Páginas

domingo, 28 de agosto de 2016

O padreca laico falou e disse...tirou o chapéu e foi-se.

Louçã, o novo guru da esquerda que não alinha pelo PCP, disse coisas sobre a União Europeia. Essencialmente diz que é um projecto falhado:

Francisco Louçã considera que "a União Europeia é um projecto falhado" porque "representa o contrário do que prometeu", com o único argumento do poder de que é "preferível ser temido do que ser amado".

De facto é um projecto cuja falha maior é não conceder carta de alforria a projectos deste género já por aqui mencionados há tempos:

Diz assim Louçã, sobre a essência ideológica do BE, depois da pergunta "Em que é que o BE acredita?":
"Numa esquerda socialista. (...) Para nós o socialismo é a rejeição de um modelo assente na desigualdade social e na exploração, e é ao mesmo tempo uma rejeição do que foi o modelo da União Soviética ou é o modelo da China. Não podemos aceitar que um projecto socialista seja menos democrático que a "democracia burguesa" ou rejeite o sistema pluripartidário. Não pode haver socialismo com um partido político único, não pode haver socialismo com uma polícia política, não pode haver socialismo com censura. O que se passa na China, desse ponto de vista, é assustador para a esquerda. (...) Agora, a "esquerda socialista" refere-se mais à história da confrontação, ou de alternativa ao capitalismo existente. Por isso o socialismo é, para nós, uma contra-afirmação de um projecto distinto. Mas, nesse sentido, só pode ser uma estrutura democrática."


O que dizia Louçã em 2005 a este propósito? Isto:
"O BE é um movimento socialista ( diferenciado da noção social-democrata, entenda-se-nota minha) e desse ponto de vista pretende uma revolução profunda na sociedade portuguesa. O socialismo é uma crítica profunda que pretende substituir o capitalismo por uma forma de democracia social. A diferença é que o socialismo foi visto, por causa da experiência soviética, como a estatização de todas as relações sociais. E isso é inaceitável. Uma é que os meios de produção fundamentais e de regulação da vida económica sejam democratizados ( atenção que o termo não tem equivalente semântico no ocidente e significa colectivização-nota minha) em igualdade de oportunidade pelas pessoas. Outra é que a arte, a cultura e as escolhas de vida possam ser impostas por um Estado ( é esta a denúncia mais grave contra as posições ideológicas do PCP). (...) É preciso partir muita pedra e em Portugal é difícil. Custa mas temos de o fazer com convicção."

Não admira nada que a UE seja um projecto falhado. Enquanto não se aproximar desse magnífico projecto de realismo fantástico que é o de Louçã, será sempre falhado. 
Ainda há quem dê ouvidos a este maluco? Que esperam para lhe cortar a colecta quase diária de microfones que lhe põem para ouvir estas baboseiras e outras ainda piores?

8 comentários:

Dudu disse...

Louçã diz que a UE é um projecto falhado.
Quando a União fôr mais exigente, está na hora de querer a saída.
Não entendo as razões porque Medina Carreira continua a convidar João Ferreira do Amaral, um indivíduo que sempre reivindicou a saída,acabando a escrever um livro com Louçã.

Floribundus disse...

a UE obriga a dominar excessos desagradáveis
ao ventríloquo da catarineta

estrahamente não há castros nem maduros, muito menos evos e monhés

o monhé e o seu fisco continuam a aumentar a dívida
perante o aplauso quase geral

foca disse...

Este artista é para mim a prova da falibilidade do sistema de avaliação das ciências económicas.
Como é possível chegar a Catedrático, através de teses jamais provadas?
Que raio de método cientifico é este é que as hipótese é refutada e no entanto se aceita como provada?

Quem foram os anormais que passaram este cromo?

josé disse...

Foram os catedráticos do mesmo jaez que lêem sinais nas estrelas e nas conchas da praia. Ou nos ossos das galinhas.

O ensino universitário precisa destes cromos para dar cor ao cardápio das inanidades.

lusitânea disse...

Para mim o Louçã deveria ser obrigado a participar nos estudos oceanográficos para o alargamento da plataforma continental com um peso de 500 kg atados para chegar ao fundo mais depressa.E com uma fila de voluntários prontos a ir salvá-lo.De certeza que o Mamadou Ba do SOS Racismo seria logo o primeiro...

Floribundus disse...

o José compreende a razão porque abandonei o ensino ao fim de um ano

nunca leio os raros escritos dos srs profs drs

raros são os livros de quem dá 40 anos a mesma matéria

lidiasantos almeida sousa disse...

O DESTINO DOS LOUÇAS, SEJA O FRANCISCO OU O PRIMO GASPAR, ESTÁ ESGOTADO, VEM AO A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL, continuamos a trabalhar.


http://super.abril.com.br/tecnologia/a-guerra-da-inteligencia-artificial

aguerreiro disse...

Gostava de ver este artista a gerir uma mercearia ou um café! se punha em práctica as tretas que diz , mas que nunca mostrou nada de consistente tal como criar riqueza e emprego!