEITOU A PENSÃO VITALÍCIA FOI AQUELE SENHOR DO CDS QUE É ECONOMISTA E FOI MINISTRO. o 1º A PEDIR A PENSÃO Vitalícia FOI ANTONIO MARTA do Porto, Passado um ano de pedir a pensão foi requisitado pelo Banco de Portugal, por ser imprescindível e passou a ganhar o triplo do que ganhava antes de pedir a pensai vitalícia. como já se passou muito tempo da minha comissão de serviço no BdP, posso ter cometido alguns lapsos de memoria, mas do campos e cunha nao, porque era detestado por todos no BdP, por ser um vaidoso e muito calão, fazendo o pessoal trabalhar fora de horas porque não cumpria seu horário e ali ficavam mais ou manos 40 pessoas sem fazer nada.

lidiasantos almeida sousa disse...

AINDA SOBRE CAMPOS E CUNHA. apaixonou-se pelo SÓCRATES, e fez um programa de Governo, chamado NOVAS FRONTEIRAS,Ai se pode ler que o Governo fará o Aeroporto na OTA COMO CONVENCIONADO PELO governo DE Cavaco Silva E AS 5 LINHAS DE TGV. conforme contrato feito pelo 1º Ministro Durão Barroso, a Ministra das Finanças Manuela Ferreira Leite em nome do governo Português, Jose MARIA Aznar em nome de Espanha e do representante da União Europeia que se compromete a enviar os respectivos fundis,

A memoria é curta para o senhor CAMPOS E Cunha, MAS OS CONTRACTOS NUNCA MENTEM E SÃO DEVIDAMENTE ASSINADOS e arquivados, Mistério Porque Campos e Cunha se quis juntar a Sócrates e fazer o programa NOVAS FRONTEIRAS que o levou a uma maioria absoluta?

Admite-se um mentiroso, mesmo quando é Professor catedrático? Não, nao se admite porque a sua responsabilidade social é muito superior custou ao estado muitos milhões de escudos, para se formar e tem de dar ás novas gerações provas de ser bom profissional honesto e verdadeiro. e não um troca tintas ou ventoinha, que gira sempre em volta de si mesma. Um mentiroso engana as pessoas uma vez mas não pode enganar sempre. Campos e Cunha. é agora reformado de professor, junta a reforma à pensão vitalícia é vogal de muitas empresas e faz consultadoria para empresas portuguesas e estrangeiras. Não se pode exigir a Sócrates ou Miguel RELVAS A MESMA RESPONSABILIDADE.