Páginas

segunda-feira, 17 de julho de 2017

E agora, MºPº? É preciso ouvir Cunha Rodrigues, outra vez.

JNeg:

Peter Boone, economista doutorado em Harvard, foi acusado de manipulação de mercado que permitiu ganhos de 819 mil euros com a venda de dívida portuguesa após ter escrito artigos sobre o país nos cruciais meses antes do resgate de 2011. Foi declarado inocente na semana passada e vai processar o Estado. 
 “Este processo nunca deveria ter existido. Foi uma caça às bruxas iniciada por uma declaração pública do antigo ministro das Finanças, Professor Fernando Teixeira dos Santos, que se sentiu ofendido por eu ter questionado algumas das más decisões económicas que ele e os seus pares estavam a prosseguir”, refere Peter Boone, sobre a acusação pelo crime de manipulação de mercado.
Em comunicado, Boone informa que a 12 de julho de 2017, transitou em julgado a Decisão do Tribunal da Relação de Lisboa que confirmou a inocência, revogando definitivamente a acusação de manipulação de mercado que tinha sido proferida pelo Ministério Público, “pondo termo a um pesadelo de sete anos”. 

DN de hoje:

 
Segundo se escreve o MºPº acusou um articulista e analista financeiro depois de receber uma denúncia das entidades oficiais, designadamente a CMVM e o governo de então, do Inenarrável José Sócrates, mais o seu ministro das Finanças, Teixeira dos Santos que fez uma grande figura de urso, ao lado daquele, no dia do pedido de resgate financeiro a Portugal que originou a "austeridade" que ainda pagamos.
Não contentes em terem feito o mal, quiseram também o crédito pela caramunha da denúncia infundada.
A denúncia respeitava a um artigo escrito em 15 de Abril de 2010, em parceria,  por dois americanos que previam um destino funesto para a economia nacional, com uma bancarrota, caso não houvesse inversão da política económica seguida até então por aqueles inenarráveis.

A investigação da CMVM indiciou uma "manipulação de mercado" e o MºPº foi atrás e, pressuroso, em 2015, o que é ainda mais incrível, deduziu uma acusação que nem chegou sequer à fase de julgamento. Não satisfeito com a improcedência da referida acusação e do arquivamento decidido na fase de instrução, o MºPº recorreu, se calhar por entender que "assim é que é" e os inspectores do MºPº gostam. E se calhar será mesmo, o que se afigura trágico e um fenómeno de que ninguém fala...
Agora é a confirmação do desacertoe da confirmação da ausência de indícios suficientes para acusar.

Assim, eventualmente e segundo se anuncia,  o MºPº ver-se-á na pele de defensor do vínculo do Estado para que este não venha a ser condenado em processo de natureza cível, pela prática de erros grosseiros. Seria bom, em caso de condenação do Estado português que houvesse acção de regresso contra esses inenarráveis que nos desgraçaram e ainda se fizeram de vítimas.

Veremos onde isto vai parar, mas é triste. Este Ministério Público, assim, não se honra nem honra o país.
O mínimo que há a fazer será debater o assunto, mas não se vê quem esteja interessado em fazê-lo, dentro do MºPº. O que "vem de trás toca-se para a frente" e continua o desacerto pontual, semelhante noutros casos, como é exemplo flagrante o que se passa com os processos que visam os angolanos do "branqueamento de capitais".

Não haverá no MºPº uma voz que se faça ouvir a discutir estes assuntos? O silêncio é ensurdecedor.

Os jornalistas deveriam ouvir sobre isto e muito mais,  o antigo PGR Cunha Rodrigues, muito afastado da ribalta mediática, por opção própria, mas essencial para se entender todo o percurso do MºPº e no que se tornou hoje em dia.
Consta que o mesmo não se revê neste modelo de Ministério Público e terá uma voz crítica a  propósito do que se passa.

Apesar do seu discurso por vezes algo hermético e encriptado há questões em que é claro e incisivo e esta será uma delas.

Ouçam o homem!

11 comentários:

Floribundus disse...

o atoleiro vai continuar
com
antónio das mortes

'até depois do próximo resgate'

lusitânea disse...

O importante é a luta contra o racismo importado...

joserui disse...

Os blogs...é uma vergonha!

Zephyrus disse...

Ja temos nova perseguicao da Inquisicao do politicamente correcto, desta vez contra um candidato do PSD a camara de Loures, que tambem comenta na CMTV.

E ler o que ele disse e pensar se se justifica... todo este histerismo! Mas o que foi dito pelo tal candidato, nao e o que se ouve da boca do povo em Portugal?

Zephyrus disse...

Tenho uma vaga ideia que tem ido varios casos deste tipo ao Tribunal Europeu e o Estado portugues tem perdido todos. Recordo-me de um caso de um jornalista que denunciou qualquer coisa de uma Misericordia e foi acusado de difamacao e calunia. Perdeu o caso em Portugal mas venceu no Tribunal Europeu. Fica-se com a ideia que nao existe uma verdadeira liberdade de expressao e havia ate mais em relacao a certos temas noutros tempos! Existem agora "patrulhas" do politicamente correcto que vasculham as redes sociais e os meios de comunicacao social... casos nao faltam e so procurar no Google. Um exemplo paradigmatico e o que estao a fazer ao Prof. Pedro Arroja.

Liberdade? Onde?

josé disse...

"o que estao a fazer ao Prof. Pedro Arroja."

E o que é?

zazie disse...

O Arroja confunde tudo e mistura um caso de queixa privada com uma actuação do MP.

O Rangel é que lhe colocou um processo em tribunal por considerar que ele o insultou. Isto nada tem a ver com perseguição por impedimento de liberdade de expressão.

zazie disse...

No caso das esganiçadas, sim. Aí havia mesmo uma organização do Estado a levar à Justiça uma treta sem haver queixa de nenhuma das ditas ofendidas. E isos ficou em águas de bacalhau. Agora indivualmente não tem nada a ver com politicamente incorrecto ou outra treta.

Pode ser apenas uma florzinha de estufa que quer aproveitar para lhe sacar uma pipinha. Mais nada.
Ele mete o MP ao barulho porque é ignorante ou gosta de se fazer. A queixa foi aceite porque havia factos, agora resta saber em que dá. Mas não é perseguição politicamente correcta alguma.

zazie disse...

Aliás, a cena com o Rangel foi estúpida todos os dias, como todas as que ele fez com aquela treta do Joãozinho. Tanto acusava um tipo num dia como desdizia tudo a seguir, no programa seguinte.

Fez rábula marrana da vitimização para dar nas vistas e há quem aproveite e lhe faça o gosto.

Adelino Ferreira disse...

O Sr.Presidente da Câmara que se cuide....

http://www.dn.pt/portugal/interior/lider-da-extrema-direita-define-candidato-psdcds-como-um-dos-seus-8642887.html

Floribundus disse...

nekya
ou evocação dos mortos

estão a lembrar os que há um mês morreram por incúria dos dirigentes

entre os mortos-vivos encontram-se:
antónio das mortes
mai, infraministro. pres da CM de Pedrógão

as ofertas andam ao Deus dará
'podem gastar até €5000 em reconstruções'

sobre a Mesquita da mouraria ler blog Casa das Aranhas

Hurensohn
Anschloch